O TEMPO DE PRÁTICA E A PRÁTICA DE OUTRO EXERCÍCIO FÍSICO INFLUENCIAM NA APTIDÃO FÍSICA DE IDOSOS PRATICANTES DO MÉTODO PILATES?

Autores

  • Daniel Vicentini de Oliveira Centro Universitário de Maringá - Paraná http://orcid.org/0000-0002-0272-9773
  • Matheus Amarante do Nascimento Universidade Estadual do Paraná - Paraná
  • Geisa Luiza Mendes Arantes Alves Centro Universitário Metropolitano de Maringá - Paraná http://orcid.org/0000-0002-1415-3978
  • Rafaela Merim Santos Centro Universitário Metropolitano de Maringá - Paraná http://orcid.org/0000-0001-8254-3049
  • Gabriel Lucas Morais Freire Universidade Federal do Vale do São Francisco - Petrolina - PE
  • Stevan Ricardo dos Santos Universidade Estadual do Paraná - Paraná
  • José Roberto Andrade do Nascimento Júnior Universidade Federal do Vale do São Francisco - Petrolina - PE

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol17n62.6023

Resumo

OBJETIVO: Verificar se o tempo de prática no Pilates e a prática adicional de outro exercício físico influenciam na aptidão física de idosos praticantes de Pilates. MATERIAIS E MÉTODOS: O estudo transversal foi composto por 60 idosos praticantes de Pilates de estúdios e academias da cidade de Maringá- Paraná, Brasil em 2019. Todas as análises foram realizadas nas próprias academias, sendo as variáveis sóciodemográficas analisadas por meio de um questionário semiestruturado e as capacidades físicas aferidas pela bateria Senior Fitness Test. As análises de dados foram conduzidas por meio da Anova One-Way e do teste t de student independente (p < 0,05). RESULTADOS: Idosos que praticam o Pilates há mais de três anos apresentaram melhor desempenho no teste de alcançar atrás das costas (x = -4,96) em comparação aos idosos que praticam a modalidade entre três e 12 meses (x= -14,43 cm). Ainda, os idosos que praticam apenas o Pilates apresentaram aptidão física semelhante aos idosos que também praticam outro exercício. CONCLUSÃO: Não houve diferenças significantes entre quem pratica outro tipo de exercício físico associado ao Pilates nos diferentes componentes da aptidão física. Porém, o maior volume total de tempo de prática do Pilates, aparentemente, proporciona melhores resultados sobre a flexibilidade de membros superiores de idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Vicentini de Oliveira, Centro Universitário de Maringá - Paraná

Graduado em Educação Física e Fisioterapia

Doutor em Gerontologia

Pós-doutorando em Promoção da Saúde

Matheus Amarante do Nascimento, Universidade Estadual do Paraná - Paraná

Graduado em Educação Física

Doutor em Educação Física

Geisa Luiza Mendes Arantes Alves, Centro Universitário Metropolitano de Maringá - Paraná

Graduada em Educação física

Gabriel Lucas Morais Freire, Universidade Federal do Vale do São Francisco - Petrolina - PE

Graduado em Educação física

Mestrando em Educação Fìsica

Stevan Ricardo dos Santos, Universidade Estadual do Paraná - Paraná

Graduado em Educação física

Especialista em Neuropedagogia e Psicomotricidade

José Roberto Andrade do Nascimento Júnior, Universidade Federal do Vale do São Francisco - Petrolina - PE

Graduado em Educação física

Doutor em Educação física

Downloads

Publicado

21-01-2020