Avaliação da alimentação escolar e do estado nutricional de adolescentes

Thiécla Katiane Rosales Silva, Gabriela Antunes Camargo, Carla Evelyn Coimbra Nuñez, Catiuscie Cabreira Silva, Cintia Reis Ballard

Resumo


Introdução e objetivo: O estudo objetivou avaliar a composição nutricional da merenda escolar em um colégio da rede estadual de ensino da região Centro-Oeste do Paraná. Materiais e métodos: A avaliação foi realizada por meio da análise dos rótulos dos alimentos utilizados no preparo da merenda escolar, considerando-se a quantificação de calorias totais, gorduras totais, gorduras saturadas e gorduras trans, sendo esses valores comparados com o Programa Nacional de Alimentação Escolar. Adicionalmente, realizou-se a avaliação do estado nutricional de estudantes adolescentes matriculados no período vespertino, por intermédio de técnicas antropométricas, considerando: sexo, idade, peso, estatura e índice de massa corporal. Resultados e discussão: Foram recrutados 154 escolares de ambos os sexos, com média de idade de 12,5 anos (dp±1,16). Entre estes, 66,88% encontravam-se eutróficos e 31,17% estavam com excesso de peso. As médias de consumo diário por aluno de calorias totais, gorduras totais, gorduras saturadas e gorduras trans, foram de: 355,30 kcal/dia, 1,28%, 1,25% e 0,22%, respectivamente. Somente a quantidade calórica estava compatível com os valores de referência da legislação, representando 101,51% de adequação. Conclusão: O excesso de peso observado pode ter sido favorecido pela existência de cantina na escola e hábitos alimentares inadequados. Sendo assim, esses dados apontam que a alimentação escolar deve ser adequada e suprir as necessidades nutricionais, a fim de proporcionar aos estudantes um bom rendimento escolar e que o nutricionista possa atuar adequando a composição da merenda que lhes é oferecida, contribuindo beneficamente com ações de promoção à saúde, bem-estar e desenvolvimento dos adolescentes.


Palavras-chave


Ácidos Graxos Trans, Adolescentes, Alimentação Escolar, Gorduras, Transição Nutricional

Texto completo:

PDF

Referências


Menegazzo M, Fracalossi K, Fernandes A, Medeiros NI. Avaliação qualitativa das preparações do cardápio de centros de educação infantil. Rev Nutr 2011; 24(2):243-51.

Brasil. Resolução RDC n° 38 de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Conselho Deliberativo 2009; 16 julho. [documento da internet] [acessado 2014 ago 13]. Disponível em: http://fnde.gov.br/arquivos/category/60-2012?dowload=57:res038-16072009.

Brasil. Lei nº 11.947 de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Diário Oficial da União 2009; 17 jun.

Abrantes MM, Lamounier JA, Colosimo EA. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes das regiões Sudeste e Nordeste. J Pediatr (RJ) 2002; 78(4) Porto Alegre.

Anjos LA, Castro IRR, Engstrom EM, Azevedo AMF. Crescimento e estado nutricional em amostra probabilística de escolares no Município do Rio de Janeiro, 1999. Cad de Saúde Pública 2003; 19(1) Rio de Janeiro.

Brasil. Resolução RDC n° 38 de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Conselho Deliberativo 2009; 16 julho. [documento da internet] [acessado 2014 ago 13]. Disponível em: http:/www.fnde.gov.br.

ADA - American Dietetic Association. Position of the American Dietetic Association: nutrition guidance for healthy children ages 2-11 years. J Am Diet Assoc 2008; 108(6):1038-1047 Chicago.

Souza JB, Enes CC. Influência do consumo alimentar sobre o estado nutricional de adolescentes de Sorocaba-SP. J Health Sci Inst 2013; 31(1):65-7.

Leal GVS, Philippi ST, Matsudo SMM, Toassa EC. Food intake and meal patterns of adolescents, São Paulo, Brazil. Rev Bras Epidemiol 2010; 13(3):457-67.

Costa AGV, Bressan J, Sabarense CM. Ácidos Graxos Trans: Alimentos e Efeitos na Saúde. Archivos Latinoamericanos de Nutricion – ALAN 2006; 56(1):12-21.

