A efetividade da terapia manual no tratamento de disfunções temporomandibulares (DTM): uma revisão da literatura

Lúcia de Fátima da Silva Santos, Mayane Carneiro Alves Pereira

Resumo


Introdução: A disfunção temporomandibular (DTM) é uma subclassificação das disfunções musculoesqueléticas e apresenta etiologia indefinida. Seus sintomas mais comuns são a dor orofacial e a diminuição da mobilidade articular da boca, sensações que reduzem a qualidade de vida de seu portador. A fisioterapia surge como um importante método terapêutico, e entre os métodos comumente utilizados existe a terapia manual. Objetivo: Realizar uma revisão da literatura sobre a efetividade das condutas terapêuticas manuais no tratamento da DTM. Materiais e métodos: Realizou-se uma busca nas bases eletrônicas de dados Lilacs, SciELO, Medline e Pubmed, reunindo ensaios clínicos do período de 2004 a 2014 que documentassem as condutas terapêuticas manuais, isoladas ou associadas, utilizadas no tratamento da DTM em adultos. Resultados: Foram revisados onze artigos, referentes à intervenção da terapia manual na DTM, dos quais nove são nacionais e dois internacionais. Os estudos apontaram eficácia da terapia manual no alívio da sintomatologia dolorosa, melhora do padrão de contração da musculatura mastigatória e restauração da mobilidade articular através dos métodos utilizados no tratamento, e relataram que a significância do resultado foi obtida a partir da associação das técnicas manuais a outras terapias, como recursos eletrofísicos e drogas. Conclusões: A partir do estudo, é possível observar que a terapia manual apresenta resultados satisfatórios no tratamento de pacientes com DTM e que a associação da terapia manual com outros recursos terapêuticos potencializa os efeitos obtidos no tratamento desses pacientes, apresentando resultados mais significativos.

 


Referências


Ferreira FV, Ferreira FV, Tabarelli Z, Peroni ABF. Desordens temporomandibulares: uma abordagem fisioterapêutica e odontológica. Stomatos. 2009 jan/jun;15(28):27-37.

Bove SRK, Guimarães AS, Smith RL. Caracterização dos pacientes de um ambulatório de disfunção temporomandibular e dor orofacial. Rev Latinoam Enferm. 2005 set/out;13(5):686-91.

Andrade TNC, Frare JC. Estudo comparativo entre os efeitos de técnicas de terapia manual isolada e associadas à laserterapia de baixa potência sobre a dor em pacientes com disfunção temporomandibular. Rev Gaucha Odontol. 2008 jul/set;56(3):287-95.

Donnarumma MDC, Muzilli CA, Ferreira C, Nemr K. Disfunções temporomandibulares: sinais, sintomas e abordagem multidisciplinar. Rev CEFAC. 2010;12(5):788-794.

Figueiredo VMG, Cavalcanti AL, Farias ABL, Nascimento SR. Prevalência de sinais, sintomas e fatores associados em portadores de disfunção temporomandibular. Acta Scientiarum Health Sciences. 2009;31(2):159-63.

Okeson JP. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4. ed. São Paulo: Artes Médicas; 2000.

Tosato JP, Caria PHF. Prevalência de DTM em diferentes faixas etárias. Rev Gaucha Odontol. 2006 jul/set;54(3):211-24.

Carrara SV, Conti PCR, Barbosa JS. Termo do 1º Consenso em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial. Dental Press J Orthod. 2010 jun;15(3):114-20.

Marzola FT, Marques AP, Marzola C. Contribuição da fisioterapia para a odontologia nas disfunções da articulação temporomandibular. Rev Odonto Ciênc. 2002 abri/jun;17(36):119-34.

Matta MAP. Uma proposta de abordagem fisioterapêutica nas desordens da articulação temporomandibular. Dissertação [Mestrado em Ciências Médicas] – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas; 2002.

Issa JPM, Silva MAMR, Silva AMBR. Recursos fisioterápicos no tratamento das desordens temporomandibulares. Rev Dor. 2005;6(2):567-72.

Grossi DB, Chaves TC. Physiotherapeutic treatment for temporomandibular disorders (TMD). J Braz Oral Sci. 2004;3(10):492-7.

Kalamir A, Pollard H, Vitello AL, Bonello R. Manual therapy for temporomandibular disorders: a review of literature. J Bodyw Mov Ther. 2007;11(1):84-90.

