ASPECTOS NEUROMECÂNICOS DO EXERCÍCIO PULLEY

Paulo Henrique Marchetti, Mariana Antas de Amorim, Claudinei Campos Arruda, Luiz Fernando segamarchi, Enrico Gori Soares, Daniel Takeshi Ito, Danilo Atanázio da Luz Junior

Resumo


Muitos são os exercícios utilizados para o desenvolvimento dos músculos que envolvem os membros superiores (particularmente o latíssimo do dorso, peitoral maior, redondo maior, deltóide parte espinal e bíceps braquial). Diversos são os fatores biomecânicos do exercício pulley que podem seletivizar atividades musculares e/ou a efetividade do programa de treino como o deslocamento da barra em relação ao tronco, os diferentes tipos de pegada (supinada e pronada) e as variações no comprimento da pegada na barra. O entendimento destas variações técnicas do exercício pulley podem influenciar a correta prescrição durante o treinamento de força. O presente trabalho teve como objetivo revisar aspectos anatômicos, cinesiológicos e biomecânicos do exercício pulley e suas variações. Poucos são os estudos que analisam as variações na técnica do exercício pulley, mas puderam ser observadas que diferentes alterações mecânicas realizadas podem acarretar em mudanças na ação dos músculos envolvidos neste exercício, aumentando ou diminuindo a performance e/ou sua eficiência.

Palavras-chave


musculação, cinesiologia, pulley

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol8n26.1086

Indexadores: