PREVALÊNCIA DE PARASITOSES INTESTINAIS EM USUÁRIOS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO, SANTA CRUZ-RN, BRASIL

Ericlebson Cleyton da Silva Lima, Heloisa Mara Batista Fernandes Oliveira, Carlos Marcio Ponce Leon, Vanessa Santos de Arruda Barbosa

Resumo


Introdução: Enteroparasitas são helmintos e protozoários que atingem o trato intestinal causando infecções denominadas enteroparasitoses. Tais parasitos podem provocar diversos transtornos ao hospedeiro. O presente trabalho objetivou determinar a prevalência das enteroparasitoses em usuários do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Universitário Ana Bezerra em Santa Cruz-RN. Metodologia: O estudo foi do tipo retrospectivo documental, no qual usou-se o banco de dados do CompLab do período de julho/2016 a julho/2017. Foram coletados os resultados dos laudos dos exames parasitológicos de fezes e variáveis epidemiológicas como: sexo, idade e área de residência. Foi utilizado o teste qui-quadrado (χ2) e foi aceito p<0,05, estatisticamente significativo. Os dados foram analisados no software SPSS. Resultados: De 3.480 laudos, 32,4% eram positivos para enteroparasitos e/ou enterocomensais. Dentre os positivos (1.129), 75,5% estavam monoparasitados e 24,5% bi/poliparasitados. As espécies mais prevalentes entre os monoparasitados foram Endolimax nana (76,2%) e Giardia lamblia (12,2%). A associação parasitária mais prevalente foi Entamoeba coli + Endolimax nana (52,8%). Dentre os positivos prevaleceu o sexo feminino (63,5%), faixa etária de 20-59 anos (44,5%) e os residentes de zona urbana (77,8%). No entanto não foi encontrada associação estatisticamente significativa entre essas variáveis. Infecções por Giardia prevaleceram em crianças (54,8%). Nos adultos (20-59 anos) prevaleceram as infecções por Entamoeba histolytica/E.dispar (44,4%) e os casos de bi/poliparasitismo (48,7%). Conclusão: Os resultados indicam necessidade de implantação de medidas profiláticas eficazes e ações educacionais principalmente nos grupos mais expostos a essas infecções.


Palavras-chave


Epidemiologia; Doenças Parasitárias; Diagnóstico Laboratorial.

Texto completo:

PDF

Referências


Basso RMC, Silva-Ribeiro RT, Soligo DS, Ribacki SI, Callegari-Jacques SM, Zoppas BCA. Evolução da prevalência de parasitoses intestinais em escolares em Caxias do Sul, RS. Rev Soc Bras Med Trop. 2008; 41(3): 263-268.

Menezes VFP, Medeiros NS, Carolini D. Prevalência de enteroparasitoses em escolares: Uma revisão do perfil encontrado em diferentes regiões do Brasil. Rev Bras Multidisc. 2012; 15(2):7-18.

Uchoa CMA, Albuquerque MC, Carvalho FM, Falcão AO, Silva P, Bastos OMP. Parasitismo Intestinal em crianças e funcionários de creches comunitárias na cidade de Niterói- RJ, Brasil. Rev Patol Trop. 2009; 38(4):267-278.

Andrade EC, Leite ICG, Oliveira Rodrigues V, Cesca MG. Parasitoses intestinais: Uma revisão sobre seus aspectos sociais, epidemiológicos, clínicos e terapêuticos. Rev APS. 2010; 13(02):231–240.

Pittner E, Moraes IF, Sanches HF, Trincaus MR, Raimondo ML, Monteiro MCM. Enteroparasitoses em crianças de uma comunidade escolar na cidade de Guarapuava/PR. Rev Salus. 2007; 1(1):97-100.

Santiago AC, Gagliane, LH. Estudo da prevalência de enteroparasitas em areia de praia no município de São Vicente – SP – Brasil. Rev UNILUS Ens Pesq. 2011; 8(15):5-19.

Barbosa LA, Sampaio ALA, Melo ALA, Macedo APN, Machado MFAS. A educação em saúde como instrumento na prevenção de parasitoses. Rev Bras Promo Saúde. 2009, 22(4):272-278.

Coradi ST. Epidemiologia das parasitoses intestinais e caracterização genotípica de isolados de Giardia duodenalis de escolares do município de Pratânia, estado de São Paulo. 2010. 138 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina de Botucatu, 2010.

EBSERH. Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Hospital Universitário Ana Bezerra - Estrutura Assistencial. Disponível em: http://www2.ebserh.gov.br/web/huab-ufrn/nossa-historia. Acesso em: 09 de abr. 2018.

Silva FS, Paulo ADC, Braga CMM, Almeida RJ, Galvão VP. Frequência de parasitos intestinais no município de Chapadinha, Maranhão, Brasil. Rev Patol Trop. 2010, 39(1):63-68.

Oliveira CHB. Frequencia de enteroparasitoses em usuários do serviço público de saúde na Mesorregião do Oeste Potiguar. 2013. 47 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.

Lima EQ, Santos MT, Siqueira RR, Medeiros Filho F, Pontes Filho RN. Prevalence of intestinal parasites in the human population of the city Santa Luzia – State of Paraíba, Brazil. J Parasitol Vector Biol. 2016, 8(9):86-91.

