PREVALÊNCIA DE DESNUTRIÇÃO E CONSUMO ALIMENTAR EM ESCOLARES DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE JOINVILLE-SC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol17n62.6084

Palavras-chave:

Desnutrição proteico-calórica, Consumo de Alimentos, Estudantes.

Resumo

Introdução: A desnutrição infantil ainda é um problema que acomete várias regiões do Brasil. Em localidades mais desenvolvidas ainda há casos de crianças em idade escolar em vulnerabilidade social e insegurança alimentar. Objetivo: Investigar a prevalência de desnutrição e o comportamento alimentar em estudantes de uma escola municipal na cidade de Joinville/SC. Materiais e métodos: A pesquisa abrangeu crianças de 7 a 10 anos de idade, de ambos os sexos, matriculadas em uma escola municipal no período matutino. Os dados coletados foram peso, estatura, idade e para classificação do estado nutricional foram aplicadas as curvas de crescimento da OMS do ano de 2007, de IMC para idade, peso para idade e estatura para idade e para análise do consumo alimentar o questionário QUADA. Resultados: Participaram da pesquisa 101 crianças, com média de idade de 8,52 sendo 58,4% do sexo feminino e 41,6% do sexo masculino. Dentre estas, 1% apresentou IMC abaixo para idade, 5% peso abaixo para idade e 3% estatura inadequada para idade. Em relação ao consumo alimentar, o maior percentual de adequação conforme as porções recomendadas pela Pirâmide Alimentar Infantil Brasileira, esteve no grupo de carnes e ovos atingindo 56,4%. Conclusão: Existem casos de desnutrição em grandes centros urbanos, em quantidade diminuída. Estudos como este, demonstram grande importância para o reconhecimento da transição nutricional, visualizando a classificação nutricional e a qualidade dos alimentos consumidos pelas crianças nos dias de hoje.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Emily Chagas, Associação Educacional Luterana Bom Jesus/IELUSC

Ensino Médio (2o grau) pela Escola de Educação Básica Dr. Tufi Dippe, Brasil(2014)

Camila Cristina Debortoli, Associação Educacional Luterana Bom Jesus/IELUSC

Possui graduação em Nutrição pelo Instituto Superior e Centro Educacional Luterano Bom Jesus/IELUSC (2011). Pós-graduada em Nutrição Clinica pela Universidade Gama Filho (2013). Pós-graduada na modalidade de Residência Multiprofissional em Saúde Materno Infantil (2016). Especialista em Preceptoria no SUS - PSUS (2017). Tem experiência na área de saúde da criança, saúde da mulher, atenção primária à saúde e nutrição. Atualmente professora do curso de Nutrição Faculdade IELUSC como professora supervisora de estágio de Nutrição Clínica. Concursada como Agente Administrativo na Secretaria Municipal da Saúde de Joinville, lotada no setor da Diretoria de Atenção Primária à Saúde (DAPS), trabalha como apoiadora do Distrito de Saúde Norte.

 

Referências

Pedroza DF, Silva FA, Melo NLS. Estado nutricional e hábitos alimentares de escolares de Campina Grande, Paraíba, Brasil. Campina Grande. Monografia [Especialização em Enfermagem] - Universidade Estadual da Paraíba, 2017.

Araújo LMP. Percepção de perigo e coesão social: impacto dos fatores sociais e comportamentos sedentários no estado nutricional das crianças do município da Lousã. Lousã. Tese [Doutorado em Biologia Humanas] - Universidade de Coimbra, 2013.

Kucharski, Fernanda Aguiar et al. Perfil de famílias com crianças desnutridas internadas em uma instituição na cidade de Fortaleza-Ceará. Northeast Network Nursing Journal, 2002.

Galvão, Maria Aparecida Mendes. Fatores determinantes de desnutrição infantil em crianças de 0 a 05 anos no Cernutri – Boa Vista/Roraima. 2014. 28 f. Monografia (Especialização) - Curso de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis Sc, 20154.

Brasil, Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei Nº 11.346, De 15 De Setembro De 2006. Brasília, Df, Set 2006.

Kepple, Anne Walleser; SEGALL-CORRêA, Ana Maria. Conceituando e medindo segurança alimentar e nutricional. Ciência e Saúde Coletiva, Campinas, 2011.

Brasil. O que é o CONSEA? 2017.

Martins, Cristina. Avaliação do Estado Nutricional e Diagnóstico. Nutroclínica, 2008.

Monteiro, Carlos Augusto; CONDE, Wolney Lisboa. Tendência secular da desnutrição e da obesidade na infância na cidade de São Paulo. Revista de Saúde Pública, São Paulo, 2000.

