CONHECIMENTO DA ENFERMAGEM SOBRE A PREVENÇÃO DA PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA NUM HOSPITAL PÚBLICO

Danuse Legal, Keren Dias Duarte Medeiros, arlene laurenti monterrosa ayala

Resumo


A Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica é uma complicação frequente nos internados em Unidade de Terapia Intensiva, principalmente pelo prolongado período de uso do tubo endotraqueal em ventilação mecânica. Objetivou-se neste estudo avaliar o conhecimento da equipe de enfermagem sobre o protocolo de prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica em um hospital público do nordeste do estado de Santa Catarina no ano de 2017. É um estudo descritivo, conduzido em um Centro de Terapia Intensiva com 61 profissionais de enfermagem. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário semiestruturado, com questões relacionadas às características socioeconômicas e o conhecimento dos profissionais sobre o protocolo de prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica. A maioria dos investigados tinha idade entre 30 a 39 anos, trabalhava de 1 a 5 anos no setor, e era do sexo feminino. Dentre estes, 77% declararam ter conhecimento sobre o protocolo. As atividades mais lembradas foram a cabeceira elevada a 30 graus, a aspiração do tubo endotraqueal, a higiene oral, mensuração do cuff e o uso de materiais estéreis como cuidados para prevenção da patologia. Os resultados obtidos apontaram que os profissionais em sua maioria conhecem o protocolo. A pesquisa confirmou a necessidade de avaliação sistemática do cuidado, que envolve além dos processos educativos, questões relacionadas à supervisão e ao gerenciamento do cuidado.



Palavras-chave


Terapia intensiva, Cuidados de enfermagem, Fatores de risco.

Texto completo:

PDF

Referências


Dalmora CR, Deutschendorf C, Nagel F, Santos RP, Lisboa T. Definindo pneumonia associada à ventilação mecânica: um conceito em (des) construção. Rev. Bras. de Terapia Intensiva, 2013; 25(2):81-86..

Gonçalves FAF, Brasil VV, Minamisava R, Caixeta CR, Cordeiro JABL, Oliveira LMAC. Eficácia de estratégias educativas para ações preventivas da pneumonia associada à ventilação mecânica. Esc. Anna Nery, [Internet]. 2012 Dez [acesso 2018 Abr 01]; 16(4): 802-808. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v16n4/23.pdf.

Nepomuceno RM, Miranda CB, Nogueira C, Silva LCF, Silva LD. Fatores de Risco Modificáveis para Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica em Terapia Intensiva. Rev. Epidemiológica de controle de infecções. [Internet]. 2014 Jan/Mar. [acesso 2018 Mar 01]; 4(1):23-27. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/epidemiologia/article/view/3933.

Silva SG, Nascimento ERP, Salles RK. Pneumonia associada à ventilação mecânica: discursos de profissionais acerca da prevenção. Esc. Anna Nery Rev. de Enferm. [Internet]. 2014 Jun [acesso 2018 Mar 12]; 18(2):290-295. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v18n2/1414-8145-ean-18-02-0290.pdf.

Mota EC, Oliveira SP, Silveira BRM, Silva PLN, Oliveira AC. Incidência da pneumonia associada à ventilação mecânica em unidade de terapia intensiva. Medicina (Ribeirão Preto, Online.). [Internet]. 2017 [acesso 2017 Dez 2017]; 50(1): 39-46. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br.

Gonçalves FAF, Brasil VV, Ribeiro LCM, Tipple AFV. Ações de enfermagem na profilaxia da pneumonia associada à ventilação mecânica. Acta Paulista de Enferm., [Internet]. 2012 [acesso 2017 Nov 12]; 25( spe1 ): 101-107. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010321002012000800016&lng=en&nrm=iso.

Silva SG, Nascimento ERP, Salles RK. Blundle de prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica: uma construção coletiva. Texto e Contexto Enfermagem. [Internet]. 2012 Dez [acesso 2018 Fev 21]; 21( 4 ): 837-844. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n4/14.pdf.

Lima CSP, Barbosa SFF. Ocorrência de eventos adversos como indicadores de qualidade assistencial em unidade de terapia intensiva. Rev. de Enferm. UERJ, [Internet]. 2015 Mar/Abr [acesso 2018 Fev 19]; 23(2): 222-228. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v23n2/v23n2a13.pdf.

Paranhos R, Figueiredo Filho DB, Rocha EC, Silva Júnior JA, Freitas D. Uma introdução aos métodos mistos. [Internet]. 2016 [acesso 2017 Out 2017]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/v18n42/1517-4522-soc-18-42-00384.pdf.

Trevisan GS, Vieira GCG, Brida RL. Pneumonia associada à ventilação mecânica: o conhecimento dos profissionais de enfermagem no processo de prevenção. Revista UNINGÁ, [Internet]. 2016 Abr/Jun [acesso 2017 Nov 20]; 26(3): 28-34. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1804/1410.

Santos EB. Parada e Reanimação Cardiopulmonar em Criança: atuação da equipe de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica em hospital público de Vitória da Conquista – Bahia. Id on Line Rev. Mult. Psic., [Internet]. 2017 [acesso 2017 Nov 13]; 11(39). Disponível em: http://idonline.emnuvens.com.br/id.

Minuzzi AP, Salum NC, Locks MOH, Amante LN, Matos E. Contribuições da equipe de saúde visando à promoção da segurança do paciente no cuidado intensivo. Esc. Anna Nery, [Internet]. 2016 Mar [acesso 2018 Fev 01]; 20(1): 121-129. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160017.

Mattos TC, Ribeiro AC. Dimensionamento De Pessoal De Enfermagem Em Uti-Neonatal De Hospital Público Federal De Ensino. Cogitare Enferm., [Internet] 2011 Jul/Set [acesso 2017 Nov 17]; 16(3): 455-462. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/cogitare/article/viewFile/24221/16230.

Matos IB, Toassi RFC, Oliveira MC. Profissões e ocupações de saúde e o processo de feminização: tendências e implicações. Ath Digital, [Internet] 2013 [acesso 2017 Nov 02]; 13(2): 239-244. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/118035/000894801.pdf?sequence=1.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº 7, de 24 de fevereiro de 2010. Dispõe sobre os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva e dá outras providências. [acesso 2017 Nov 04]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0007_24_02_2010.html.

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN n° 0543/2017. Atualiza e estabelece parâmetros para o dimensionamento do quadro de profissional de enfermagem nos serviços/locais onde são realizadas atividades de enfermagem. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 abr. 2017. [acesso 2017 Out 2017]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/wp-content/uploads/2017/05/Resolu%C3%A7%C3%A3o-543-17-completa.pdf.

Gonçalves LA, Andolhe R, Oliveira EM, Barbosa RL, Faro ACM, Gallotti RMD, Padilha KG. Alocação da equipe de enfermagem e ocorrência de eventos adversos/incidentes em unidade de terapia intensiva. Rev. Esc. Enferm. USP, [Internet]. 2012 Out [acesso 2018 Mar 01]; 46(spe): 71-77. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000700011.

Almeida KMV, Barros OMC, Santos GJC, Valença MP, Cavalcanti ATA, Ferreira KO. Adesão às medidas de prevenção para pneumonia associada à ventilação mecânica. Rev. Enferm., [Internet]. 2015 [acesso 2017 Nov 17]; 5(2): 247-250, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/15411/pdf.

Favretto DO, Silveira MRCCP, Canini SRMS, Garbin LM, Martins FTM, Dalri MCB. Aspiração endotraqueal em pacientes adultos com via aérea artificial: revisão sistemática. Rev. Latino-Am. Enfermagem, [Internet]. 2012 Set/Out [acesso 2017 Nov 21]; 20(5): 997-1007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010411692012000500023&script=sci_arttext&tlng=pt.

José JD, Lúcio DS, Perugini MRP, Stipp AT, Silva LMF, Perugini VH, Capobiango JD. Prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica em neonatologia. J Infect Control, 2015. 41(1):20-24.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol16n57.5261