Veiga GV, Cunha AS, Sichieri R. Trends in overweight among adolescents living in the poorest and richest regions of Brazil. Am J Public Health 2004; 94(9):1544-8.

Giuliano ICB, Coutinho MSSA, Freitas SFT, Pires MMS, Zunino JN, Ribeiro RQC. Lípideos séricos em crianças e adolescentes de Florianópolis, SC: Estudo Floripa saudável 2040. Arq Bras Cardiol 2005; 85(2):85-91.

Rosenheck R. Fast food consumption and increased caloric intake: a systematic review of a trajetory towards weight gain and obesity risk. Obesity Reviews, London 2008; 9(6):535-547.

Briefel RR, Crepinsek MK, Cabili C, Wilson A, Gleason PM. School food environments and practices affect dietary behaviors of U.S. public school children. Journal of the American Dietetic Association, Chicago 2009; 109(2):91-107.

Brasil - Ministério da Saúde. Reportagens especiais 2009; [documento da internet] [acessado 2014 out 16]; Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/reportagensEspeciais/.

Hissinaga VM. Desenvolvimento de um método para o controle da utilização de gordura trans no processo produtivo de refeições. Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina; 2009.

World health organization. [homepage na internet]; Geneva: Who. [Atualizada em 2009; acesso em 25 ago. 2014]. Growth reference data for 5-19 years, 2007. Disponível em: http://www.who.int/growthref/en/.

Leme ACB, Philippi ST, Toasse EC. O que os adolescentes preferem: os alimentos da escola ou os alimentos competitivos? Saúde Soc São Paulo 2013; 22(2):456-467.

Carvalho CA, Fonsêca PCA, Oliveira FP, Coelho AA, Arruda SPM. Consumo de energia e macronutrientes no lanche escolar de adolescentes de São Luís, Maranhão, Brasil. Cad. saúde col. 2014; 22(2):212-217.

Bertin LR, Karkle ENL, Ulbrich AZ, Neto AS, Bozza R, Araujo IQ, Campos W. Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes da rede pública de ensino da cidade de São Mateus do Sul, Paraná, Brasil. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant. 2008; 8(4):435-443.

Melão IB. Produtos sustentáveis na alimentação escolar: O PNAE no Paraná. Cad IPARDES 2012; 2(2):87-105.

BRASIL. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Princípios e diretrizes de uma política de segurança alimentar e nutricional: textos de referência da II Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília, DF: CONSEA, 2004.

BRASIL. Lei n.º 11.326 de 24 de julho de 2006. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. 2006; 24 Jul [documento da internet] [acessado 2014 ago 11]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11326.htm.

Triches RM, Schneider S. Alimentação escolar e agricultura familiar: reconectando o consumo à produção. Saúde e Sociedade 2010; 19(4):933-945.

Secretaria de Educação do Estado do Paraná – SEED/PR. Agricultura familiar na merenda escolar ganha destaque nacional. 2013; 03 dez [documento da internet] [acessado 2014 out 16]. Disponível em: http://www.educacao.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=5010.

Batista FM, Rissin A. A transição nutricional no Brasil: tendências regionais e temporais. Cad de Saúde Pública 2003; 19(1):181-191.

Popkin BM. The nutrition transition and obesity in the developing world. J Nutr 2001; 131(3):871-873.

Dantas SD, Sousa RML, Chein MBC, Brito LMO. Prevalência de sobrepeso e obesidade em adolescentes de uma escola particular em Santa Inês-MA. Rev Brasileira de Obesidade, Nutr e Emagrec 2010; 19(4):22-30.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 – Antropometria e Estado Nutricional de Crianças, Adolescentes e Adultos no Brasil. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde/IBGE; 2010.

Souza JB, Enes CC. Influência do consumo alimentar sobre o estado nutricional de adolescentes de Sorocaba-SP. J Health Sci Inst. 2013; 31(1):65-70.

Hoffmann R. Determinantes do consumo da merenda escolar no Brasil: análise dos dados da PNAD de 2004 e 2006. Segurança Alimentar e Nutricional 2012; 19(1): 33-45.

Belik W, Souza LR. Algumas reflexões sobre os programas de alimentação escolar da América Latina. PPP 2009; 33(1):104-122.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol15n51.4278