Fatores associados à não adesão à vacina contra HPV entre estudantes de ciências da saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol19n68.7603

Palavras-chave:

Papillomaviridae, Cobertura Vacinal, Estudantes de Ciências da Saúde, Brasil

Resumo

Introdução: Adolescentes e adultos jovens são considerados grupos vulneráveis a infecção pelo papilomavírus humano (HPV), devido a comportamentos sexuais de risco como maior número de parcerias e uso inconsistente do preservativo. No Brasil a vacina contra o HPV está disponível desde 2014, contudo a adesão ainda está abaixo do esperado. Objetivos: Identificar os fatores associados à não adesão à vacina, estado vacinal e conhecimento sobre o HPV entre estudantes de ciências da saúde em Goiânia. Materiais e Métodos: Estudo transversal, realizado com 131 participantes. Foi aplicado um questionário contendo questões sobre características sociodemográficas, conhecimento do HPV e estado vacinal. Regressão de Poisson foi realizada para identificar os preditores da não adesão a vacinação. Resultados: A maioria dos estudantes era do sexo feminino (81,7%), com média de idade de 17 anos. O escore de conhecimento sobre o HPV foi de 67,4%. Do total, 59 (45,0%) declararam-se vacinados. Os fatores associados à não adesão à vacina contra o HPV foram idade superior a 18 anos, sexo masculino e pais que tinham no máximo oito anos de estudo formal. Conclusão: Os achados deste estudo reforçam a necessidade de ações intersetoriais para promoção da vacinação, envolvendo as instituições de ensino e unidades de saúde, a fim de proporcionar um diálogo entre estudantes, pais, profissionais de saúde e docentes. Acredita-se que o acesso à informação qualificada possa contribuir para a mudança de comportamento e melhoria da tomada de decisão, levando os estudantes a refletirem sobre suas atitudes e riscos inerentes à infecção pelo HPV.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda de Oliveira Guimarães, Universidade Federal de Goiás, Curso de Biotecnologia, Goiânia, GO, Brasil

Técnica em Nutrição e Dietética formada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás - Campus Goiânia Oeste (2018). É discente do curso de Biotecnologia da Universidade Federal de Goiás - UFG, (curso reconhecido com nota 5 pelo INEP/MEC em 2019). Membro do Núcleo de Estudos em Epidemiologia e Cuidados em Infecções Transmissíveis e Agravos à Saúde Humana (NECAIH)/UFG. Bolsista de iniciação científica da Universidade Federal de Goiás. Foi voluntária de iniciação científica (PIVIC) por 2 anos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás/CNPq/IFG na área de Saúde Pública (2017-2019). Foi iniciação cientifica do projeto que deu origem a esse manuscrito.

Alice Nascimento dos Santos, Técnica de enfermagem do Hospital de Urgência de Aparecida de Goiânia, GO, Brasil

Certificada como técnica de enfermagem pelo Instituto Federal de Goiás, Câmpus Goiânia Oeste e atualmente trabalha no Hospital de Urgência de Aparecida de Goiânia, GO, Brasil. Foi iniciação cientifica do projeto que deu origem a esse manuscrito.

Bianca Santos de Toledo , Autônoma, Goianira, GO, Brasil

Certificada como técnica em enfermagem pelo Instituto Federal de Goiás em 2019. Foi iniciação cientifica do projeto que deu origem a esse manuscrito.

Marcelo Lopes de Carvalho, Operação de caldeira da empresa Cargill, Goiânia, GO, Brasil

Certificado como técnico em enfermagem pelo Instituto Federal de Goiás em 2019. Foi iniciação cientifica do projeto que deu origem a esse manuscrito.

Charlise Fortunato Pedroso , Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Câmpus Goiânia Oeste, Goiânia, GO, Brasil

Mestre em Enfermagem da Universidade Federal de Goiás. Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Goiás. Especialista em Urgência e Emergência e Unidade de Terapia Intensiva pelo Centro Goiano de Pesquisa - CGESP. Pós graduação em Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. Professora efetiva no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), sob o regime de Dedicação Exclusiva, ministrando disciplinas para o Curso Técnico em Enfermagem Integrado ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Atualmente está no cargo de Gerente de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão do Câmpus Goiânia Oeste - Portaria n.1267/2019. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Promoção da Saúde (NUPPS), do IFG-Campus Goiânia Oeste, cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. Atuou como Tutora da Residência de Enfermagem do Hospital Alberto Rassi -HGG e Enfermeira Supervisora nos Hospitais Santa Casa de Misericórdia de Goiânia e Hospital de Urgência Governador Otavio Lage de Siqueira - HUGOL.

Thays Angelica de Pinho Santos , Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Câmpus Goiânia Oeste, Goiânia, GO, Brasil

Thays Angélica de Pinho Santos,graduada em enfermagem pela Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás. Mestre em Enfermagem pela Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás. Doutoranda do Programa de Pós Graduação de enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás (2017- ).Participou do grupo de pesquisa Grupo de Estudos em Gestão e Recursos Humanos em Saúde e Enfermagem - GERHSEn (2010-2014). Integra o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Promoção da Saúde - NUPPS, do Instituto Federal de Goiás-Campus Goiânia Oeste (2016-). Participou como estudante do programa iniciação científica (PIBIC) na área de gestão/processo gerencial 2009/2010.Participou do Projeto Inquérito RIDE-DF como como auxiliar de Pesquisa nos cargos de entrevistadora e digitadora. Participou como avaliadora externa no Programa para Melhoria do Acesso a Qualidade na Atenção Básica - PMAQ AB, pelo Ministério da Saúde 2013 e assistente da coordenação operacional da Avaliação Externa no Programa para Melhoria do Acesso a Qualidade na Atenção Básica - PMAQ-AB (2014). Docente do Serviço Nacional de Aprendizagem e Comércio - SENAC Aparecida de Goiânia (2013-2015). Enfermeira do Serviço de Atenção Domiciliar do município de Aparecida de Goiânia(2015). Coordenadora da Atenção às Doenças Crônicas de Aparecida de Goiânia (2015/2016). Atualmente é docente do Instituto Federal de Goiás - Campus Goiânia Oeste (Início das atividades 2016), coordenadora do Curso Técnico em Enfermagem integrado ao Ensino Médio na modalidade Educação de Jovens e Adultos(Início das atividades em 2017). Membro representante do Curso Técnico em Enfermagem do Conselho Departamental do IFG Goiânia Oeste.

Ingrid Aline de Jesus Goncalves , Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Câmpus Goiânia Oeste, Goiânia, GO, Brasil

Professora efetiva no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), sob o regime de Dedicação Exclusiva, ministrando disciplinas para o Curso Técnico em Enfermagem Integrado ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Promoção da Saúde (NUPPS), do IFG-Campus Goiânia Oeste, cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. Especialista pelo programa de Residência em Clínica Especializada na área de Infectologia (2016-2018) realizado no Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT) no âmbito de referência ao atendimento eletivo e de emergência de média e alta complexidade em Infectologia. Graduada em Enfermagem pela Universidade de Brasília (UnB), 2015.

Hellen da Silva Cintra de Paula, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Câmpus Goiânia Oeste, Goiânia, GO, Brasil

Professora no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Estado de Goiás. Doutora em Medicina Tropical e Saúde Pública pela Universidade Federal de Goiás (2019), mestre em Genética pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2012) e bacharel em Biomedicina pela mesma Universidade (2007). Trabalhou como pesquisadora no Laboratório de Transplante de Medula Óssea do Hospital Araújo Jorge, Associação de combate ao Câncer em Goiás e Professora Adjunto na Universidade Paulista (UNIP). Suas principais áreas de interesse são: genética do câncer, biologia molecular, bioquímica e imunologia.

Raquel Silva Pinheiro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Câmpus Goiânia Oeste, Goiânia, GO, Brasil

Professora efetiva no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), sob o regime de Dedicação Exclusiva, ministrando disciplinas para o Curso Técnico em Enfermagem Integrado ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Goiás (2017). Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Goiás (2014). Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Goiás (2011). Enfermeira Assistencial pela Secretaria Municipal de Aparecida de Goiânia (2017-2018) e pela Secretaria de Saúde do Governo do Distrito Federal (2018). Área de concentração: Enfermagem no cuidado da saúde humana. Linha de pesquisa: Epidemiologia, prevenção e controle de doenças infecciosas: Integrante do Núcleo de Estudos em Epidemiologia e Cuidados em Agravos Infecciosos, com ênfase em hepatites virais - NECAIH/UFG e do Núcleo de Estudos e pesquisa em Promoção da Saúde (NUPPS) do IFG. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em epidemiologia, prevenção e controle das hepatites virais e HIV/aids. Endereço eletrônico: raquel.pinheiro@ifg.edu.br

Referências

Doorbar J, Egawa N, Griffin H, Kranjec C, Murakami I. Human papillomavirus molecular biology and disease association. Rev Med Virol. 2015 Mar;25 Suppl 1(Suppl Suppl 1):2-23. https://doi. org/10.1002/ rmv.1822

Ministério da Saúde. Informe técnico da ampliação da oferta das vacinas papilomavírus humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante) – vacina HPV quadrivalente e meningocócica C (conjugada) [Internet]; 2018 [citado 2020 Jul 13]. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/14/Informe-T–cnico-HPV-MENINGITE.pdf.

Arbyn M, Xu L. Efficacy and safety of prophylactic HPV vaccines. A Cochrane review of randomized trials. Expert Rev Vaccines. 2018 Dec;17(12):1085-1091. https://doi. org/10.1080/14760584.2018.1548282.

Wendland EM, Villa LL, Unger ER, Domingues CM, Benzaken AS. POP-Brazil Study Group. Prevalence of HPV infection among sexually active adolescents and young adults in Brazil: The POP-Brazil Study. Sci Rep. 2020 Mar 18;10(1):4920. https://doi. org/10.1038/s41598-020-61582-2.

Kops NL, Hohenberger GF, Bessel M, Correia Horvath JD, Domingues C, Kalume Maranhão AG, et al. Knowledge about HPV and vaccination among young adult men and women: Results of a national survey. Papillomavirus Res. 2019 Jun;7:123-128. https://doi. org/10.1016/j.pvr.2019.03.003.

Sousa PDL, Takiuti AD, Baracat EC, Sorpreso ICE, Abreu LC. Knowledge and acceptance of HPV vaccine among adolescents, parents and health professionals: construct development for collection and database composition. J Hum Growth Dev. 2018; 28(1):58-68. https://doi. org/10.7322/jhgd.143856

Wanderley MDS, Sobral DT, Levino LA, Marques LA, Feijó MS, Aragão NRC. Students' HPV vaccination rates are associated with demographics, sexuality, and source of advice but not level of study in medical school. Rev Inst Med Trop Sao Paulo. 2019 Dec 20;61:e70. https://doi. org/10.1590/S1678-9946201961070.

Cocchio S, Bertoncello C, Baldovin T, Fonzo M, Bennici SE, Buja A, et al. Awareness of HPV and drivers of HPV vaccine uptake among university students: A quantitative, cross-sectional study. Health Soc Care Community. 2020 Sep;28(5):1514-1524. https://doi. org/10.1111/hsc.12974.

Farias CC, Jesus DV, Moraes HS, Buttenbender IF, Martins IS, Souto MG, et al. Factors related to non-compliance to HPV vaccination in Roraima-Brazil: a region with a high incidence of cervical cancer. BMC Health Serv Res. 2016 Aug 22;16(1):417. https://doi. org/10.1186/s12913-016-1677-y.

Costa AS, Gomes JM, Germani ACCG, da Silva MR, Santos EFS, Soares Júnior JM, et al. Knowledge gaps and acquisition about HPV and its vaccine among Brazilian medical students. PLoS One. 2020 Mar 19;15(3):e0230058. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0230058.

Jeannot E, Viviano M, Follonier MC, Kaech C, Oberhauser N, Mpinga EK, et al. Human Papillomavirus Infection and Vaccination: Knowledge, Attitude and Perception among Undergraduate Men and Women Healthcare University Students in Switzerland. Vaccines (Basel). 2019 Sep 26;7(4):130. https://doi. org/10.3390/vaccines7040130.

Kasymova S, Harrison SE, Pascal C. Knowledge and Awareness of Human Papillomavirus Among College Students in South Carolina. Infect Dis (Auckl). 2019 Jan 28;12:1178633718825077. https://doi. org/10.1177/1178633718825077.

Biselli-Monteiro M, Ferracini AC, Sarian LO, Derchain SFM. Influence of Gender and Undergraduate Course on the Knowledge about HPV and HPV Vaccine, and Vaccination Rate among Students of a Public University. Rev Bras Ginecol Obstet. 2020 Feb;42(2):96-105. https://doi. org/10.1055/s-0040-1701466.

Brasil. Plataforma Nilo Peçanha. Brasília: MEC / Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação [Internet]; 2020 [citado 2020 Ago 30]. Disponível em: https://plataformanilopecanha.mec.gov.br.

Abreu MNS, Soares AD, Ramos DAO, Soares FV, Nunes Filho G, Valadão AF, et al. Knowledge and perception of HPV in the population over 18 years of age in the city of Ipatinga - State of Minas Gerais, Brazil. Cien Saude Colet. 2018 Mar;23(3):849-860. https://doi. org/10.1590/1413-81232018233.00102016.

Osis MJ, Duarte GA, Sousa MH. Conhecimento e atitude de usuários do SUS sobre o HPV e as vacinas disponíveis no Brasil [SUS users' knowledge of and attitude to HPV virus and vaccines available in Brazil]. Rev Saude Publica. 2014 Feb;48(1):123-33. https://doi. org/10.1590/s0034-8910.2014048005026.

Patel H, Pčolkina K, Strazdina K, Viberga I, Sherman SM, Tincello DG, et al. Awareness of HPV infection and attitudes toward HPV vaccination among Latvian adolescents. Int J Gynaecol Obstet. 2017 May;137(2):138-144. https://doi. org/10.1002/ijgo.12117.

Quevedo JP, Inácio M, Wieczorkievicz AM, Invernizzi N. The HPV vaccination policy in Brazil: official public and media communication in the face of the emergence of controversies. R Tecnol Soc. 2016;12(24):1-26.

Faisal-Cury A, Levy RB, Tourinho MF, Grangeiro A, Eluf-Neto J. Vaccination coverage rates and predictors of HPV vaccination among eligible and non-eligible female adolescents at the Brazilian HPV vaccination public program. BMC Public Health. 2020 Apr 6;20(1):458. https://doi. org/10.1186/s12889-020-08561-4.

Gerend MA, Stephens YP, Kazmer MM, Slate EH, Reyes E. Predictors of Human Papillomavirus Vaccine Completion Among Low-Income Latina/o Adolescents. J Adolesc Health. 2019 Jun;64(6):753-762. https://doi.org/10.1016/j.jadohealth.2018.12.001.

Mathur MB, Mathur VS, Reichling DB. Participation in the decision to become vaccinated against human papillomavirus by California high school girls and the predictors of vaccine status. J Pediatr Health Care. 2010 Jan-Feb;24(1):14-24. https://doi. org/10.1016/j.pedhc.2008.11.004.

McMann N, Trout KE. Assessing the Knowledge, Attitudes, and Practices Regarding Sexually Transmitted Infections Among College Students in a Rural Midwest Setting. J Community Health. 2020 Jun 12. https://doi. org/10.1007/s10900-020-00855-3.

Liu Y, Jiang X, Xu L, Di N, Jiang L, Tao X. Difference Between Medical and Nonmedical Students on Knowledge, Practice, and Attitude Towards the Human Papillomavirus Vaccine in China: a Cross-Sectional Study. J Cancer Educ. 2020 Jan 6. https://doi. org/10.1007/s13187-019-01682-4.

Swarnapriya K, Kavitha D, Reddy GM. Knowledge, Attitude and Practices Regarding HPV Vaccination Among Medical and Para Medical in Students, India a Cross Sectional Study. Asian Pac J Cancer Prev. 2015;16(18):8473-7. https://doi. org/10.7314/apjcp.2015.16.18.8473.

Cinar İO, Ozkan S, Aslan GK, Alatas E. Knowledge and Behavior of University Students toward Human Papillomavirus and Vaccination. Asia Pac J Oncol Nurs. 2019 Jul-Sep;6(3):300-307. https://doi. org/10.4103/apjon.apjon_10_19.

Yam PWA, Lam PL, Chan TK, Chau KW, Hsu ML, Lim YM, et al. A Cross Sectional Study on Knowledge, Attitude and Practice Related to Human Papillomavirus Vaccination for Cervical Cancer Prevention Between Medical and Non-Medical Students in Hong Kong. Asian Pac J Cancer Prev. 2017 Jun 25;18(6):1689-1695. https://doi. org/10.22034/APJCP.2017.18.6.1689.

Daley EM, Vamos CA, Thompson EL, Zimet GD, Rosberger Z, Merrell L, et al. The feminization of HPV: How science, politics, economics and gender norms shaped U.S. HPV vaccine implementation. Papillomavirus Res. 2017 Jun;3:142-148. https://doi. org/10.1016/j.pvr.2017.04.004.

de Araújo LA, De Paula AAP, de Paula HDSC, Ramos JEP, de Oliveira BR, De Carvalho KPA, et al. Human papillomavirus (HPV) genotype distribution in penile carcinoma: Association with clinic pathological factors. PLoS One. 2018 Jun 27;13(6):e0199557. https://doi. org/10.1371/journal.pone.0199557.

Thompson EL, Vamos CA, Vázquez-Otero C, Logan R, Griner S, Daley EM. Trends and predictors of HPV vaccination among U.S. College women and men. Prev Med. 2016 May;86:92-8. https://doi. org/10.1016/j.ypmed.2016.02.003.

Schülein S, Taylor KJ, König J, Claus M, Blettner M, Klug SJ. Factors influencing uptake of HPV vaccination among girls in Germany. BMC Public Health. 2016 Sep 20;16:995. https://doi. org/10.1186/s12889-016-3663-z.

Publicado

30-06-2021