Associação da Hipertensão Arterial Sistêmica com fatores antropométricos e prática da atividade física em escolares

Elizabeth de Souza da Silva Nascimento, Anderson Zampier Ulbrich, Tiago Facchini Panigas, Vitor Giatte Angarten, Tales de Carvalho

Resumo


Introdução: A hipertensão primária é detectada em adolescentes e apresenta associações positivas com histórico familiar de hipertensão, excesso de peso e estilos de vida. Objetivo: avaliar a hipertensão arterial sistêmica em escolares e mostrar sua associação com fatores antropométricos e prática de atividade física. Materiais e Métodos: Estudo do tipo caso-controle com amostra de 326 adolescentes, a maioria moças (55%), da rede pública de ensino dos municípios de Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia, RJ. Coletou-se medidas antropométricas de massa corporal, estatura, perímetro da cintura e calculado o índice de massa corporal, índice de Roher e razão cintura estatura. Os procedimentos da medida e classificação da pressão arterial foram adotados segundo a VI diretriz de Hipertensão. A aptidão cardiorrespiratória foi determinada pelo teste de 12 minutos proposto por Cooper. Após análise descritiva foi feita a comparação entre os sexos pelo teste t de Student, observada a prevalência de casos de hipertensão e a associação da pressão arterial sistêmica com as medidas antropométricas e de aptidão. Resultados: Os  sujeitos do sexo masculino apresentaram maior consumo máximo de oxigênio quando comparados ao sexo feminino. Os sujeitos classificados com IMC normal tiveram redução de chance de adquirir a doença quando comparados aos sujeitos com sobrepeso e obesidade. Conclusão: maiores prevalências de sobrepeso e obesidade foram nos meninos, sendo verificado redução de 7% de chances de hipertensão para os considerados sem excesso de peso.


Palavras-chave


Educação Física, Nutrição

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol11n36.1704