AVALIAÇÃO DO USO DA CADERNETA DE SAÚDE DA CRIANÇA NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE EM UM MUNÍCIPIO DE MINAS GERAIS

Mariza Faria, Talita Almeida Nogueira

Resumo


Objetivo: o objetivo do presente estudo foi avaliar o preenchimento da CSC pelos profissionais de saúde e responsáveis, verificando se há um acompanhamento do crescimento da criança, assim como possíveis associações com variáveis maternas e das crianças. Materiais e métodos: participaram da pesquisa 150 mães de crianças menores de dois anos do município de Pouso Alegre-MG. Os dados foram coletados por meio de entrevista e verificação direta da caderneta, durante as consultas com pediatra e nas campanhas de vacinação. Para análise estatística foi utilizado o teste qui-quadrado de Pearson e exato de Fisher. Resultados: das mães entrevistadas 96,7% relataram facilidade na aquisição da CSC, 62,7% receberam orientações de como utilizar a CSC e 26% declararam fazer anotações no cartão. Quanto ao preenchimento da CSC, os campos relativos à identificação da criança foram itens com maior percentual de preenchimento. Verificou-se também que 83,3% dos cartões tinham registro da idade da criança . O peso e comprimento ao nascer estavam registrados corretamente em 90 % e 68,7 % dos cartões, respectivamente. Percentuais menores foram observados no preenchimento do perímetro cefálico da criança (56%) e Índice de Apgar (66%). No que se refere às curvas de crescimento, apenas 31,3% e 11,3% das crianças tiveram suas medidas registradas nos gráficos de peso/idade e altura/idade, respectivamente. Observou-se maior probabilidade para o seu preenchimento entre mães com idade ? 25 anos, com maior escolaridade e entre aquelas que receberam informações sobre a utilização da CSC. Conclusão: na população estudada, a CSC não estava sendo utilizada plenamente, pelos profissionais de saúde e pelos pais/responsáveis.

 


Palavras-chave


Nutrição; Enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol11n38.1944