Lodo M, Oliveira CGB, Fonseca ALA, Caputto LZ, Packer MLT, Valentin VE, Fonseca FLA. Prevalência de Enteroparasitoses em Município do Interior Paulista. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum. 2010, 20(3):769- 777.

Ferraz RRN, Barnabé AS, Porcy C, D’eça Júnior A, Feitosa T, Figueiredo PM. Intestinal parasitosys and reduced Gini index in Macapá (AP) and Timon (MA), Brazil. Cad Saúde Colet. 2014, 22(2):173-176.

Macedo MFS, Sisenando HAAACN, Bezerra Neto MM, Saturtino ACRD. Prevalência de enteroparasitoses, no município de Parelhas, Rio Grande do Norte, Brasil. Infarma. 2008, 20(3):35-40.

Oliveira Filho AA, Habrantes HFL, Fernandes HMB, Viana WP, Pinto MAS, Cavalcanti AL, Freitas FIS. Perfil enteroparasitológico dos habitantes de uma cidade do Nordeste do Brasil. Rev Bras Clin Med. 2012, 10(3):179-182.

Zaiden MF, Santos BO, Cano MAT, Nascif Júnior IA. Epidemiologia das parasitoses intestinais em crianças de creches de Rio Verde – GO. RMRP. 2008, 41(2):182-187.

Andrade EC, Leite ICG, Vieira MT, Abramo C, Tibiriçá SHC, Silva PL. Prevalência de parasitoses intestinais em comunidade quilombola no Município de Bias Fortes, Estado de Minas Gerais, Brasil, 2008. Epidemiol Serv Saúde. 2011, 20(3):337-344.

Borges WF, Marciano FM, Oliveira HB. Parasitos intestinais: elevada prevalência de giardia lamblia em pacientes atendidos pelo serviço público de saúde da região sudeste de Goiás, Brasil. Rev Patol Trop. 2011, 40(2):149-157.

Santos AS, Merlini LS. Prevalência de enteroparasitoses na população do município de Maria Helena, Paraná. Ciênc Saúde Col. 2010, 15(3):899-905.

Pereira MF, Coelho FAZ, Marson FG, Capuano DM, Kanamura HY. Ocorrência de enteroparasitos e comensais em crianças do ensino fundamental no município de Pindamonhangaba, SP. Brasil. Rev Biociênc. 2011, 17(1):40-49.

Martins DM, Cardoso KCI, Couto AARD. Estudo da prevalência de enteroparasitoses no município de Ferreira Gomes/AP após a enchente em 2011. Biota Amazôn. 2014, 4(3):15-24.

Mamus CNC, Moitinho ACC, Grube CC, Melo EM, Weiler EB, Abreu CA, Beltrão L, Soares PB, Beltrame S, Ribeiro S, Aleixo DL. Enteroparasitoses em um centro de educação infantil do município de Iretama/PR. Sabios Rev. Saúde e Biol. 2008, 3(2):39-44.

Lamberton PHL, Jourdan PM. Human Ascariasis: Diagnostics Update. Curr Trop Med Rep. 2015, 2(4):189-200.

Machado ER, Souza TS, Costa-Cruz JM. Strongyloides stercoralis and other enteroparasites in individuals of rural area of Uberlândia, Minas Gerais state, Brazil. Rev Patol Trop. 2010, 39(2):115-122.

Bosqui LR, Pereira VL, Lucas BB, Dalavedo GA, Santos NCC, Freire ACARB, Luis NCO, Murad VA, Custódio LA, Almeida RS, Conchon-Costa I, Pavanelli WR, Costa IN. Occurrence of Strongyloides stercoralis and other intestinal parasites in individuals from the Northern Parana region. Biosaúde. 2014, 16(1):8-18.

Garcia JGD, Simões MJS, Alvarenga VL. Avaliação de diferentes métodos no diagnóstico laboratorial de Giardia lamblia. Rev Ciênc Farm Bás Aplic. 2006, 27(3):253-258.

Bica VC, Dillenburg AF, Tasca T. Diagnóstico laboratorial da giardiose humana: comparação entre as técnicas de sedimentação espontânea em água e de centrífugo-flutuação em solução de sulfato de zinco. Rev HCPA. 2011. v. 31(1): p. 39-45.

De Carli GA. Parasitologia clínica: seleção de métodos e técnicas de laboratório para o diagnóstico das parasitoses humanas. 2ª ed. São Paulo: Atheneu; 2011.

Frei F, Juncansen C, Ribeiro-Paes JT. Levantamento epidemiológico das parasitoses intestinais: viés analítico decorrente do tratamento profilático. Cad Saúde Pública. 2008, 24(12):2919-2925.

Lima EQ, Costa ES, Siqueira RR, Medeiros Filho F, Pontes Filho RN. Prevalence of intestinal parasites of the human population in the City of Pombal-PB, Brazil. J. Public Health Epidemiol. 2016, 8(12):343-350.

Matos MA, Cruz ZV. Prevalência das parasitoses intestinais no município de Ibiassuce- BA. Rev Edu Meio Amb Saúde. 2012, 5(1):64-71.




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol18n63.6218

Indexadores: