A PERCEPÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA QUEDAS EM UM GRUPO DE IDOSAS THE PERCEPTION OF THE FACTORS OF RISK FOR FALLS IN A GROUP OF AGED

Rosamaria Rodrigues Garcia, Thaís Andreotti Gelsi, Ana Carolina de Carvalho Sabaté

Resumo


A queda é a principal causa de acidentes em idosos acima de 65 anos e a principal causa de morte na idade avançada. A
incidência de quedas em casa é de 30% a cada ano em indivíduos acima de 75 anos. O objetivo deste estudo foi verificar
a autopercepção dos fatores de risco para quedas em um grupo de idosas. Vinte e duas idosas responderam um
questionário sobre a percepção de fatores de risco para quedas em idosos e sobre a autopercepção para tais fatores de
risco para quedas. Posteriormente, foram realizadas visitas domiciliares para verificar a existência de fatores de risco
extrínsecos no ambiente domiciliar. Verificou-se que 86% das entrevistadas consideraram não possuir problemas de
saúde que provocasse maior propensão para quedas do que outras pessoas da sua idade; 68% afirmaram não evitar a
realização de atividades por medo de cair; 18% acham que a queda não é nem um pouco importante quando comparada
a outras preocupações com a sua saúde; 55% afirmaram que, se tivessem uma queda severa, suas chances de se
machucar seriamente seriam baixas; 100% declararam que a queda em pessoas da sua faixa etária pode ser evitada e
que elas caem porque estão fazendo coisas inseguras ou arriscadas; 91% acham que pessoas da sua idade caem porque
não prestam atenção e 95% caem porque calçadas e ruas têm manutenção precária. Nas visitas domiciliares, constatouse
que 81,8% das casas apresentavam móveis inadequados; 72,7% tinham iluminação precária; 90,9% possuíam tapetes
avulsos e 50% das idosas estavam fazendo uso de calçados impróprios. Concluiu-se que, no grupo estudado, a
autopercepção sobre a probabilidade de queda foi menor, quando comparada com a percepção do risco de queda
para outros idosos. Tais resultados demonstram que estas idosas acreditavam na importância da prevenção dos fatores
de risco, porém não se consideravam suscetíveis a uma queda.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol5n11.415