Atuação Fisioterapêutica no Trauma Raquimedular em Ambiente Hospitalar

Lucas Lima Ferreira, Laís Helena Carvalho Marino, Simone Cavenaghi

Resumo


Trauma raquimedular é uma lesão neurológica incapacitante, que ocasiona paralisia, perda sensorial e disfunção fisiológica envolvendo uma série de funções corporais com grande impacto na sociedade. Representa problema de saúde pública e afeta principalmente à população de adultos jovens, sexo masculino, podendo resultar em morte ou deficiência. Este estudo teve como objetivo agrupar e atualizar conhecimentos em relação à atuação fisioterapêutica no trauma raquimedular em ambiente hospitalar. Foi realizada pesquisa da literatura nas bases de dados Scielo, Lilacs e PubMed cruzando os descritores spinal cord injury, cinesiotherapy, physiotherapy, mobilization, rehabilitation, physical therapy department, respiratory therapy e electrotherapy, no período de 2005 a 2010. A cinesioterapia é imprescindível desde a fase de choque medular, pois favorece a manutenção da amplitude de movimento articular e flexibilidade, além de prevenir complicações circulatórias decorrentes da imobilização prolongada no leito. A fisioterapia respiratória promove a higiene brônquica, correção de padrões ventilatórios anormais e de algumas patologias respiratórias. A eletroterapia é um recurso ainda pouco utilizado por fisioterapeutas no âmbito hospitalar. O presente estudo evidenciou a escassez de estudos específicos que abordem a temática da atuação do fisioterapeuta sobre o trauma raquimedular em ambiente hospitalar.


Palavras-chave


Traumatismos da Medula Espinhal, Unidades Hospitalares, Serviço Hospitalar de Fisioterapia, Modalidades de Fisioterapia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol10n33.1616

Indexadores: