ITINERÁRIO TERAPÊUTICO DE PESSOAS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 QUE SOFRERAM AMPUTAÇÃO DE MEMBRO INFERIOR: EXPERIÊNCIA DO ADOECIMENTO

Luana Ramalho Martins, Marina Bisio Mattos, Margarita Silva Diercks

Resumo


Introdução: O Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) é causa de diversas complicações, entre elas, o pé diabético e a amputação de membro inferior. As complicações do pé diabético são responsáveis por 40% a 70% do total de amputações não-traumáticas de membros inferiores na população geral, sendo grande parte dessas evitáveis através do controle glicêmico da avaliação periódica dos pés das pessoas com DM2. Aqui, questiona-se quais os caminhos que levaram os usuários com complicações relativas à DM2 a terem seus membros amputados. Utilizamos o itinerário terapêutico para entender a experiência do adoecimento dessas pessoas. Objetivo: Conhecer o itinerário terapêutico com foco nas experiências de adoecimento de usuários da Atenção Primária à Saúde que sofreram amputação do membro inferior decorrente de complicações do DM2. Metodologia: Pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso com participantes diabéticos com amputação de membro inferior e em acompanhamento em Unidades Básicas de Saúde. Foram revisados os prontuários de cada paciente e realizadas entrevistas semi-estruturadas, categorizadas e analisadas utilizando a análise temática. Resultados/discussão: Os resultados demonstraram experiências singulares, marcadas pelo sofrimento, cronicidade e gravidade da DM2, dificuldade em mudar hábitos enraizados e mudanças corporais e cotidianas ligadas a amputação do membro. Considerações finais: O cuidado integral das pessoas com DM2 se faz necessário, assim como abordagens motivacionais e prevenção das complicações. Todos estes aspectos são experienciados de forma singular por cada pessoa e precisam ser conhecidos pelos profissionais para oferecer um cuidado de qualidade.



Palavras-chave


Diabetes Mellitus tipo 2; Amputação; Autocuidado, Autogestão, Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica : diabetes mellitus / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2013. [Acesso em 10 de outubro de 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_diabetes_mellitus_cab36.pdf

Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018 / Organização José Egídio Paulo de Oliveira, Renan Magalhães Montenegro Junior, Sérgio Vencio. - São Paulo : Editora Clannad, 2017. [Acesso em 10 de outubro de 2018]. Disponível em: https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/2017/diretrizes/diretrizes-sbd-2017-2018.pdf

Morais MRCJ; Nicolau SM; Figueiredo-Uchôa LR. Narrativas de diabéticos e impactos da doença em seu desempenho ocupacional: questão para terapia ocupacional?. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. Rio de Janeiro. 2018. v.2(3): 584-606.

Caiafa JS; Castro AA; Fidelis C; Santos VP; Silva ES; Sitrângulo Jr CJ. Atenção integral ao portador de pé diabético. Jornal Vascular Brasileiro, 10 (4, Suppl. 2), 1-32. (2011) DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492011000600001.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual do pé diabético: estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2016. [Acesso em 11 de outubro de 2018]. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/manual_do_pe_diabetico

Serviço de Saúde Comunitária - Grupo Hospitalar Conceição/ Sistema Integrado em Saúde (SIS) (SSC-GHC). Indicadores de Saúde: Relatório Anual 2016. Porto Alegre, 2016.

Brasil. Boletim Informativo mensal do Núcleo de telessaúde SC.Diabetes na Atenção Básica. 39a Ed 39, 2016b. [Acesso em 12 de outubro de 2018]. Disponível em: https://telessaude.ufsc.br/principal/wp-content/uploads/2017/01/Fevereiro_2016.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes de atenção à pessoa amputada / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. 2, ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. [Acesso em 12 de outubro de 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_atencao_pessoa_amputada.pdf

Salles JM. Tratamento de amputados. In: Cavalcanti A; Galvão C. Terapia Ocupacional: Fundamentação e Prática. - Rio de Janeiro. Ed. Guanabara Koogan, 2007.

Associação Americana de Terapia Ocupacional – AOTA. Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2015; 26:1- 49. Edição especial. DOI:https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v26iespp1-49

Cate Y; Baker SS; Gilbert MP. Occupational therapy and the person with diabetes and vision impairment. Am J Occup Ther. 1995;49(9):905-11

Mechanic D; Volkart EH. Stress, illness behavior, and the sick role. American Sociological Review. 1960; 26(1):51-8

Cabral ALLV; Martinez-Hemáez A; Andrade, EIG; Cherchiglia ML. Itinerários terapêuticos: o estado da arte da produção científica no Brasil. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2011, vol.16, n.11, pp.4433-4442. ISSN 1413-8123. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011001200016.

Bellato R. Itinerários terapêuticos de famílias e redes para o cuidado na condição crônica: alguns pressupostos In: Pinheiro R; Martins PH (Orgs.). Avaliação em saúde na perspectiva do usuário: abordagem multicêntrica. Rio de Janeiro: CEPESC/IMS-UERJ; Recife: UFPE; São Paulo: ABRASCO, p.187- 194, 2009.

Fontanella BJB; Ricas J; Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24(1):17-27, jan, 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000100003

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12a ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

Yin RK. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010

Thaines GHLS et al. A busca por cuidado empreendida por usuário com Diabetes Mellitus - Um convite a reflexão a integralidade em saúde. Texto contexto - enferm.[online]. 2009, vol.18, n.1, pp.57-66. ISSN 0104-0707. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072009000100007.

Gerchman F. Raça, etnia e as complicações crônicas do Diabetes Melito tipo 2. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Endocrinologia. 2006.

Borchardt J; Moreira CM; Tavares RG; Berlese DB. Perfil dos indivíduos com diabetes melito que sofreram amputações na região do Vale do Sinos/RS. Revista Conhecimento Online – Ano 1 – Vol. 1 – Setembro de 2009. DOI:https://doi.org/10.25112/rco.v1i0.127

Cortez DN; Reis IA; Souza DA; Macedo MM; Torres HC. Complicações e o tempo de diagnóstico do diabetes mellitus na atenção primária. Acta Paul Enferm. 2015; 28(3):250-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201500042

Sakay, B. M. S.; Ferraz, V. D.; Lourenço, H. M. D. C.; Eiko, K. M. Caracterização dos portadores de diabetes submetidos à amputação de membros inferiores em Londrina, Estado do Paraná. Acta Scientiarum. Health Sciences, 32(2).(2010). DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v32i2.7754

Cecilio HP; Arruda GO; Teston EF; Santos AL; Marcon SS. Comportamentos e comorbidades associados às complicações microvasculares do diabetes. Acta Paul Enferm. 2015; 28(2):113-9.

Cavalcanti G; Doring M; Portella MR; Bortoluzzi, EC; Mascarelo A; Dellani MP. Multimorbidade associado à polifarmácia e autopercepção negativa de saúde. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2017 Oct ; 20( 5 ): 634-642. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-22562017020.170059

Castellanos MEP; Cordeiro K; Mota C; Trad LAB. Acessibilidade, experiência de enfermidade e itinerário terapêutico de diabéticos: percepções de moradores e profissionais de saúde de um distrito sanitário de Salvador, Bahia. In: Gerhardt TE; Pinheiro R; Ruiz ENF; Silva Junior AG. (organizadores). Itinerários terapêuticos: integralidade no cuidado, avaliação e formação em saúde / - Rio de Janeiro: CEPESC / IMS/ UERJ – ABRASCO, 2016.

Coqueiro JM; Oliveira AE; Figueiredo TAM. Itinerários terapêuticos de sujeitos com diabetes mellitus: linhas fortes e fracas. Rev. enferm UFPE on line., Recife, 12(6):1554-62, jun., 2018. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i6a231706p1554-1562-2018

Peres DS; Santos MA; Zanetti ML; Ferronato AA. Dificuldades dos pacientes diabéticos para o controle da doença: sentimentos e comportamentos. Revista Latino-americana de Enfermagem. 2007; 15(6):p.1105-1112. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692007000600008

Bergo MFC; Prebianchi HB. Aspectos emocionais presentes na vida de pacientes submetidos à amputação: uma revisão de literatura. Psicol. teor. prat., São Paulo , v. 20, n. 1, p. 47-60, abr. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1980-6906/psicologia.v20n1p47-60

Galván GB; Amiralian MLTM. Corpo e identidade: reflexões acerca da vivência da amputação. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2009, vol.26, n.3, pp.391-398. ISSN 0103-166X. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2009000300012.

Baremblitt G. Compêndio de Análise Institucional e outras correntes: teoria e prática. Belo Horizonte: Instituto Felix Guattari; 2012.

Gomides DS; Villas-Boas LCG; Coelho ACM; Pace AE. Autocuidado das pessoas com diabetes mellitus que possuem complicações em membros inferiores. Acta paul. enferm. [online]. 2013, vol.26, n.3, pp.289-293. ISSN 1982-0194. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000300014.

Bernini LS; Silvia RB; Mangili AF; Arca EA; Correr R; Ximenes MA; Neves D; Gimenes C. O impacto do diabetes mellitus na qualidade de vida de pacientes da Unidade Básica de Saúde. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 25, n. 3, p. 533-541, 2017 DOI: https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO0899




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol18n64.6284

Indexadores: 
A RAS utiliza o software iThenticate para detecção e prevenção de plágio