Benefícios da Brinquetodeca à Criança Hospitalizada: Uma Revisão de Literatura

Dayanne Kallyne Morais de Araujo Oliveira, Fabiana Carla Mendes Oliveira

Resumo


Introdução: Brincar é uma das práticas primordiais para o desenvolvimento físico, emocional e social da criança. Apesar da reconhecida importância desta atividade, durante a hospitalização ela é pouco valorizada, de modo que o modelo tradicional de intervenção e cuidado de crianças hospitalizadas deve ser revisto. Objetivo: identificar nas literaturas quais as técnicas que podem ser adotadas durante a hospitalização e os benefícios no cuidado humanizado pela equipe de saúde. Metodologia: Foi realizado uma pesquisa bibliográfica, utilizando livros, revistas e periódicos publicados em bases de dados SciELO, PubMed, Bireme e site Google Acadêmico, utilizando os descritores Brinquedo, Criança e Hospitalização, no período de fevereiro a julho de 2012. Após a seleção do material publicado entre os anos 2001 a 2011 foram realizadas leituras explorativas e analíticas. Resultados: As dificuldades que os pacientes pediátricos apresentam se devem ao medo do desconhecido ou às situações desagradáveis sofridas por elas em hospitalizações anteriores. Isto causa temor, levando-as a crer que todos os profissionais causarão dores ou sofrimentos, por isso a importância do preparo dos profissionais com o cuidado é de grande relevância. Uma das maneiras de evitar o sofrimento da internação está na comunicação e no brinquedo terapêutico. Conclusão: Os hospitais devem investir em recursos humanos e infraestrutura. As terapias complementares vêm sendo incorporados à assistência a crianças hospitalizadas para privilegiar as necessidades afetivas, sociais e culturais. Diante disso, a equipe de saúde precisa agir de maneira em que amenize o sofrimento, sendo a brinquedoteca uma das estratégias de inovação.


Palavras-chave


Brinquedo, Criança, Hospitalização

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol11n35.1775