Brasil, Ministério da Saúde. Resolução Nº 466, De 12 De Dezembro De 2012, Brasília, 2012.

Direção Geral Da Saúde. Nutrição e Deficiência(s). Lisboa, Portugal: Programa Nacional Para Promoção da Alimentação Saudável, 2015.

Yang, Yuchi, LUCAS Betty, FEUCHT Sharon. Nutrition Interventions for Children with Special Health Care Needs. 3 ed.: The Washington State Department of Health; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância alimentar e nutricional: Antropometria: como pesar e medir. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Assis Ma, Benedet J, Kerpel R, Vasconcelos FAG, Di Pietro PF, Kupek E. Validação da terceira versão do Questionário Alimentar do Dia Anterior (QUADA-3) para escolares de 6 a 11 anos. Cad Saúde Pública. 2009;25(8):1816-26.

Oms, Organização Mundial da Saúde. Curvas de crescimento da OMS, 2007.

Sociedade Brasileira De Pediatria SBP; Pirâmide alimentar infantil. 2012.

Silva, Marina Vieira da et al. Acesso à creche e estado nutricional das crianças brasileiras: diferenças regionais, por faixa etária e classe de renda. Revista de Nutrição, 2000.

Miranda, Adriana da Silva et al. Anemia ferropriva e estado nutricional de crianças com idade de 12 a 60 meses do município de Viçosa, MG. Revista de Nutrição, 2003.

Fisberg, Regina Mara; MARCHIONI, Dirce Maria Lobo; CARDOSO, Maria Regina Alves. Estado nutricional e fatores associados ao déficit de crescimento de crianças freqüentadoras de creches públicas do Município de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 2004.

Castro, Teresa Gontijo det al. Caracterização do consumo alimentar, ambiente socioeconômico e estado nutricional de pré-escolares de creches municipais de Viçosa, MG.(Characteristics of dietary intake, socioeconomic environment and nutritional status of preschoolers at public kindergartens). 2005.

Garcia, Mariana Tarricone; GRANADO, Fernanda Serra; CARDOSO, Marly Augusto. Alimentação complementar e estado nutricional de crianças menores de dois anos atendidas no Programa Saúde da Família em Acrelândia, Acre, Amazônia Ocidental Brasileira. Cadernos de Saúde Pública, 2011.

Costa, Mayara Carvalho et al. Estado nutricional, práticas alimentares e conhecimentos em nutrição de escolares. Revista de Atenção à Saúde (antiga Rev. Bras. Ciên. Saúde), 2018.

Gilglioni, Eduardo Hideo; VARELA FERREIRA, Taiana; BENNEMMAN, Rosi Mari. Estado nutricional dos alunos das escolas da rede de ensino Municipal de Maringá, Estado do Paraná, Brasil. Acta Scientiarum. Health Sciences, 2011.

Brasil, IBGE, Portal Brasil. POF 2008-2009: desnutrição cai e peso das crianças brasileiras ultrapassa padrão internacional. 2009.

Brasil; Ministério da saúde. Sistema Nacional de Vigilância Alimentar. Brasília, 2018.

PNUD, Atlas Do Desenvolvimento Humano do Brasil, 2013.

Ramires, Elyssia Karine Nunes Mendonça et al. Estado nutricional de crianças e adolescentes de um município do semiárido do Nordeste brasileiro. Revista Paulista de Pediatria, 2014.

Anjos, Luiz Antonio dos; SILVEIRA, Willian Dimas Bezerra da. Estado nutricional dos alunos da Rede Nacional de Ensino de Educação Infantil e Fundamental do Serviço Social do Comércio (Sesc), Brasil, 2012. Ciência & Saúde Coletiva, 2017.

Who, World Health Organization. Physical activity. Washington; 2003.

Rivera, Ivan Romero et al. Atividade física, horas de assistência à TV e composição corporal em crianças e adolescentes. Arq bras cardiol,, 2010.

Oliveira, Thiara Castro de et al. Atividade física e sedentarismo em escolares da rede pública e privada de ensino em São Luís. Revista de Saúde Pública, 2010.

Bueno, Aline Lopes; CZEPIELEWSKI, Mauro Antônio. Micronutrientes envolvidos no crescimento. Revista HCPA. Porto Alegre, 2007.

Monte, Cristina MG. Desnutrição: um desafio secular à nutrição infantil. J Pediatria, 2000.

Assis, Maria Alice Altenburg de et al. Análise qualitativa da dieta de amostra probabilística de escolares de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, com o uso do Questionário Alimentar do Dia Anterior. Cadernos de Saúde Pública, 2010.

Downloads

Publicado

21-01-2020