ATENDIMENTO EM FONOAUDIOLOGIA: ESTUDO DE UMA CLÍNICA-ESCOLA NA CIDADE DE CURITIBA, PARANÁ

Gisele de Souza Girardeli, Ana Cristina Guarinello, Ana Paula Berberian, Giselle Massi, Jair Mendes Marques

Resumo


Introdução: As clínicas-escola são, de forma geral, unidades de apoio ao ensino e às atividades de extensão do curso de Fonoaudiologia, sendo que os serviços oferecidos nessas clínicas se vinculam ao atendimento da saúde pública da população. Objetivos: verificar a demanda da clínica-escola de Fonoaudiologia da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) de 2008 a 2011. Materiais e Métodos: o estudo foi realizado a partir da coleta e análise dos dados encontrados nos prontuários, obtendo as seguintes variáveis: ano de atendimento, sexo, faixa etária (no ingresso do serviço), encaminhamentos (quem encaminhou), procedência, acompanhantes, ocorrência (queixa referente à entrevista inicial), diagnósticos, desligamento e tempo de permanência de tratamento. Resultados: foram observados 208 prontuários, sendo 111 (53,36%) indivíduos do gênero masculino e 97 (46,63%) do gênero feminino. A idade média encontrada foi 21,11 anos. 164 (78,84%) pacientes são da capital. 152 (73%) pacientes vem para a clínica acompanhados. Verificou-se que 104 (48,8%) pacientes foram encaminhados por Profissionais da Saúde. As queixas mais incidentes são 135 (48,7%) alterações na linguagem oral, seguido por 48 (17,3%) problemas auditivos. Quanto ao parecer fonoaudiológico 107 (35,5%) prontuários apresentaram dificuldades na linguagem oral, seguida por 60 (19,9%) que apresentaram surdez. Conclusões: O alto índice de pacientes com parecer fonoaudiológico nas áreas da linguagem oral e surdez, evidencia a necessidade de serem direcionadas ações de prevenção e promoção da saúde voltadas à aspectos vinculados à oralidade e à surdez.


Palavras-chave


Fonoaudiologia,Epidemiologia, Saúde Pública, Diagnóstico, Assistência ao paciente

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol10n34.1750