INTERVENÇÃO DO MÉTODO PILATES EM IDOSOS NO BRASIL: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Thaís Mota Figueiredo, Laila Cristina Moreira Damázio

Resumo


RESUMO


Introdução: O método Pilates tem sido considerado um sistema de exercício que visa à melhoria da flexibilidade, resistência física, força, equilíbrio e coordenação motora. Desta forma, muitos idosos têm procurado o método em busca dessa melhoria ou manutenção da saúde. O método Pilates encontra-se bastante difundido no Brasil, sendo uma das técnicas utilizadas pelos fisioterapeutas no tratamento de diversas disfunções na população idosa. Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar os aspectos relacionados ao uso do método pilates em idosos no Brasil. Métodos: A revisão sistemática foi feita nas bases de dados Scielo, Lilacs/Bireme, Medline/Bireme, Index Psicologia/Bireme e Pedro a partir dos descritores Pilates method, elderly, aging, physiotherapy. Os critérios de inclusão foram artigos originais de origem brasileira com populações adultas (? 60 anos), sem restrição ao ano de publicação e idiomas português, inglês ou espanhol, textos completos disponíveis. Resultados: A presente revisão sistematizada demonstrou que o método Pilates pode ser indicado para a população idosa promovendo muitos benefícios à saúde. A maioria dos estudos brasileiros mencionou que o tempo da sessão deverá ser de sessenta minutos e que o método pilates seja aplicado duas vezes por semana. Conclusões: Este estudo demonstra que o Pilates pode ser um método eficaz para o fisioterapeuta na prevenção e tratamento das desordens geriátricas, apresentando vários benefícios e alguns cuidados ao realizá-lo; como, os exercícios devem ocorrer de forma progressiva, sempre respeitando os princípios do método e a evolução dos praticantes.


Palavras-chave


Método Pilates. Idosos. Envelhecimento. Fisioterapia.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

Ageing and Life Course. World Health Organization [Internet]. 2016. [acesso em 2018 fev. 3]. Disponível em: http://www.who.int/topics/ageing/em.

Queiroz LCS, et al. Efeito da prática do Pilates Solo na massa muscular de mulheres idosas. Rev Rene. 2016 set./out.; 17(5): 618-25.

Ferreira LR, et al. Avaliação dos níveis de depressão em idosos praticantes de diferentes exercícios físicos. Rev ConScientiae Saúde. 2014;13(3):405-410.

Pestana MDS et al. Pilates versus resistance exercise on the serum levels of hs-CRP, in the abdominal circumference and body mass index (BMI) in elderly individuals. Rev Motricidade. 2016 jan./mar.; 12(1): 128-140.

Rodrigues BGS et al. Autonomia funcional de idosas praticantes de Pilates. Rev Fisioter Pesq. 2010 out./dez.; 17(4): 300-5.

Tozim BM et al. Efeito do método Pilates na flexibilidade, qualidade de vida e nível de dor em idosos. Rev ConScientiae Saúde. 2014 dez.; 13(4): 563-570.

Curi VS et al. Effects of 16-weeks of Pilates on health perception and sleep quality amongelderly women. Archives of Gerontology and Geriatrics. 2018; 74: 118–122.

Silva ACLG, Mannrich G. Pilates na reabilitação: uma revisão sistemática. Rev Fisioter Mov. 2009 jul./set.; 22(3): 449-455.

Costa LMR et al. Os Efeitos do Método Pilates Aplicado à População Idosa: Uma Revisão Integrativa. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2016 ago.; 19(4): 695-702.

Dantas R et al. Fatores motivacionais de idosos praticantes do método Pilates. Rev Bras Promoç Saúde. 2015 abr./jun.;28(2): 251-256.

Lopes EDS, Ruas G, Patrizzi LJ. Efeitos de exercícios do método Pilates na força muscular respiratória de idosas: um ensaio clínico. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2014 set.; 17(3): 517-523.

Anderson BD, Spector A. Introduction to Pilates-Based Rehabilitation. Balanced Body. 2005: 1-8.

Souza DC et al. Efeitos de um Programa de Pilates sobre o equilíbrio de suas praticantes no período pós-menopausa. Rev Kairós Gerontol. 2013 mar.; 16(2): 39-49.

Correa CS et al. Effects of high and low volume of strength training on muscle strength, muscle volume and lipid profile in postmenopausal women. Journal of Exercice Science & Fitness. 2014; 12: 62-67.

Sampaio RF, Mancini MC. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev Bras Fisioter. 2007 jan./fev.; 11(1): 83-89.

Rodrigues BGS et al. Avaliação do equilíbrio estático de idosas pós-treinamento com método pilates. Rev Bras Ci Mov. 2009 jan./mar.; 17(4): 25-33.

Oliveira LC et al. Pilates increases isokinetic muscular strength of the elbow flexor and extensor muscles of older women: a randomized controlled clinical trial. Journal of Bodywork and Movement Therapies. 2017 jan.; 21(1): 2-10.

Nascimento MM et al. Programa Interdisciplinar “PAF & PAPP”: Concepções Metodológicas para a atenção e o cuidado ao idoso e a formação acadêmica. Rev Ciênc & Saúde Coletiva. 2002; 7(4): 899-906.

Mesquita LSA et al. Effects of two exercise protocols on postural balance of elderly women: a randomized controlled trial. BCM Geriatrics. 2015 june.; 2(15): 61.

Pinheiro KRG et al. Influence of pilates exercises on soil stabilization in lumbar muscles in older adults. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2014 sept.; 16(6): 648-657.

Duarte DS, Sousa CA, Nunes CRO. Effect of Pilates method and conversation circles on the health of older adults. Rev Fisioter Mov. 2017 mar.; 30(1): 39-48.

Guimarães ACA et al. The effect of Pilates method on elderly flexibility. Rev Fisioter Mov. 2014 jun.; 27(2): 181-188.

Navega MT et al. Effect of the Mat Pilates method on postural balance and thoracic hyperkyphosis among elderly women: a randomized controlled trial. Revi Bras Geriatr Gerontol. 2016 june.; 19(3): 465-472.

Silveira NDR, Lodovici FMM, Bitelli FSPG. Atividades educacionais participativas e seus efeitos benéficos na vida, pessoal e social, de pessoas idosas — caso da Faculdade da Idade da Razão (FIR/FIG/ UNIMESP). Rev Kairós Gerontol. 2013 set.; 16(3): 325-343.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol16n57.5220