ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO DO TRABALHO NA REDUÇÃO DE RISCOS BIOLÓGICOS NO ÂMBITO HOSPITALAR

Claudemir Santos de Jesus, Izabella dos Santos Pinto, Joyce Leandro Benevenuto dos Reis, Joyce Fernandes, Rafael dos Santos, Edvânia Santos Soares

Resumo


Introdução: A equipe de enfermagem está exposta aos acidentes com materiais biológicos no ambiente hospitalar, o que ressalta a importância das capacitações e atenção nos procedimentos e ações dos profissionais. Objetivo: Analisar a atuação do enfermeiro do trabalho para a redução do risco biológico no âmbito hospitalar. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa, com abordagem qualitativa descritiva, com a questão de pesquisa: Qual a atuação do enfermeiro do trabalho para a redução do risco biológico no âmbito hospitalar? Resultados: A pesquisa obteve como resultado 14 artigos, que evidenciaram a necessidade de implementar a educação permanente, com foco nas práticas reflexivas, para centralizar os treinamentos pontuais a fim de que o trabalhador obtenha as instruções de como proceder no cotidiano. Conclusão: O enfermeiro do trabalho contribui significativamente no âmbito hospitalar ao desenvolver ações de medidas de segurança, detecção, minimização dos riscos ocupacionais e agravos biológicos, aos quais estão expostos os profissionais de enfermagem durante a assistência.

Referências


Balsamo AC, Barrientos DS, Rossi JCB. Estudo retrospectivo dos acidentes de trabalho com exposição a líquidos corporais humanos ocorridos nos funcionários de um hospital universitário. Rev Med HU-USP. 2000;10(1):39-45.

Canini SRMS, Gir E, Hayashida M, Machado AA. Acidentes perfurocortantes entre trabalhadores de enfermagem de um hospital universitário do interior paulista. Rev Lat Am Enfermagem. 2002;10(2):172-8.

Marziale MHP, Nishimura KYN, Ferreira MM. Riscos de contaminação ocasionados por acidentes de trabalho com material pérfuro-cortante entre trabalhadores de enfermagem. Rev Lat Am Enfermagem. 2004;12(1):36-42.

Buschinelli JT. Manual de orientação sobre controle médico ocupacional da exposição a substâncias químicas. São Paulo: Fundacentro; 2014.

Goiás. Secretaria de Estado da Saúde. Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar. Programa de prevenção e assistência ao acidente profissional com material biológico. Goiânia: Secretaria de Estado da Saúde; 2003.

Garner JS. Hospital infection control practices advisory committee. Guideline for isolation precautions in hospitals. Infect Control Hosp Epidemiol. 1996;17(1):53-80.

Nakatani, AYK. Processo de enfermagem: uma proposta de ensino através da pedagogia da problematização. Rev Eletr Enf. 2002;4(2):53-45.

Baggio MCF, Marziale MHP. A participação da enfermeira do trabalho no programa de conservação auditiva. Rev Lat Am Enfermagem. 2001;9(5):97-9.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Integrative review: what is it? How to do it? Einstein (São Paulo). 2010;8(1):102-6.

Silva PLN, Carvalho LM, Mendonça JMG, Gonçalves RPF, Souto SGT, Torres MR. Análise dos acidentes de trabalho na equipe de enfermagem: uma revisão integrativa. Rev Fundam Care. 2016;8(4):5163-76.

Silva FFA, Farias HNCF, Costa RHS, Souza NL, Carvalho JBL, Silva RAR. Riscos de acidentes com materiais perfurocortantes no setor de urgência de um hospital público. Rev Fundam Care. 2016;8(4):5074-9.

Donatelli S, Vilela RAG, Almeida IM, Lopes MGR. Acidente com material biológico: uma abordagem a partir da análise das atividades de trabalho. Saude Soc. 2015;24(4):1257-72.

Albuquerque SGE, Castro RD, Ferreira GLS, Oliveira KL. Fatores de risco à segurança do enfermeiro na unidade de terapia intensiva de um hospital geral. Rev Bras Ciên Saúde. 2015;19(2):135-42.

Andrade AL, Silva MZ, Netto MT. Clima de Segurança no Trabalho Hospitalar: adaptação de medida (ClimaSeg-H). Aval Psicol. 2015;14(2):261-71.

Morais EM, Fontana RT. A unidade dialítica como um cenário de exposição a riscos. Rev Fundam Care. 2014;6(2):539-49.

Loro MM, Zeitoune RCG, Guido LA, Silva RM, Kolankiewicz ACB. Riscos ocupacionais e a saúde do trabalhador de enfermagem – buscando evidências. Rev Fundam Care. 2014; 6(4):1610-21.

Julio RS, Filardi MBS, Marziale MHP. Acidentes de trabalho com material biológico ocorridos em municípios de Minas Gerais. Rev Bras Enferm. 2014;67(1):119-26.

Barboza GV, Cortez EA, Valente GSC. O enfermeiro do trabalho na identificação dos riscos ocupacionais em medicina hiperbárica. Rev Pesqui Cuid Fundam. 2014;6(1):320-32.

Nowak NL, Campos GA, Borba EO, Ulbricht L, Neves EB. Fatores de risco para acidentes com materiais perfurocortantes. O Mundo da Saúde. 2013;37(4):419-26.

Machado MRM, Machado FA. Acidentes com material biológico em trabalhadores de enfermagem do Hospital Geral de Palmas (TO). Rev Bras Saúde Ocup. 2011;36(124):274-81.

Oliveira JM, Santos PF, Feliciano RG, Assis MM, Cortez EA, Valente GSC. Riscos e doenças ocupacionais do docente universitário de enfermagem: implicações na saúde do trabalhador. Rev. Pesqui Cuid Fundam. 2013;5(1):3267-75.

Santos SS, Costa NA, Mascarenhas MDM. Caracterização das exposições ocupacionais a material biológico entre trabalhadores de hospitais no município de Teresina, estado do Piauí, Brasil, 2007 a 2011. Epidemiol Serv Saude. 2013;22(1): 165-70.

Espindola MCG, Fontana RT. Riscos ocupacionais e mecanismos de autocuidado do trabalhador de um centro de material e esterilização. Rev Gaucha Enferm. 2012;33(1):116:23.


Texto completo: PDF




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .