Avaliando a diluição do hipoclorito de sódio na Estratégia Saúde da Família

Juliana Teixeira Antunes, Josianne Fernanda Carvalho Mendes, Carolina dos Reis Alves

Resumo


Introdução: O hipoclorito de sódio é um composto químico amplamente utilizado na Estratégia Saúde da Família (ESF) para desinfecção de artigos semicríticos, como as máscaras de inaloterapia. Objetivos: Esta pesquisa buscou investigar, quanto à diluição e conservação, as soluções de hipoclorito de sódio utilizadas na ESF de um município. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo transversal com investigação de campo de natureza quantitativo-descritivo-analítica. Os dados foram coletados por meio de um questionário semiestruturado aplicado a sete unidades de saúde ESF. A análise descritiva das respostas ocorreu por meio da interpretação das frequências e medidas de tendência central e de dispersão geradas pelo programa Epi Info 3.5.3. Resultados: Percebeu-se que a diluição do hipoclorito de sódio não é realizada conforme recomendado pela literatura. Na ESF houve variação quanto à quantidade de hipoclorito dispensada para compor a solução desinfetante e o tempo de imersão dos kits de inaloterapia na solução. Conclusões: O resultado da pesquisa nos mostra que é necessário padronizar rotinas e implantar a educação permanente dos profissionais responsáveis pelo reprocessamento dos artigos na ESF.


Palavras-chave


Hipoclorito de Sódio, Desinfecção, Inaladores Dosimetrados

Texto completo:

PDF

Referências


Pereira SSPP, Oliveira HM, Turrini RNT, Lacerda RA. Desinfecção com hipoclorito de sódio em superfícies ambientais hospitalares na redução de contaminação e prevenção de infecção: revisão sistemática. Rev Esc Enferm USP. 2015;49(4):681-8.

Ávila LM, Santos M, Siqueira EL, Nicoletti MA, Bombana AC. Análise das soluções de hipoclorito de sódio utilizadas por endodontistas. Rev Sul-Bras Odontol. 2010;7(4):396-400.

Brasil. Secretaria de Assistência à Saúde. Orientações gerais para Central de Esterilização. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2001.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Epidemiológica. Infecções do trato respiratório: orientações para prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2009.

United States of America. National Center for Infectious Diseases. Guidelines for preventing health-care-associated pneumonia: recommendations of CDC and the Healthcare Infection Control Practices Advisory Committee [Internet]. 2003 [citado em 2009 mar 7]. Disponível em: http://www.cdc.gov/hicpac/pdf/guidelines/HApneu2003guidelines.pdf

Costa LFV, Freitas MIP. Reprocessamento de artigos críticos em unidades básicas de saúde: perfil do operador e ações envolvidas. Rev Bras Enferm. 2009;62(6):811-9.

Marconi MA, Lakatos EM. Fundamentos de metodologia científica. 7ª ed. São Paulo: Atlas; 2010.

Brasil. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Dados sobre estabelecimentos de saúde do município de Bocaiúva. 2011 [citado em 2011 out 10]. Disponível em: http://cnes.datasus.gov.br/

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução nº 196/96 versão 2012. Visa assegurar os direitos e deveres que dizem respeito aos participantes da pesquisa à comunidade científica e ao Estado. 2012 [citado em 2017 mar 27]. Disponível em: http://bit.ly/1AKjtdM

Noronha MGRCS, Lima Filho DL. O agir em saúde da família: as condições existentes e necessárias para a interação e a troca de conhecimentos na prática profissional. Ciênc Saúde Coletiva. 2011;16(3):1745-54.

Ouriques CM, Machado ME. Enfermagem no processo de esterilização de materiais. Texto & Contexto Enferm. 2013;22(3):695-703.

Trindade LL, Pires DEP, Amestoy SC, Forte ECN, Machado FL, Bordignon M. Trabalho na estratégia da saúde da família: implicações nas cargas de trabalho de seus profissionais. Cogitare Enferm. 2014;19(3):528-35.

Morais DC, Neves AB, Lyra ES, Alencar MJS. Colonização bacteriana em próteses dentárias e métodos de higienização. Rev Bras Odontol. 2014;71(2):160-2.

Both JMC, Longaray SM, Avancini CAM. O desinfetante hipoclorito de sódio como barreira sanitária: condições de atividade frente a Staphylococcus aureus isolados em alimentos envolvidos em surtos de toxinfecções alimentares. Rev Inst Adolfo Lutz. 2009;68(2):254-8.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de Prevenção de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. Brasília, DF: Anvisa; 2013.

Morita T, Assumpção RMV. Manual de soluções, reagentes e solventes: padronização, preparação, purificação. 2ª ed. São Paulo: Edgard Blücher; 2007.

Anders PS, Tipple AFV, Pimenta FC. Kits para aerossol em um serviço de saúde: uma análise microbiológica após reprocessamento. Rev Esc Enferm USP. 2008;42(2):276-28.

Fernandes MCP, Backes VMS. Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da Estratégia Saúde da Família sob a óptica de Paulo Freire. Rev Bras Enferm. 2010; 63(4):567-53.

Paina TA, Rodrigues JN, Felippe JC, Nogueira PC, Paiva SMA. Conhecimento de auxiliares de higienização sobre limpeza e desinfecção relacionados à infecção hospitalar. Rev Enferm UFSM. 2015;5(1):121-30.

Guerrero GP, Beccaria LM, Trevizan MA. Procedimento operacional padrão: utilização na assistência de enfermagem em serviços hospitalares. Rev Latinoam Enferm. 2008;16(6).

Borin G, Melo TAF, Oliveira EPM. Análise da estabilidade química da solução de hipoclorito de sódio a 1% levando-se em consideração o local de armazenamento e a quantidade de solução presente no frasco. Rev Sul-Bras Odontol. 2008;5(3):7-12.

Camargo SEA, Blanco TM, Lima RY, Rode SM, Camargo CHR. Avaliação do pH das soluções de hipoclorito de sódio 1% e 2,5% e digluconato de clorexidina 2% em função do tempo. Rev Odontol. 2008;16(31):85-91.




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol15n51.4367

Indexadores: