ERROS EM RECEITAS DE CONTROLE ESPECIAL E NOTIFICAÇÕES DE RECEITA PRESCRITAS POR PROFISSIONAIS NÃO MÉDICOS

Rebeca Santos Cardoso, Ionara Vieira Rocha da Mota, Lucas Brasileiro Lemos, Paulo Henrique Ribeiro Fernandes Almeida, Mário Borges Rosa, Gisele da Silveira Lemos

Resumo


Introdução: Cirurgiões dentistas e médicos-veterinários são legalmente habilitados a prescrever medicamentos sob controle especial com indicação dentro de suas áreas de atuação. No entanto, existe uma lacuna de estudos que descrevam a completude de prescrições realizadas por profissionais não médicos conforme legislações, normas sanitárias e éticas estabelecidas no Brasil. Objetivo: Avaliar erros de prescrição em notificações de receita e receitas brancas de medicamentos sujeitos a controle especial pela Portaria 344/1998, as quais tenham sido realizadas por profissionais não médicos, cirurgiões-dentistas e médicos-veterinários. Metodologia: Estudo transversal, realizado com base em análise documental de prescrições arquivadas em uma farmácia comunitária de um município no estado da Bahia, com aplicação de um formulário padronizado. Os softwares EpiData 3.1 e SPSS 21.0 auxiliaram na tabulação e análise dos dados, descritos em frequência absoluta e relativa e com média e desvio padrão. O nível de significância adotado foi 5%. Resultados: Foram analisadas 235 prescrições, das quais 67,7% (159) foram realizadas por cirurgiões-dentistas e 32,3% (76) por médicos-veterinários. A associação paracetamol com codeína predominou em 69,8% das receitas de cirurgiões-dentistas, e os antiepilépticos prevaleceram em 75% das receitas de médicos-veterinários. Houve um total de 1.529 erros de prescrição entre médicos-veterinários e cirurgiões-dentistas, com média superior para os médicos-veterinários. Conclusão: Realizar prescrições com dados completos evita erros e promove uma adequada e segura terapêutica para a população usuária.


Referências


Terada ASSD, Ortiz AG, Leite NLP, Scandiuzzi RJ, Silva RHA. Conhecimento dos cirurgiões-dentistas do município de Ribeirão Preto sobre prescrição medicamentosa. Arq Ciênc Saúde. 2012;19(4):123-7.

Arrais PSD, Barreto ML, Coelho HLL. Aspectos dos processos de prescrição e dispensação de medicamentos na percepção do paciente: estudo de base populacional em Fortaleza, Ceará, Brasil. Cad Saúde Pública. 2007;23(4):927-37.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Portaria nº 344, de 12 de maio de 1998. Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Brasília, DF; 1998.

Mota IVR, Nascimento LES, Cardoso RA, Lemos LB, Lemos GS. Medicamentos sob controle especial: uma análise dos erros de medicação e indicadores de prescrição. Rev Eletrônica Farm. 2016;13(1):45-54.

Silva ERB, Bandeira VAC, Oliveira KR. Avaliação das prescrições dispensadas em uma farmácia comunitária no município de São Luiz Gonzaga, RS. Rev Ciênc Farm Básica. 2012;33(2):255-81.

Melo GC, Sousa LMG, Bispo FCL, Firmo WCA. Conhecimento de clientes e análise de prescrições médicas de substância da lista C1 de uma drogaria do município de Santa Inês, Maranhão, Brasil. InterfacEHS. 2015;10(2):83-94.

Souza SSS, Pinheiro MTRS, Almeida PHRF, Lemos LB, Lemos GS. Sibutramina: falhas e incompletude de documentos na prescrição e dispensação. Rev Aten Saúde. 2017;15(51):23-33.

Matta SR, Miranda ES, Osorio-de-Castro CGS. Prescrição e dispensação de medicamentos psicoativos nos instrumentos normativos da regulação sanitária brasileira: implicações para o uso racional de medicamentos. Rev Bras Farm. 2011;92(1):33-41.

Rosa MB, Perini E, Anacleto TA, Neiva HM, Bogutchi T. Erros na prescrição hospitalar de medicamentos potencialmente perigosos. Rev Saúde Pública. 2009;43(3):490-8.

Batista SRS, Andrade RO, Oliveira FA, Carmo GM, Lopes, FM. Análise das qualidades das prescrições médicas dispensadas em drogarias do interior de Goiás: um risco à saúde do paciente. Ens Ciênc. 2014;16(6):91-103.

Noto AR, Carlini EA, Mastroianni PC, Alves VC, Galduróz JCF, Kuroiwa W, et al. Análise da prescrição e dispensação de medicamentos psicotrópicos em dois municípios do Estado de São Paulo. Rev Bras Psiquiatr. 2012;24(2):68-73.

Lima TAM, Gouveia MIS, Pereira LLV, Godoy MF. Erros de prescrições médicas em drogaria. Infarma. 2016;28(1):16-21

Spinosa HS, Górniak SL, Bernardi MM. Farmacologia aplicada à Medicina Veterinária. 5ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2011.

Ceresia ML, Fasser CE, Rush JE, Scheife RT, Orcutt CJ, Michalski DL, et al. The role and education of the veterinary pharmacist. Am J Pharm Educ. 2009;73(1):1-9.

Marmitt GF. Prescrição de medicamentos para tratamento da dor por cirurgiões dentistas vinculados a uma faculdade de Odontologia [monografia]. Porto Alegre (RS): Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2010 [citado em 2016 set 5]. Disponível em: .

Toms L, et al. Single dose oral paracetamol (acetaminophen) with codeine for postoperative pain in adults. Cochrane Database Syst Rev. 2009;(1):CD001547.

Santini MF. Comparação entre duas associações de analgésicos não opioides e opioides no controle dador do abscesso dentoalveolar agudo em evolução: um ensaio clinico randomizado [doutorado]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2015 [citado em 2017 jun 5]. Disponível em: .

Borbolato RM, Ambiel CR. Neuralgia do trigêmeo: aspectos importantes na clínica odontológica. Saúde Pesqui. 2009;2(2):201-8.

Hersh EV, Balasubramaniam R, Andres P. Pharmacologic management of temporomandibular disorders. Oral Maxillofacial Surg Clin North Am. 2008;20(2):197-210.

Melo GM. Terapia farmacológica em disfunções temporomandibulares: uma breve revisão. Rev Dent On Line. 2011;10(21):35-40.

Oliveira MC, Aleixo RQ, Rodrigues MTV. Uso de benzodiazepínicos em cirurgia bucomaxilofacial. Saber Cient. 2010;1(1):53-67.

Costa SANL, Castro RD, Oliveira JA, Cardoso ANS. Prescrição medicamentosa: análise sobre o conhecimento dos futuros cirurgiões-dentistas. Rev Bras Odontol. 2013;70(2):172-7.

Souza GFM, Silva KFFB, Brito ARM. Prescrição medicamentosa em Odontologia: normas e condutas. Cad Saúde Colet. 2011;19(2):208-14

Mastroianni PC. Análise dos aspectos legais das prescrições de medicamentos. Rev Ciênc Farm Básica e Apl. 2009;30(2):173-76

Mendes VZ, Aragão CCV, Sabino W. Análise das características de legibilidade da prescrição de medicamentos e o perfil farmacoterapêutico de pacientes hipertensos. Rev Aten Saúde. 2015;13(44):46-51

Nicoletti MA, Fukushima AR. Seguimento farmacoterapêutico direcionado aos animais domésticos: seria viável? Infarma. 2014;26(4):246-50.

Weber D, Bueno CS, Oliveira KR. Análise das prescrições medicamentosas de um hospital de pequeno porte do noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Rev Ciênc Farm Básica Apl. 2012;33(1):139-45

Guzatto P, Bueno D. Análise de prescrições medicamentosas dispensadas na farmácia de uma unidade básica de saúde de Porto Alegre, RS. Rev HCPA. 2007;27(3):20-6.

Azevedo LS, Pereira LJ, Zangerônimo MG, Sousa RV, Murgas LDS, Marques LS, et al. Avaliação da adequação legal de receitas e notificações de receita de medicamentos sujeitos a controle especial dos setores públicos e privados. Rev Ciênc Farm Básica Apl. 2011;32(3):401-17.


Texto completo: PDF




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .