EFETIVIDADE DE UM PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO SOBRE SAÚDE AUDITIVA PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

Anelise Andrade, Viviann Magalhães Silva Borges, Pricila Sleifer

Resumo


Introdução: O programa de agentes comunitários de saúde é parte do Programa de Saúde da Família. Este profissional é um importante recurso ao diálogo entre a equipe de saúde e as famílias que visita. Objetivo: Verificar a efetividade de um programa de capacitação em saúde auditiva para agentes comunitários de saúde. Métodos: Participaram 31 agentes comunitários de saúde de um município do estado XX. Foram oferecidas duas capacitações sobre saúde auditiva em um intervalo de 30 dias, realizadas com aulas expositivas. Os assuntos abordados foram: o fonoaudiólogo na atenção básica, fatores de risco para perda auditiva, triagem auditiva neonatal, orientações sobre aparelhos auditivos, entre outros. Durante as capacitações, foi aplicado o instrumento de coleta de dados em três momentos distintos: no início e final da primeira capacitação e no início da segunda capacitação. Resultados: A amostra foi composta apenas por mulheres. As profissionais, na sua maioria, não possuíam capacitações anteriores sobre temas relacionados à Fonoaudiologia. Verificou-se diferença significativa entre as médias de acerto antes e após a capacitação (p=0,04). As questões que apresentaram diferença abordavam como tema a triagem auditiva neonatal, fatores de risco para perda auditiva e a protetização auditiva em crianças menores de um ano de idade. Conclusão: Verificou-se que o programa de capacitação em saúde auditiva proposto foi efetivo no grupo de agentes de saúde da amostra. Pode-se inferir que os agentes de saúde participantes da pesquisa possuem mais subsídios para identificar pacientes com queixas fonoaudiológicas, orientar a comunidade que atendem e realizar os encaminhamentos necessários.

Palavras-chave


Audição; Educação em saúde; Fonoaudiologia; Agentes comunitários de saúde; Estratégia Saúde da Família;

Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2007. 60p.

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Memórias da saúde

da família no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2010. 114p.

Ministério da Saúde (Brasil). Programa agentes comunitários de saúde (PACS).

Brasília: Ministério da Saúde; 2001. 40p.

Jesus AS, Santos FPA, Rodrigues VP, Nery AA, Machado JC, Couto TA. Atuação

do agente comunitário de saúde: conhecimento de usuários. Rev Enferm UERJ.

;22(2):239-44.

Brasil. PORTARIA GM Nº 154, DE 24/01/2008. Brasília (DF); 2008.

Avejonas DRM, Mendes VLF, Amato CAH. Fonoaudiologia e Núcleos de Apoio à

Saúde da Família: conceitos e referências. Rev Soc Bras de Fonoaudiol.

;15(3):465-74.

Antoniazzi, MR. Estratégia de Saúde da Família –ESF. [Internet] Caxias do Sul:

Prefeitura de Caxias do Sul; [acesso em 04 Out 2015]; Disponível em:

http://www.caxias.rs.gov.br/saude/texto.php?codigo=313.

Costa SM, Araujo FF, Martins LV, Nobre LLR, Araujo FM, Rodrigues CAQ. Agente

Comunitário de Saúde: elemento nuclear das ações em saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(1):2147-56.

- Nascimento LG, Melo W, Silva MV. Oficinas de intervenção psicossocial com

agentes comunitários de saúde: reflexões e intervenções dialogadas. Rev Bras Med

Fam Comunidade. 2014;9(33):336-42.

Alvarenga KF, Bevilacqua MC, Martinez MANS, Melo TM, Blasca WQ, Taga

MFL. Proposta para capacitação de agentes comunitários de saúde em saúde

auditiva. Pró-Fono. 2008;20(3):171-6.

World Health Organization: primary ear and hearing care training resource: basic,

intermediate and advanced levels. [cited 2015 Nov 30]. Available from:

http://www.who.int/pbd/deafness/activities/hearing_care/en/index.html.

Santos JN, Rodrigues ALV, Silva AFG, Matos EF, Jerônimo NS, Teixeira LC.

Percepção de agentes comunitários de saúde sobre os riscos à saúde

fonoaudiológica. Rev Soc Bras de Fonoaudiol. 2012;17(3): 333-9.

Gouvêa GR, Silva MAV, Pereira AC, Mialhe FL, Cortellazzi KL, Guerra LM.

Avaliação do conhecimento em saúde bucal de agentes comunitários de saúde

vinculados à Estratégia Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2015;20(4):1185-

Musse JO, Marques RS, Lopes FRL, Monteiro KS, Santos SC. Avaliação de

competências de Agentes Comunitários de Saúde para coleta de dados

epidemiológicos. Ciênc Saúde Coletiva. 2015;20(2):525-36 .

Cipriano FG. Ferreira LP, Servilha EAM, Marsiglia RMG. Relação entre distúrbio

de voz e trabalho em um grupo de Agentes Comunitários de Saúde do município de

São Paulo. CoDAS. 2013;25(6):548-56.

Arakawa AM,Sitta EI, Maia Junior AFM, Carleto NG, Santo CE, Bastos RS et al.

Avaliação de um programa de capacitação em fonoaudiologia para agentes

comunitários de saúde na Amazônia brasileira. Distúrb Comum. 2013;25(2):203-10.

Costa HO, Chagas MIO, Correia RBF, Araújo-Dias MS, Souza FL et al.

Conhecimentos e práticas dos agentes comunitários de saúde frente aos problemas

fonoaudiológicos da população na atenção básica. SANARE, Sobral. 2013;11(2):32-43.

Bornstein VJ, David HMSL. Contribuições da formação técnica do agente

comunitário de saúde para o desenvolvimento do trabalho da equipe Saúde da

Família. Trab Educ Saúde. 2014;12(1):107-28.

Moreira MD, Mota HB. Os caminhos da fonoaudiologia no Sistema Único de

Saúde - SUS. Rev CEFAC. 2009;11(3):516-21.

Alvarenga KF, Araujo ES, Melo TM, Martinez MAN, Bevilacqua MC. Questionário

para monitoramento do desenvolvimento auditivo e de linguagem no primeiro ano de

vida. CoDAS. 2013;25(1):16-21.

Joint Committee of Infant Hearing.Year 2007 position statement: principles and

guidelines for early hearing detection and intervention programs. Pediatrics.

;120(4):898-921.

Pereira IC, Oliveira MAC. O trabalho do agente comunitário na promoção da

saúde: revisão integrativa da literatura. Rev Bras Enferm. 2013;66(3):412-9

Alvarenga KF, Gadret JM, Araujo ES, Bevilacqua MC. Triagem auditiva neonatal:

motivos da evasão das família no processo de detecção precoce. Rev Soc Bras

Fonoaudiol. 2012;17(3):241-7.

Lewis DR. Evidências para a realização da triagem auditiva neonatal universal. In

Bevilacqua MC, Martinez MAR, Balen SA, Pupo AC, Reis ACMB, Frota S. (Orgs.).

Tratado de Audiologia. São Paulo: Santos, 2011.p. 495-515.

Pinto MM, Raimundo JC, Samelli AG, Carvalho ACM, Matas CG, Ferrari GMS, et

al. Idade no diagnóstico e no início da intervenção de crianças deficientes auditivas

em um serviço público de saúde auditiva brasileiro. Arq Int Otorrinolaringol.

;16(1):44-9.

Machado LM, Mattos KM, Colomé JS, Freitas NQ, Sangoi TP. Estratégia saúde

da família: A percepão do agente comunitário de saúde quanto a sua atuação. Cienc

Cuid Saúde. 2015;14(2):1105-12.

Ferreira VM, Ruiz T. Atitudes e conhecimentos de agentes comunitários de

saúde e suas relações com idosos. Rev Saúde Pública. 2012;46(5):843-49.

Menezes, JA et al. Critical and reflexive training of community health workers: a strategy for the active professional education in and for the Brazilian Unified Health System. Demetra. 2017;12(4): 849-64.

Loureiro, LH et al. O trabalho e a formação do agente comunitário de saúde. Revista Práxis. 2017;9(17): 103-11.

Araújo, ES et al. Capacitação de agentes comunitários de saúde na área de saúde auditiva infantil: retenção da informação recebida. Rev. CEFAC. 2015;17(2):445-453.

Marchand, DLP et al. Orientações e incentivo ao teste da orelhinha em hospital filantrópico. Rev. Ciênc. Ext. 2016;12(2):70-78.




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol18n63.5724

Indexadores: