EPIDEMIOLOGIA DO CÂNCER DE PÂNCREAS NA REGIÃO SUL DO BRASIL: ESTUDO DA BASE DE DADOS DO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (DATASUS)

Eduardo Ottobelli Chielle, Victor Antônio Kuiava

Resumo


Objetivo: A neoplasia de pâncreas está entre um grupo de tumores que se caracterizam por elevada mortalidade, com prognóstico metastático e incurável, de modo que o conhecimento de sua epidemiologia é de suma importância para caracterização de medidas de intervenção. Nesse sentido, este estudo procurou descrever o perfil epidemiológico dos pacientes diagnosticados com câncer de pâncreas na região Sul do Brasil. Materiais e métodos: Foi realizado um estudo de agregado temporal com dados obtidos no Datasus dos três estados da região Sul do Brasil, durante os anos de 2010 a 2016. Verificou-se dados como sexo, idade, incidência por capital e estado. Resultados: Observouse um aumento progressivo nos casos de neoplasia pancreática entre os anos analisados, passando de 1.387 em 2010 para 2.459 em 2016. A maior incidência está em homens, em pacientes com idade acima de 60 anos, e o estado com maior número de casos é o Rio Grande do Sul, seguido por Paraná e Santa Catarina, que apresentaram, respectivamente, 9.64, 7.62 e 6.02 casos por 100.000 habitantes no ano de 2016. Conclusão: Destaca-se um aumento vertiginoso nos últimos anos de casos de neoplasia de pâncreas na região Sul do Brasil. A maior incidência está no estado do Rio Grande do Sul, supostamente associada ao hábito diário de fumar. Os dados apresentados tornam-se de fundamental importância porque podem auxiliar a nortear medidas preventivas de saúde pública em relação a esse aumento de neoplasia e enaltecer as campanhas contra o tabagismo.


Referências


REFERÊNCIAS

American Cancer Society. Pancreatic cancer detailed guide. 2015:1-63. http://www.cancer.org/cancer/pancreaticcancer/detailedguide/pancreatic-cancer-what-is-pancreatic-cancer.

Castillo CF. Clinical manifestations , diagnosis , and staging of exocrine pancreatic cancer. UpToDate. 2017:1-57. https://www.uptodate.com/contents/clinical-manifestations-diagnosis-and-staging-of-exocrine-pancreatic-cancer?source=search_result&search=cancer+de+pancreas&selectedTitle=1~150.

Castillo CF, Jimenez RE, Steer ML. Overview of surgery in the treatment of exocrine pancreatic cancer and prognosis. UpToDate. 2017:1-16. https://www.uptodate.com/contents/overview-of-surgery-in-the-treatment-of-exocrine-pancreatic-cancer-and-prognosis?source=search_result&search=cancer+de+pancreas&selectedTitle=3~150.

Castillo CF, Jimenez RE. Epidemiology and nonfamilial risk factors for exocrine pancreatic cancer ? UpToDate. 2016:1-10. http://www.uptodate.com/contents/epidemiology-and-nonfamilial-risk-factors-for-exocrine-pancreatic-cancer.

Silva CSHA da, Lucas SFLM, Nakatsu É, et al. Adenocarcinoma de Pâncreas Em Paciente Jovem : Relato de Caso Young Patient with Adenocarcinoma of Pancreas : Case Report. Arquivos Médicos dos hospitais e da faculdade de ciências médicas da Santa Casa de São Paulo 56, 36-39 (2011). doi:56(1):36-9.

Pollock RE, Doroshow JH, Khayat D, Nakao A, O’Sullivan B. Manual de Oncologia Clínica Da UICC. 8th ed. (Pollock RE, ed.). New Jersey; 2006.

De la Cruz M, Young AP, Ruffin MZT. Diagnosis and management of pancreatic cancer. Am Acad Fam Physicians. 2014;89(8):626-632. doi:10.1503/cmaj.121368.

Rodríguez JIL. Patogénesis del cáncer de páncreas Pathogenesis of pancreatic cancer. Rev Col Gastroenterol. 2008;23:391-399. www.gastrocol.org.

De Braud F, Cascinu S, Gatta G. Cancer of pancreas. Crit Rev Oncol Hematol. 2004;50(2):147-155. doi:10.1016/S1040-8428(03)00156-2.

Chamhum De Almeida JR, De Lima Pedrosa N, Leite JB, Fleming TR do P, Carvalho VH De, Cardoso A de AA. Marcadores Tumorais: Revisão de Literatura. Rev Bras Cancerol. 2007;53:305-316.

Kanji ZS, Gallinger S. Diagnosis and management of pancreatic cancer. CMAJ. 2013;185(14):1219-1226. doi:10.1503/cmaj.121368.

Hermes H, Lamarca I. Cuidados paliativos: uma abordagem a partir das categorias profissionais de saúde. Rev Ciência Saúde Coletiva. 2013;18(9):2577-2588. doi:10.1590/S1413-81232013000900012.

Rose ALJ. Pancreatic Cancer Guidelines. Medscape. 2015:1. http://emedicine.medscape.com/article/2246978?overview.

Simoes PK, Olson SH, Saldia A, Kurtz RC. Epidemiology of pancreatic adenocarcinoma. 2017;6(2):1-9. doi:10.21037/cco.2017.06.32.

Fonseca A da, Rego M. Tendência da Mortalidade por Câncer de Pâncreas em Salvador - Brasil, 1980 a 2012. Rev Bras Cancerol. 2016;62(1):9-16.

Hruban RH, Goggins M, Parsons J, Kern SE. Progression Model for Pancreatic Cancer Progression Model for Pancreatic Cancer 1. 2000;6(August):2969-2972.

Foster AD, Sivarapatna A, Gress RE. The aging immune system and its relationship with cancer. Aging health. 2011;7(5):707-718. doi:10.2217/ahe.11.56.

IBGE. Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios - Tabagismo (2008). Rio de Janeiro: INCA; 2009. www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/publicacoes/tabagismo.pdf.


Texto completo: PDF




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .