Fatores favoráveis ao pé diabético em usuários de uma unidade de atenção primária à saúde

Lilian Cristiane Gomes, Autran José da Silva Júnior

Resumo


Introdução: o pé diabético é uma das complicações mais assustadoras e onerosas do diabetes mellitus e algumas características sociodemográficas e clínicas têm sido apontadas como fatores de risco para esta síndrome. Objetivo: analisar as características sociodemográficas e clínicas favoráveis às complicações nos pés de pessoas com diabetes mellitus. Material e Método: estudo transversal e descritivo, a partir de dados secundários. A coleta dos dados foi realizada por meio da consulta aos prontuários de 14 usuários, atendidos em uma unidade de atenção primária à saúde, no interior de Minas Gerais, e que tiveram os seus pés examinados durante as consultas na unidade ou em visitas domiciliares, no período de agosto a dezembro de 2015. Resultados: evidenciou-se um perfil característico para o pé em risco, caracterizado por idade avançada, longo tempo de doença e alterações decorrentes do comprometimento sensório-motor e vascular, tais como a ausência de sensibilidade protetora tátil plantar (85,7%) e pulsos diminuídos ou não palpáveis (28,6%). Conclusão: ressalta-se a importância de incluir o exame dos pés/ calçados e orientações ao autocuidado nas consultas de rotina para a prevenção do pé diabético.

 


Palavras-chave


Diabetes Mellitus; Pé Diabético; Cuidados de Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2015-2016. São Paulo: A.C. Farmacêutica; 2016.

Pedrosa HC, Vilar L, Boulton AJM. Neuropatias e pé diabético. São Paulo: AC Farmacêutica; 2014.

Neves J et al. O pé diabético com infecção aguda: tratamento no Serviço de Urgência

em Portugal. Rev. Port. Cir. 2013; 27:19-36.

Boell JEW, Ribeiro RM, Silva DMGV. Fatores de risco para o desencadeamento do pé diabético. Rev. Eletrônica Enferm. 2014; 16(2):386-93.

Santos ICRV, Carvalho EF, Sousa WV, Albuquerque EC. Fatores associados a amputações por pé diabético. J. Vasc. Bras. 2015; 14(1):37-45.

Parisi MCR et al. Baseline characteristics and risk factors for ulcer, amputation and severe neuropathy in diabetic foot at risk: the BRAZUPA study. Diabetol. Metab. Syndr. 2016; 8:25.

American Diabetes Association. Microvascular complications and foot care. Diabetes Care. 2017; 40(Suppl. 1):S88–S98.

Caiafa JS, Castro AA, Fidélis C, Santos VP, Silva ES, Sitrângulo Jr. CJ. Atenção integral ao portador de Pé Diabético. J. Vasc. Bras. 2011; 10(4):1-32, Suplemento 2.

Boulton AJM et al. Comprehensive foot examination and risk assessment. Diabetes Care. 2008; 31(8):1679-85.

Rocha RM, Zanetti ML, Santos MA. Comportamento e conhecimento: fundamentos para prevenção do pé diabético. Acta Paul. Enferm. 2009;22(1):17-23.

Carvalho RDP, Carvalho CDP, Martins DA. Aplicação dos cuidados com os pés entre portadores de diabetes mellitus. Cogitare Enferm. 2010; 15(1):106-9.

Cortez DN, Reis IA, Souza DAS, Macedo MML, Torres HC. Complicações e o tempo de diagnóstico do diabetes mellitus na atenção primária. Acta Paul. Enferm. 2015;28(3):250-55.

Zavala AV, Braver D . Semiologia do pé: prevenção primária e secundaria do pé diabético. Diab. Clínica. 2000; 4:137-44.

Singh N, Armstrong DG, Lipsky BA. Preventing foot ulcers in patients with diabetes. J. Am. Med. Assoc. 2005; 293(2):214-28.

Marques MB, Silva MJ, Coutinho JFV, Lopes MVO. Avaliação da competência de idosos diabéticos para o autocuidado. Rev. Esc. Enferm. USP. 2013; 47(2):415-20.

Bortoletto MSS, Haddad MCL, Karino ME. Pé diabético, uma avaliação sistematizada. Arq. Ciênc. Saúde Unipar. 2009; 13(1):37-43.

Andrade NHS et al. Pacientes com diabetes mellitus: cuidados e prevenção do pé diabético em atenção primária à saúde. Rev. Enferm. UERJ. 2010; 18(4):616-21.

Audi EG, Moreira RC, Moreira ACMG, Pinheiro EFC, Mantovani MF, Araújo AG. Avaliação dos pés e classificação do risco para pé diabético: contribuições da Enfermagem. Cogitare Enferm. 2011; 16(2):240-6.

Cubas MR et al. Pé diabético: orientações e conhecimento sobre cuidados preventivos. Fisioter. Mov. 2013; 26(3):647-55.

Grupo de Trabalho Internacional sobre Pé Diabético. Consenso Internacional Sobre Pé Diabético. Brasília: Secretaria do Estado de Saúde do Distrito Federal; 2001.

Schaper NC, Van Netten JJ, Apelqvist J, Lipsky BA, Bakker K, on behalf of the International Working Group on the Diabetic Foot (IWGDF). Prevention and management of foot problems in diabetes: a summary guidance for daily practice 2015, based on the IWGDF Guidance Documents. Diabetes Res. Clin. Pract. 2016; 124:84-92.

Frykberg RG, Zgonis T, Armstrong DG, Driver VR, Giurini JM, Kravitz SR, et al. Diabetic foot disorders: a clinical practice guideline. J. Foot Ankle Surg. 2006 Sep-Oct;45(5):S1-S66.

Ochoa-Vigo K, Pace AE. Pé diabético: estratégias para prevenção. Acta Paul. Enferm. 2005;18(1):100-09.

Ochoa-Vigo K, Pace AE. Prevenção de complicações nos pés de pessoas com diabetes mellitus: proposta de cuidado. Rev. Med. Hered. 2009;20(2):77-88.

Crawford F, Inkster M, Kleijnen J, Fahey T. Predicting foot ulcers in patients with diabetes: a systematic review and meta-analysis. Q. J. Med. 2007; 100:65–86.

Martin IS, Beraldo AA, Passeri SM, Foss-Freitas MC, Pace AE. Causas referidas para o desenvolvimento de úlceras em pés de pessoas com diabetes mellitus. Acta Paul. Enferm. 2012;25(2):218-24.

Pinheiro HA, Pereira CA, Gomes EB, Ferreira GM, Carvalho GA. Teste de monofilamento não identifica idosos com neuropatia diabética. Geriatr. Gerontol. Aging. 2015; 9(3):81-5.

Feijão AR, Galvão MTG. Ações de educação em saúde na atenção primária: revelando métodos, técnicas e bases teóricas. RENE. 2007; 8(2):41-9.

Nettles AT. Patient education in the hospital. Diabetes Spectr. 2005; 18(1):44-8.

Feuerwerker L. Modelos tecnoassistenciais, gestão e organização do trabalho em saúde: nada é indiferente no processo de luta para a consolidação do SUS. Interface comun. saúde educ. 2005; 9(18):489-506.

Silva SF. Organização de redes regionalizadas e integradas de atenção à saúde: desafios do Sistema Único de Saúde (Brasil). Ciênc. Saúde Coletiva. 2011; 16(6):2753-62.

Albuquerque PC, Stotz EN. A educação popular na atenção básica à saúde no município: em busca da integralidade. Interface: Comunicação, Saúde, Educação. 2004; 8(15):259-74.

Machado MFAS, Monteiro EMLM, Queiroz DT, Vieira NFC, Barroso MGT. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS - uma revisão conceitual. Ciênc. Saúde Coletiva. 2007; 12(2):335-42.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol16n57.4943