GRAU DE ADESÃO DE IDOSOS INTERNADOS EM UM HOSPITAL AO REGIME TERAPÊUTICO PARA HIPERTENSÃO E DIABETES

Alyne Silva Britto, Hellen Cristina de Almeida Abreu, Elizete Aparecida Rubira, Samira Reschetti Marcon, José Roberto Temponi de Oliveira

Resumo


Introdução: Os idosos convivem frequentemente com doenças crônico-degenerativas que podem serprevenidas e controladas por regimes terapêuticos desenvolvidos pela medicina, sendo a eficácia, basicamente,dependente da adesão a eles. Objetivo: Avaliar o grau de adesão dos idosos ao regime terapêutico parahipertensão e diabetes. Método: Pesquisa quantitativa com delineamento transversal. Foram entrevistados 30idosos internados em uma instituição de saúde pública de Cuiabá (MT). Utilizou-se de questionário própriocom informações relativas à identificação dos sujeitos, dados de saúde e doença autorreferidos e relativos àterapêutica, ao grau de adesão ao tratamento medicamentoso (teste de Morisky) e sobre o seguimento deorientações de medidas não farmacológicas. O período de coleta foi de julho de 2011 a janeiro de 2012.Resultados: 80,0% dos idosos internados apresentaram baixo grau de adesão ao tratamento medicamentosoe 86,7% nem sempre seguem as orientações não farmacológicas (dieta apropriada, prática de atividade físicaregularmente, diminuir a ingestão de sódio na dieta e reduzir o consumo bebida alcoólica). Conclusão: Aelevada prevalência de hipertensão e diabetes em idosos e as devastadoras sequelas e consequências atribuídasao inadequado controle destas condições crônicas justificam a prioridade que deve ser dada à estratégiaterapêutica, sendo de vital importância a identificação dos fatores relacionados à não aderência para que sepossa obter resultados mais satisfatórios dos regimes terapêuticos prescritos.

Palavras-chave


Idoso; hipertensão; diabetes mellitus; doença crônica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol13n44.2582

Indexadores: