Influência do exercício físico sobre a composição corporal após gastroplastia

Aline Alves da Silva, Raquel Pessoa de Araújo, Luilma Albuquerque Gurgel, Jaina Bezerra de Aguiar

Resumo


Introdução: A gastroplastia aliada ao exercício físico tem sido eficiente para reverter a obesidade e as doenças a esta relacionadas. Objetivo: Avaliar a influência da prática de caminhada sobre o índice de massa corporal, o percentual de gordura e a circunferência da cintura de pacientes submetidos à gastroplastia. Metodologia: Participaram do estudo 20 indivíduos, de ambos os gêneros, com idade entre 21 e 55 anos, submetidos à cirurgia bariátrica com derivação gastrojejunal em Y de Roux (Fobi-Capella). Estes foram divididos em dois grupos, sedentário e praticante de caminhada, e receberam acompanhamento nutricional durante os 3 meses subsequentes à cirurgia. Durante as consultas foram coletados dados de peso e estatura, para cálculo do índice de massa corporal, além de percentual de gordura, calculado por Impedância Bioelétrica, e circunferência da cintura. Resultados: O percentual de redução do índice de massa corporal, do percentual de gordura e da circunferência da cintura foi de 15,68 ± 2,06%; 16,69 ± 3,01% e 13,16 ± 1,65% no grupo praticante e 12,77 ± 1,69%; 10,60 ± 1,69% e 10,54 ± 4,48% no sedentário. A redução do índice de massa corporal e do percentual de gordura foi significativamente maior no grupo praticante. Apenas pacientes do grupo praticante apresentaram melhora na classificação de risco ao final do período do estudo. Conclusão: A evolução antropométrica e de composição corporal dos pacientes que aderiram à prática de caminhada foi satisfatória, sugerindo que a combinação de acompanhamento nutricional e prática de caminhada pode ser eficiente na potencialização dos efeitos da cirurgia.

Palavras-chave


exercício; gastroplastia; composição corporal; obesidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol11n38.1975