Atribuições do enfermeiro em um programa de atenção domiciliar do Sistema Único de Saúde

Denis Fernandes da Silva Ribeiro, Germana Périssé de Abreu

Resumo


Este trabalho objetiva descrever o funcionamento de um programa de atenção domiciliar vinculado ao Sistema Único de Saúde (SUS) e apontar as atribuições desempenhadas pelo enfermeiro dentro desse programa. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo. O cenário de coleta de dados foi um programa de atenção domiciliar (PAD) do município do Rio de janeiro (RJ), no qual se procedeu levantamento documental e acompanhamento de visitas domiciliares randômicas, utilizando-se da observação sistemática não participante para levantar as atribuições do enfermeiro. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, sob o parecer nº 775.267. A atenção domiciliar no Rio de Janeiro é priorizada aos idosos e funciona desde o ano de 2010 sob o Programa de Atenção Domiciliar do Idoso, com cinco bases distribuídas de forma equânime no município. Nesse cenário, o enfermeiro ocupa cargos assistenciais e de gestão, desenvolvendo a assistência, ações com ênfase ao paciente, a família e o domicílio. Conclui-se que compreender as atribuições do enfermeiro nesse programa contribui para delimitar a atuação profissional com perícia, além de subsidiar a formação e o aperfeiçoamento profissional.

 


Palavras-chave


Serviços de assistência domiciliar, Cuidados de enfermagem, Serviços de saúde para idosos

Texto completo:

PDF

Referências


Moraes EN. Atenção à saúde do idoso: aspectos conceituais.

Brasília: OPAS; 2012.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo

Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE; 2012.

Day CB, Paskulin LMG. Benefícios da atenção domiciliar

ao idoso portador de dano crônico. Rev Enferm UERJ.

;21(3):384-90.

Geib LTC. Determinantes sociais da saúde do idoso social.

Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(1):123-33.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de monitoramento e

avaliação: Programa Melhor em Casa. Brasília: Ministério

da Saúde; 2014.

Brasil. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia. Portaria

nº 963/GM, de 27 de maio de 2013. Redefine a Atenção

Domiciliar no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário

Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília:

Ministério da Saúde, 2013 [citado em 2016 nov 9].

Disponível em: http://coffito.gov.br/nsite/?p=3348.

Brito MJM, Andrade AM, Caçador BS, Freitas LFC, Penna

CMM. Atenção domiciliar na estruturação da rede de atenção

à saúde: trilhando os caminhos da integralidade. Esc

Anna Nery. 2013;17(4):603-10.

Brasil. Ministério da Saúde. Caderno de atenção domiciliar.

Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Andrade AM, Brito MJM, Silva KL, Montenegro LC,

Caçador BS, Freitas LFC. Organização das redes de atenção

à saúde na perspectiva de profissionais da atenção domiciliar.

Rev Gaúcha de Enferm. 2013;34(2):111-7.

Alencar LH, Martins AAA, Noronha FAT, Matias GFS,

Bezerra IMP, Antão JYFL, et al. Assistência de enfermagem

frente aos cuidados domiciliares: a percepção dos profissionais.

Trabalho apresentado no II Congresso – Gestão,

Educação e Promoção da Saúde: CONVIBRA; 24 a 26

de outubro de 2013 [citado em 2016 nov 9]; São Paulo,

SP, Brasil. Disponível em: http://www.convibra.com.br/

upload/paper/2013/71/2013_71_7580.pdf.

Hermann AP, Nascimento JD, Lacerda MR. Especificidades

do cuidado domiciliar apreendidas no processo de formação

profissional do enfermeiro. REME Rev Min Enferm.

;18(3):545-50.

Bôas MLCV, Shimizu HE. Tempo gasto por equipe multiprofissional

em assistência domiciliar: subsídio para dimensionar

pessoal. Acta Paul Enferm. 2015;28(1):32-40.

Silva KL, Sena RR, Silva PM, Souza CG, Martins ACS.

Atuação do enfermeiro nos serviços de atenção domiciliar:

implicações para o processo de formação. Ciênc Cuidado e

Saúde. 2014;13(3):503-10.

Rio de Janeiro. Portal da Prefeitura da Cidade do Rio de

Janeiro. Secretaria Municipal de Saúde – SMS. Programa de

Atenção Domiciliar ao Idoso – PADI. Rio de Janeiro; 2013

[citado em 2016 jan 16]. Disponível em: http://www.rio.

rj.gov.br/web/sms/padi.

Machado ALG, Silva MJ, Freitas CHA. Assistência domiciliária

em saúde: um olhar crítico sobre a produção científica

de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2011;64(2):365-9.

Valle ARMC, Andrade D. Habilidades e atitudes do enfermeiro

na atenção domiciliar: bases para a prevenção dos riscos

de infecção. REME Rev Min Enferm. 2015;19(2):67-78.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol15n52.4054