Avaliação dos efeitos da suplementação com vitaminas E e C sobre os ácinos da glândula parótida de ratos diabéticos crônicos: análise morfológica e quantitativa

Ângela Maria Pereira Alves, Éder Paulo Belato Alves, Josiane Medeiros de Mello, Jacqueline Nelisis Zanoni, Danielle das Neves Bespalhok, Cássio Rafael Moreira, Fernanda Ferrari

Resumo


Em animais e indivíduos diabéticos, são evidentes as alterações na morfofisiologia das glândulas parótidas.Este trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos da suplementação com vitaminas E e C sobre os parâmetrosmorfoquantitativos acinares da glândula parótida de ratos diabéticos induzidos por estreptozootocina.Vinte ratos machos foram distribuídos nos grupos normoglicêmico (N), diabético (D), normoglicêmicosuplementado com vitaminas E e C (NEC) e diabético suplementado com vitaminas E e C (DEC). Aos 210dias de idade, após eutanásia, foi extraída a parótida e foram feitos cortes histológicos submetidos à técnicade coloração HE. Parâmetros fisiológicos, como massa corporal, consumos de água e ração e glicemia dejejum, foram analisados. Quantificaram-se todos os ácinos de 20 imagens. Verificou-se maior densidadeacinar média no grupo NEC (p<0,05) em relação ao grupo N. O mesmo resultado foi observado para ogrupo DEC (p<0,05) em relação ao grupo D. Foi mensurada a área (?m2) de 500 ácinos em cada grupoestudado. Houve redução (p<0,05) na área acinar dos ratos dos grupos D e DEC em relação ao grupo N eNEC. O grupo DEC apresentou maior área acinar média (p<0,05) quando comparado ao grupo D. Comrelação aos parâmetros morfoquantitativos, a suplementação com as vitaminas E e C foi positiva tantopara animais normoglicêmicos quanto para aqueles que apresentavam a condição de diabetes. Contudo,não houve alterações significativas nos parâmetros fisiológicos de ratos com ou sem suplementação com asvitaminas E e C na comparação entre os grupos normoglicêmicos e entre os grupos diabéticos.


Palavras-chave


Glândula parótida, Diabetes mellitus, Vitamina E, Vitamina c, Suplementação em ratos, Ácinos

Texto completo:

Sem título () PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol14n47.3533