Capellini VK, Souza GS, Faria CRS. Massage therapy in the management of myogenic TMD: a pilot study. J Appl Oral Sci. 2006;14(1):21-6.

Castro FM, Gomes RCV, Salomão JR, Abdon APV. A efetividade da terapia de liberação posicional (TLP) em pacientes portadores de disfunção temporomandibular. Rev Odontol Univ Cid São Paulo. 2006;18(1):67-74.

Tosato JP, Gonzalez DAB, Caria PHF. Efeito da massoterapia e da estimulação elétrica nervosa transcutânea na dor e atividade eletromiográfica de pacientes com disfunção temporomandibular. Fisioter Pesqui. 2007 maio/ago;14(2):21-6.

Kamonseki DH, Fonseca CL, Souza TP, Zamunér AR, Peixoto BO, Yi LC. Efeito imediato da manipulação thrust aplicada na coluna cervical alta sobre a abertura ativa da boca: ensaio clínico randomizado. J Health Sci Inst. 2012;30(3):277-80.

Torres F, Campos LG, Fillipini HF, Weigert KL, Vecchia GFD. Efeitos dos tratamentos fisioterapêutico e odontológico em pacientes com disfunção temporomandibular. Fisioter Mov. 2012 jan/mar;25(1):117-25.

Dias LM, Spinato IL, Vasconcelos TB, Rodrigues DV, Macena RHM, Magalhães CBA, et al. Effects of muscle inhibition technique on relief of masticatory pain in patients with temporomandibular disorders: an experimental study. Conscientiae Saúde. 2013 jun;12(2):298-304.

Nascimento MM, Vasconcelos BC, Porto GG, Ferdinanda G, Nogueira CM, Raimundo RC. Physical therapy and anesthetic blockage for treating temporomandibular disorders: a clinical trial. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2013 Jan;18(1):e81-5.

Gomes CAFP, Hage YE, Amaral AP, Politti F, Biasotto-Gonzalez DA. Effects of massage therapy and occlusal splint therapy on electromyographic activity and the intensity of signs and symptoms in individuals with temporomandibular disorder and sleep bruxism: a randomized clinical trial. Chiropr Man Therap. 2014 Dec;22(1):43.

George JW, Fennema J, Maddox A, Nessler M, Skaggs C. The effect of cervical spine manual therapy on normal mouth opening in asymptomatic subjects. J Chiropr Med. 2007 Spring;6(4):141-5.

Cuccia AM, Caradonna C, Annunziata V, Caradonna D. Osteopathic manual therapy versus conventional conservative therapy in the treatment of temporomandibular disorders: a randomized controlled trial. J Bodyw Mov Ther. 2010 Apr;14(2):179-84.

Mourão NLA, Mesquita VT. A importância da fisioterapia no tratamento das disfunções da ATM. Ter Man. 2006;4(16):552-7.

Warren MP, Fried JL. Temporomandibular disorders and hormones in women. Cells Tissues Organs. 2001;169(3):187-92.

Felício CM, Melchior MO, Ferreira CLP, Silva MA. Otologic symptoms of temporomandibular disorder and effect of orofacial myofunctional therapy. Cranio. 2008 Apr;26(2):118-25.

Felício CM, Melchior MO, Silva MA. Effects of orofacial myofunctional therapy on temporomandibular disorders. Cranio. 2010 Oct;28(4):249-59.

Vasconcelos DA, Maia MRA, Souza MO, Alves JGB, Nascimento JDS, Dantas EHM. Avaliação eletromiográfica e clínica do músculo masseter após manipulação quiropráxica. Rev Inspirar. 2013 mar/abr;5(1):1-6.

Melzack R, Wall P. Pain mechanisms: a new theory. Science. 1965 nov;150(3699):971-9.

Gillespie BR. Assessment and treatment of muscles, fascia, ligaments, and structures. Cranio. 1990 jan;8(1):51-4.

Wright A. Hypoalgesia post-manipulative therapy: a review of potential neurophysiological mechanism. Man Ther. 1995 Nov;1(1):11-6.

Nicolakis P, Erdogmus CB, Kollmitzer J, Kerschan-Schindl K, Sengstbratl M, Nuhr M, et al. Long-term outcome after treatment of temporomandibular joint osteoarthritis with exercise and manual therapy. Cranio. 2002 Jan;20(1):23

Wright A. An evolving understanding of pain relief following Manual Therapy [Paper presented at the proceedings of the 7th Scientific Conference of the IFOMPT; 2000; Perth, Australia].


Texto completo: PDF




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .