QUEIXAS MÚSCULO-ESQUELÉTICAS EM MOTOTAXISTAS

Deyse Xavier de Sousa França, Hanne Alves Bakke

Resumo


Introdução: Uma avaliação das posturas adotadas no ambiente de trabalho e das forças envolvidas no decorrer das atividades laborais é de fundamental importância para a saúde do trabalhador, pois, quando inadequadas podem trazer graves consequências e sequelas ao indivíduo, podendo deixá-lo incapacitado de realizar suas funções.

Objetivos: Os objetivos da pesquisa incluem levantar a frequência de queixas musculoesqueléticas, bem como o nível de dor referida e a sua localização, e estudar a relação entre as queixas e fatores relacionados ao trabalho e realizar uma análise biomecânica da atividade dos mototaxistas.

Materiais e Métodos: Foi realizada uma análise biomecânica da atividade dos mototaxistas cadastrados na cidade de Patos utilizando o software de análise biomecânica REBA, um formulário de entrevistas e o esquema corporal de Corlett, realizada com 20 mototaxistas.

Resultados: Os resultados demonstram que esta profissão emprega indivíduos jovens, com baixo nível de escolaridade, que se submetem a jornadas de trabalho prolongadas. A região mais acometida com dor foi a costas. A ocorrência da dor esteve significativamente associada à longas jornadas de trabalho (p=0,01).

Conclusões: Conclui-se que a atividade de mototaxista apresenta riscos biomecânicos, em especial naqueles com maior carga horária, sendo ratificado pelo relato de dor na metade dos trabalhadores entrevistados e pela avaliação pelo método REBA.


Palavras-chave


Sistema musculoesquelético; Trabalhadores; Saúde do Trabalhador;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol13n45.2789

Indexadores: