HUMANIZAÇÃO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: ENFERMEIRA, PACIENTE E FAMÍLIA HUMANIZATION ON INTENSIVE CARE UNIT: MURSE, PACIENT AND FAMILY

Cleide de Lima Carlos, Conceição de Maria Cristal Rodrigues, Gilmara de Farias Souza

Resumo


Humanização na unidade de terapia intensiva (UTI) tem
sido uma grande preocupação por parte dos profissionais
da saúde com intuito de oferecer uma assistência com
qualidade. Assim, este estudo consiste de uma pesquisa
que buscou explorar a humanização na unidade de terapia
intensiva: enfermeira, paciente e família, com o objetivo
de identificar as dificuldades do enfermeiro que trabalha
na unidade de terapia intensiva em relação à permanência
de familiares junto ao paciente hospitalizado, e avaliar o
conhecimento da enfermeira sobre assistência humanizada
dentro da unidade de terapia intensiva. Para a coleta e
análise dos dados, utilizou-se um questionário: o instrumento
foi aplicado a 21 enfermeiras que trabalham na
UTI em um hospital privado contendo 25 leitos.
Concluímos que a maioria das enfermeiras que trabalham na UTI – 52,38% – apresentam alguma dificuldade com a
permanência dos familiares junto aos pacientes, sendo
que 42,86% apresentam problemas relacionados à
incompreensão dos familiares quanto aos horários de
procedimentos, visitas passagens de plantões, e 9,52%
referiram incompreensão da equipe multiprofissional que
presta assistência nas diferentes situações que envolvem
a dinâmica dessa assistência.
Consideramos satisfatório o conhecimento das enfermeiras
em relação à assistência humanizada dentro da UTI,
pois a maioria referiu ter conhecimento e empregabilidade
da assistência humanizada.

Palavras-chave


humanização, enfermeira, paciente, família

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol2n3.475

Indexadores: