ELETROESTIMULAÇÃO E TECIDO ÓSSEO: RESPOSTAS BIOMECÂNICAS AOS ESTÍMULOS ELÉTRICOS - UMA REVISÃO DE LITERATURA

Letícia Miranda Resende da Costa, Gustavo Sutter Latorre

Resumo


Introdução: As respostas biomecânicas do tecido ósseo frente à eletroestimulação são controvérsias e escassas. Sabemos que osso se adapta aos estímulos a ele empregados, no entanto não podemos afirmar como essas interações são capazes de estimular a formação óssea. Objetivo: O objetivo deste estudo é verificar, por meio de uma revisão da literatura, quais os efeitos da eletroestimulação sobre a biomecânica dos tecidos ósseos. Materiais e Métodos: Este artigo revisa informações acerca das diferentes respostas do tecido ósseo aos estímulos elétricos, através de consulta ao banco de dados PUBMED, utilizando os unitermos “biomechanics”, ”bone”, “electrical stimulation”, “electromagnetic fields” e “non-union”. Resultados: Os estudos analisados demonstram que várias pesquisas sugerem a melhora da densidade e consolidação óssea, porém a maioria destes estudos mostrou falhas metodológicas ou fragilidade no seu embasamento teórico. Conclusão: Conhecer e aplicar informações acerca das respostas biológicas frente aos estímulos elétricos asseguram que as rotinas de tratamento fisioterapêutico proporcionem um estímulo suficiente para manter a densidade mineral óssea em um nível apropriado além de intervir com eficiência sobre o tecido ósseo lesado.


Palavras-chave


Fisiooterapia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol9n29.1387