USO DA VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA EM DOIS HOSPITAIS PÚBLICOS DE SÃO CAETANO DO SUL: UM ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO THE USE OF INVASIVE MECHANICAL VENTILATION IN TWO PUBLIC HOSPITALS OF SÃO CAETANO DO SUL: AN EPIDEMIOLOGICAL STUDY

Ludmila da Silva Barbosa, Isabelle Delaqua Rodrigues, José Antônio Manetta, Ricardo Teixeira Silvestre, Liria Yuri Yamauchi

Resumo


A ventilação mecânica (VM) é um método de substituição da ventilação fisiológica quando necessário. Descrever
as características dos pacientes submetidos à VM em unidades de terapia intensiva (UTI). Estudo de
coorte prospectivo. Variáveis estudadas: taxa de uso de VM, escore de gravidade, taxas de extubação, reintubação,
traqueostomia, duração da VM, tempo de permanência e taxa de mortalidade na UTI. População de estudo:
pacientes adultos com VM invasiva. O período de coleta de dados estendeu-se de 1o de julho de 2008 a 21 de
setembro de 2008, com a coleta diária de dados até a alta da UTI. A média (DP) de idade foi de 66 (18) anos,
e 60% dos pacientes eram do sexo masculino. A média (DP) do escore de gravidade Apache II foi de 25 (10)
pontos, que corresponde a cerca de 55% de risco de morte. A taxa de uso da VM foi de 27%, a extubação
ocorreu em 28%, dos quais 19% foram reintubados. A traqueostomia foi feita em 14% destes pacientes. O
tempo de VM até a primeira extubação em mediana (intervalo interquartil) foi de quatro (2 – 8) dias. A taxa de
mortalidade na UTI foi de 46%, e a mediana (intervalo interquartil) do tempo de permanência na UTI foi de
quatro (1 – 10) dias. Os pacientes que necessitaram de VM invasiva eram idosos, com predomínio do sexo
masculino, graves e com altas taxas de mortalidade. As taxas de traqueostomia e reintubação não foram
diferentes dos dados observados na literatura.

Palavras-chave


unidade de terapia intensiva, ventilação mecânica, dados numéricos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol8n24.1053

Indexadores: