A língua inglesa nas escolas de tempo integral: diretrizes e práticas de ensino

Daniela Morales Monteiro

Resumo


Este artigo discute os resultados de uma pesquisa, que assumiu como objeto deestudo o ensino de língua inglesa nas escolas de tempo integral da rede pública deensino do Estado de São Paulo. Os objetivos foram: entender como acontece esseensino e as políticas públicas que o orientam; discutir a possibilidade de inclusãoda língua inglesa nos anos iniciais do ensino fundamental e verificar as condições necessárias para que o ensino da língua estrangeira promova a equidade social.Para alcançar tais objetivos, foi realizada uma revisão de literatura, complementada por entrevista semiestruturada com docentes que atuam nessa área. Os dados da pesquisa revelam que o ensino da língua inglesa desperta grande interesse nos alunos dos anos iniciais. No entanto, foram evidenciados alguns fatores que não contribuem para que o ensino de línguas seja efetivo, por exemplo, a falta de recursos didáticos e a falta de formação para os professores.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rea-e.vol1n1.4255

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores de que a REAe faz parte: 

BBE: http://pergamum.inep.gov.br/pergamum/biblioteca/

CZ3 : http://ezb.uni-regensburg.de/

DIADORIN: diadorim.ibict.br/

Google Scholar: https://scholar.google.com.br/scholar

IRESIE: iresie.unam.mx/

LATINDEX:http://www.latindex.org/latindex/inicio

LiVre - http://livre.cnen.gov.br/Inicial.asp

SUMARIOS: https://sumarios.org

 

 

      

 

 

A REAe utiliza o software iThenticate para detecção e prevenção de plágio.