AVALIAÇÃO NUTRICIONAL, CONSUMO ALIMENTAR E PERCEPÇÃO DE HÁBITOS SAUDÁVEIS ENTRE ESCOLARES DE 10 A 14 ANOS

Gilvana Maria Ferreira da Silva, Thiécla Katiane Rosales Silva, Angélica Rocha de Freitas Melhem, Catiuscie Cabreira da Silva Tortorella

Resumo


Objetivo: Avaliar o estado nutricional, consumo alimentar e a percepção de hábitos saudáveis entre escolares de 10 a 14 anos, matriculados em uma escola pública e em uma particular no município de Guarapuava-Pr. Métodos: Foi aplicado questionário socioeconômico, realizada avaliação do índice de massa corporal (IMC) por idade, estatura para idade (E/I), circunferência da cintura (CC), avaliação do consumo alimentar por meio do questionário de frequência, aplicado questionário de percepção de hábitos saudáveis (QPHAS). Resultados: A média de idade foi de 11,42 + 1,13 anos. Entre os avaliados 36,8% obtinham renda de dois a cinco salários. Em relação a análise antropométrica, 66,3% estavam com o IMC/I adequado, 15,8% com sobrepeso e 17,9% com obesidade; quanto a estatura/idade, 92,6% estavam adequados. E a circunferência da cintura estava elevada em 40% dos avaliados. O consumo alimentar estava abaixo do recomendado em relação à ingestão de frutas (84,2%), hortaliças (50,9%), leites e derivados (64,2%) e elevado o consumo de açúcares e óleos (88,4%). O consumo dos cereais encontrava-se adequado em (51,6%). Em relação à percepção, nota-se- boa percepção quanto à alimentação saudável em 30,5%, quanto ao controle de peso 32,65%, e atividade física em 42,1%. Quando associado as variáveis do estado nutricional com a percepção de alimentação saudável, controle de peso, atividade física, não houve diferença significativa. Conclusão: O estado nutricional dos estudantes em sua maioria estava adequado. No entanto, apesar deste resultado favorável, observou-se um elevado percentual de escolares com excesso de peso e um baixo consumo de frutas, hortaliças, leites e derivados e insuficiente percepção sobre hábitos saudáveis.

Palavras chaves: adolescente, comportamento, alimentação escolar.

Palavras-chave


adolescente, comportamento, alimentação escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


Moura NGCV, kanamura HY, Rodrigues AM. Estado nutricional de escolares da rede de ensino de um município do Vale do Paraíba do Sul, SP. Rev. Ciênc. Hum. 2014; 7(1): 87-103

Botelho LP, Zanirati VF, Paula DVD, Lopes ACS, Santos LCD Promoção da alimentação saudável para escolares: aprendizados e percepções de um grupo operativo. Rev. da Soc. Bras. Aliment. Nutr. 2010; 35(2): 103-116.

Castro DMD, Veloso DL, Carmo DCFS, Priore SE, Insegurança alimentar e indicadores antropométricos, dietéticos e sociais em estudos brasileiros: uma revisão sistemática. Rev. Ciênc. Saúde Colet. 2014; 19(5): 19147-1488.

Lanes DVC, dos Santos MET, Silva EFDSJ, Lanes KG, Puntel RL, Folmer V. Estratégias Lúdicas para a construção de hábitos alimentares saudáveis na educação infantil. Rev. Ciênc. Ideias ISSN. 2012; 4(1): 2176-1477.

Malta DC, szwarcwald CL. Estilos de vida e doenças crônicas não transmissíveis da população brasileira de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde: balanço dos principais resultados. São Paulo Jornal Medico 2015; 133(4): 286-289.

Izzo P, Vieira RLD, Novello D, Saldon PC, D'agostini, L. Diabetes mellitus: experiência de crianças e adolescentes em relação à sua alimentação no ambiente escolar. Rev. Universidade Vale do Rio Verde. 2013; 11(2):156-170

World Health Organization (Organização Mundial da Saúde). Physical status: Uso e Interpretação da Antrometria. Geneva: Série de Relatórios Técnicos. 2007; (854): 35. Disponível em: < http://www.who.int/growthref/en/ >

Pedraza DF, de Menezes TN. Questionários de Frequência de Consumo Alimentar desenvolvidos e validados para população do Brasil: revisão da literatura. Rev. Ciênc. Saúde Colet. 2015; 20(9): 2697-2720.

Leal Greisse VDS, Philippi ST, Matsudo SMM, Toassa EC. Consumo alimentar e padrão de refeições de adolescentes, São Paulo, Brasil. Rev. Bras. Epidemiol. 2010; 13(3): 457-467.

Guedes DP, Grondin LMV. Percepção de hábitos saudáveis por adolescentes: associação com indicadores alimentares, prática de atividade física e controle de peso corporal. Bras. Ciênc. Esporte. 2002; 24(1): 23-45.

Silva JGD, Teixeira MLDO, Ferreira MDA. Comer durante a adolescência e suas relações com a saúde do adolescente. Rev. Texto Contexto Enferm. Florianópolis. 2014; 23(4): 1095 – 1103.

Oliveira AP, Bássoli DOAA, Netto OER, Anjos AMD, Rinaldi W. Estado nutricional de crianças de 6 a 10 anos do em Cruzeiro do Oeste–PR. Rev. Bras. Fortaleza. 2011; 24(4): 1-7.

Rivera, Juan Ángel et al. Childhood and adolescent overweight and obesity in Latin America: a systematic review. The lancet Diabetes & endocrinology. 2014; 2(4): 321-332.

Casonatto J, Ohara D, Christofaro DGD, Fernandes RA, Milanez V, Dias DF, Freitas JI, Oliveira AR. Pressão arterial elevada e obesidade abdominal em adolescentes. Rev Paul Pediatr. 2011;29(4):567-71.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2016:

Pereira VGS, da Silva CLA, de Souza MO, Neves CVB. Hábitos alimentares e sua relação com nível de renda entre adolescentes. HU Rev. 2015; 40(3 e 4).

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2010.

Pegolo GE, Silva MV. Consumo de energia e nutrientes e a adesão ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) por escolares de um município paulista. Segur Aliment Nutr. 2010;17(2):50-62.

Silva CCD, Bakovicz L, Gatti, RR., Silva TKR, Nuñez CEC. Percepção dos adolescentes sobre hábitos e alimentação saudáveis. Adolesc. Saúde (Online). 2016; 13(1): 7-15.

Silva DCDA, Frazão, ISD, Osório, MM, de Vasconcelos, MGLD. Percepção de adolescentes sobre a prática de alimentação saudável. Ciênc. Saúde Colet. 2015; 20(11): 3299-3308.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol16n57.5215