PREVALÊNCIA DE INATIVIDADE FÍSICA E FATORES ASSOCIADOS EM BANCÁRIOS PREVALENCE OF PHYSICAL INACTIVITY AND FACTORS ASSOCIATED IN BANK CLERKS

Fabio Luis Ceschini, Juliana Romero, Valquíria de Lima

Resumo


O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de inatividade física no tempo de lazer e os fatores associados
em trabalhadores do ramo bancário. A amostra foi composta por 1.141 funcionários, com idade variando entre 18
e 65 anos (36,3 ± 11,2 anos) de uma empresa do ramo bancário da cidade de São Paulo. Para avaliar a inatividade
física no tempo de lazer, foi utilizado o Ipaq versão curta, sendo que inatividade física foi definida como praticar
qualquer atividade física por um tempo menor do que 150 minutos por semana. Foram coletadas informações
sobre variáveis sociodemográficas, uso de tabaco e variáveis da aptidão física. Para avaliar a inatividade física e os
fatores associados, foi utilizada a regressão de Poisson hierarquizada. A prevalência geral de inatividade física em
bancários foi elevada 72,3% (IC95: 70,6 – 75,8%). Na análise multivariável, foi observada uma associação positiva
entre a prevalência de inatividade física e as mulheres, as maiores faixas etárias, o maior grau de escolaridade, os
maiores valores de índice de massa corporal e o hábito de fumar mais do que dez cigarros por dia. Por outro lado,
foi observada uma associação inversa entre inatividade física e força de preensão manual. Conclui-se que a prevalência
de inatividade física no tempo de lazer foi elevada, demonstrando que esse grupo necessita de estratégias de
intervenção e que o ambiente de trabalho seria uma alternativa importante no combate ao sedentarismo.

Palavras-chave


inatividade física, bancários e intervenção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol5n12.399

Indexadores: