FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA ABDOMINAL ALTA: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Daísa Carla Bezerra Silva, Luciano Santos da Silva Filho

Resumo


Introdução: A fisioterapia respiratória é uma alternativa terapêutica que atua tanto na prevenção quanto no tratamento de complicações pulmonares pós-operatórias e objetiva um restabelecimento precoce da função pulmonar. Objetivos: Debater sobre as informações mais recentes, em literaturas específicas, acerca da fisioterapia respiratória no pós-operatório de cirurgia abdominal alta, bem como confrontar e expor opiniões de diversos autores e estudos. Materiais e métodos: Caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica do tipo descritiva, baseada em coleta de dados feita entre janeiro de 2017 e março de 2017. O levantamento bibliográfico foi composto a partir do acesso às bases de dados SciElo, PubMed, LILACS, Bireme, BVS e FIEP Bulletin. O critério de inclusão foi a seleção de estudos que abordavam a temática em questão (como ensaios clínicos) até o ano de 2017. Já os critérios de exclusão foram: artigos publicados antes de 2005; com foco em treinamento pré-operatório; com direcionamento exclusivo para a avaliação de volumes pulmonares; que tratavam apenas das CPP decorrentes das cirurgias abdominais alta; e que fossem estudos de revisão. Resultados: Dos estudos encontrados, seis abordaram a espirometria de incentivo, quatro trataram da cinesioterapia respiratória convencional, três apresentaram a ventilação mecânica (um pelo método invasivo e os outros dois pela máscara de pressão expiratória positiva) e sete examinaram a fisioterapia respiratória de maneira generalizada. Conclusão: Com este estudo foi possível discutir as principais técnicas de fisioterapia respiratória utilizadas no pós-operatório de cirurgia abdominal alta, entretanto, não foi possível eleger uma terapia que fosse essencial para o tratamento. Por outro lado, todos os estudos ressaltam a importância da fisioterapia para redução ou prevenção de complicações pulmonares.


Palavras-chave


Reabilitação; cuidados pós-operatórios; exercícios respiratórios

Texto completo:

PDF

Referências


Martins FS. Complicações pulmonares pós-operatórias de cirurgias abdominais altas e abordagem fisioterapêutica [monografia]. –Tubarão (SC): Universidade do Sul de Santa Catarina; 2005.

Boden I, Browning L, Skinner EH, Reeve J, El-Ansary D, Robertson IK, et al. The LIPPSMAck POP (Lung Infection Prevention Post Surgery – Major Abdominal – with Pre-Operative Physiotherapy) trial: study protocol for a multi-centre randomised controlled trial. Trials. 2015;16(1):573.

Arruda KA, Cantaneo DC, Cataneo AJM. Surgical risk tests related to cardiopulmonar postoperative complications. Comparison between upper abdominal and thoracic surgery. Acta Cir Bras. 2013;28(6):458-66.

Forgiarini Júnior LA, Carvalho AT, Ferreira TS, Monteiro MB, Dal Bosco A, Gonçalves MP, et al. Atendimento fisioterapêutico no pós-operatório imediato de pacientes submetidos à cirurgia abdominal. J Bras Pneumol. 2009;35(5):455-59.

Dias CM, Plácido TR, Ferreira MFB, Guimarães FS, Menezes SLS. Inspirometria de incentivo e breath stacking: repercussões sobre a capacidade inspiratória em indivíduos submetidos à cirurgia abdominal. Rev Bras Fisioter. 2008;12(2):94-9.

Kumar AS, Alaparthi GK, Augustine AJ, Pazhyaottayil ZC, Ramakrishna A, Krishnakumar SK. Comparison of flow and volume incentive spirometry on pulmonary function and exercise tolerance in open abdominal surgery: a randomized clinical trial. J Clin Diagn Res. 2016;10(1):1-6.

Sarmento LF, Pinto V. Fisioterapia e as complicações pulmonares no pós-operatório de esofagectomia: uma revisão integrativa da literatura. Assobrafir Ciência, 2014;5(3):63-80.

Andreollo NA, Lopes LR, Coelho Neto JS. Complicações pós-operatórias após gastrectomia total no câncer gástrico: análise de 300 doentes. Arq. Bras. Cir. Dig. 2011;24(2):126-30.

Caobianco JDR, Souza Filho CM, Bittencourt WS, Salicio MA, Salício VAMM. Estudo de revisão sobre o tempo de recuperação da função respiratória em pacientes submetidos à Cirurgia Abdominal Alta. Uniciências. 2010;14(2):287-301.

Silva FA, Lopes TM, Duarte J, Medeiros RF. Tratamento fisioterapêutico no pós-operatório de laparotomia. J Health Sci Inst. 2010;28(4):341-4.

Santos A. Influência do treino dos músculos inspiratórios na capacidade ventilatória no período pós-operatório de colecistectomia laparoscópica [monografia]. Porto (Portugal): Universidade Fernando Pessoa; 2011.

Santos CA, Rabelo BAS, Borges DL, Silva MGB, Silva TM. Avaliação da força muscular respiratória de pacientes submetidos à colecistectomia videolaparoscópica. Assobrafir Ciência. 2016;7(1):35-42.

Lunardi AC, Miranda CS, Silva KM, Cecconello I, Carvalho CRF. Weakness of expiratory muscles and pulmonary complications in malnourished patients undergoing upper abdominal surgery. Respirology. 2012;17(1):108-13.

Paisani DM, Chiavegato LD, Faresin SM. Volumes, capacidades pulmonares e força muscular respiratória no pós-operatório de gastroplastia. J Bras Pneumol. 2005;31(2):125-32.

Sakai RL, Abrão GMG, Ayres JFV, Vianna PTG, Carvalho LR, Castiglia YMM. Prognostic factors for perioperative pulmonar events among patients undergoing upper abdominal surgery. Sao Paulo Med J. 2007;125(6):315-21.

Filardo FA, Faresin SM, Fernandes ALG. Validade de um índice prognóstico para ocorrência de complicações pulmonares no pós-operatório de cirurgia abdominal alta. Rev Assoc Med Bras. 2002; 48(3):209-16.

Tomich GM, França DC, Diniz MTC, Britto RR, Sampaio RF, Parreira VF. Efeitos de exercícios respiratórios sobre o padrão respiratório e movimento toracoabdominal após gastroplastia. J Bras Pneumol. 2010;36(2):197-204.

Treschan TA, Kaisers W, Schaefer MS, Bastin B, Schmalz U, Wania V, et al. Ventilation with low tidal volumes during upper abdominal surgery does not improve postoperative lung function. Br J Anaesth. 2012;109(2):263-71.

Grams ST, Ono LM, Noronha MA, Schivinski CIS, Paulin E. Breathing exercises in upper abdominal surgery: a systematic review and meta-analysis. Rev Bras Fisioter. 2012;16(5):345-53.

Cangussu DDD. Avaliação de volumes, capacidade e força muscular respiratória em pacientes submetidos à cirurgia abdominal alta eletiva [dissertação]. Brasília, DF: Universidade Católica de Brasília; 2006.

Ueda H, Hoshi T. Aumento da capacidade residual funcional durante cirurgia laparoscópica com elevação da parede abdominal. Rev Bras Anestesiol. 2017;67(3):284-7.

Manzano RM, Carvalho CRF, Saraiva-Romanholo BM, Vieira JE. Chest physiotherapy during immediate postoperative period among patients undergoing upper abdominal surgery: randomized clinical trial. São Paulo Med J. 2008; 126(5):269-73.

Fernandes SCS, Santos RS, Giovanetti EA, Taniguchi C, Silva CSM, Eid RAC, et al. Impacto da fisioterapia respiratória na capacidade vital e na funcionalidade de pacientes submetidos à cirurgia abdominal. Einstein (São Paulo). 2016;14(2):202-7.

Barbalho-Moulim MC, Miguel GPS, Forti EMP, Costa D. Comparação entre inspirometria de incentivo e pressão positiva expiratória na função pulmonar após cirurgia bariátrica. Fisioterapia e Pesquisa. 2009;16(2):166-72.

Chinali C, Busatto HG, Mortari DM, Rockenbach CWF, Leguisamo CP. Inspirometria de incentivo orientada a fluxo e padrões ventilatórios em pacientes submetidos a cirurgia abdominal alta. Conscientiae Saúde. 2009;8(2):203-10.

Trevisan ME, Soares JC, Rondinel TZ. Efeitos de duas técnicas de incentivo respiratório na mobilidade toracoabdominal após cirurgia abdominal alta. Fisioterapia e Pesquisa. 2010;17(4):322-6.

Hanekom SD, Brooks D, Denehy L, Fagevik-Olsén M, Hardcastle TC, Manie S, et al. Reaching consensus on the physiotherapeutic management of patients following upper abdominal surgery: a pragmatic approach to interpret equivocal evidence. BMC Med Inform Decis Mak. 2012;12(1):5.

Gastaldi AC, Magalhães CMB, Baraúna MA, Silva EMC, Souza HCD. Benefícios da cinesioterapia respiratória no pós-operatório de colecistectomia laparoscópica. Rev Bras Fisioter. 2008;12(2):100-6.

Ribeiro S, Gastaldi AC, Fernandes C. The effect of respiratory kinesiotherapy in patients undergoing upper abdominal surgery. Einstein. 2008;6(2):166-9.

Possa SS, Amador BA, Costa AM, Sakamoto ET, Kondo CS, Vasconcellos ALM, et al. Implementation of a guideline for physical therapy in the postoperative period of upper abdominal surgery reduces the incidence of atelectasis and length of hospital stay. Rev Port Pneumol. 2014;20(2):69-77.

Zancan M, Fozza FC. Fisioterapia no pré e pós-operatório de cirurgia abdominal e torácica. EFDeportes. 2013;18(179):1.

Zhang XY, Wang Q, Zhang S, Tan W, Wang Z, Li J. The use of a modified, oscillating positive expiratory pressure device reduced fever and length of hospital stay in patients after thoracic and upper abdominal surgery: a randomised trial. J Physiother. 2015;61(1):16-20.

Yağlıoğlu H, Köksal GM, Erbabacan E, Ekici B. Comparison and evaluation of the effects of administration of postoperative non-invasive mechanical ventilation methods (CPAP and BiPAP) on respiratory mechanics and gas exchange in patients undergoing abdominal surgery. Turk J Anaesthesiol Reanim. 2015;43(4):246-52.

Smith PR, Baig MA, Brito V, Bader F, Bergman MI, Alfonso A. Postoperative pulmonary complications after laparotomy. Respiration. 2010;80(4):269-74.

Joia Neto L, Thomson JC, Cardoso JR. Complicações respiratórias no pós-operatório de cirurgias eletivas e de urgência e emergência em um Hospital Universitário. J Bras Pneumol. 2005;31(1):41-7.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol16n55.4854