PERCEPÇÕES DE USUÁRIOS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA SOBRE A AMBIÊNCIA DA SALA DE ESPERA

Ambience in the waiting room

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/2359-4330.8966

Palavras-chave:

Humanização da assistência, Atenção básica em saúde, Estrutura dos serviços

Resumo

Introdução: A sala de espera é um ambiente de permanência relativamente longa nos serviços de saúde. Sua estrutura pode impactar sobre os níveis de bem-estar de usuários e acompanhantes. O objetivo do presente estudo foi conhecer as percepções de usuários de uma Unidade Básica de Saúde de Blumenau/Santa Catarina sobre a sala de espera. A estrutura e a percepção dos usuários foram comparadas às diretrizes do Manual de Estrutura Física das Unidades Básicas de Saúde. Materiais e métodos: Um instrumento adaptado de estudos foi aplicado a 80 usuários em espera de atendimento. Resultados: Entre estes: 93,75% consideraram importante um espaço para recreação de crianças; 42,5% afirmaram comparecer acompanhados de crianças ou bebês à UBS; 97,5% afirmaram haver locais para sentar-se, porém 70% consideraram a quantidade de assentos insuficiente. Quanto ao tempo de espera: 17,5% classificaram como bom; 53,75% como razoável e 28,75% como ruim. Discussão: As condições da sala de espera atendem ao Manual de Estrutura Física das Unidades Básicas de Saúde nos aspectos estruturais, entretanto os usuários percebem necessidades estruturais que não constam nesse instrumento normativo. Conclusão: Na dimensão dos processos há necessidade de um melhor aproveitamento da sala de espera com a proposição de atividades que contribuem para o acolhimento e humanização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Etienne Alessandra Hafemann, FURB - Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil

Fundação Universidade de Blumenau, Centro de Ciências Da Saúde  – CCS. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – PPGSC. Blumenau, Santa Catarina, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8875-9024

Psicóloga formada pela Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB (Santa Catarina). Especialista em Psicologia Social pela Universidade de Araraquara - UNIARA (São Paulo). Mestre em Saúde Coletiva - FURB. É integrante do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Saúde (GIPS) da FURB, desenvolve produção científica na área de Saúde Coletiva, Psicologia Social e Educação em Saúde.

 

Carlos Roberto de Oliveira Nunes, Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil

Fundação Universidade de Blumenau, Centro de Ciências Da Saúde – CCS. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – PPGSC. Blumenau, Santa Catarina, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-6301-4053

Graduado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996) (Florianópolis - Santa Catarina), mestrado em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo (1997) e doutorado em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo (2005). Docente de tempo integral da Universidade Regional de Blumenau (FURB). Experiência em Psicologia Cognitivo-Comportamental, Psicologia da Saúde e Psicologia do Esporte. Professor do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da FURB. Diretor do Centro de Ciências da Saúde da FURB, no quadriênio 2018-2022.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização PNH. 1 ed. Brasília. DF: MS, 2013. [acesso em 2022 Jun 20]; Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_humanizacao_pnh_folheto.pdf.

Alves SM, Bestetti, MLT. Ambiência em Centro de Saúde Escola no Butantã, São Paulo: Estudo Comparativo sobre a percepção de Conforto em 2010 e 2012 por Usuários Maduros. Revista Tecnologia e Sociedade. [periódico na Internet] 2014. [acesso em 2022 Jun 20]; 20(14):136-163. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rts/article/view/2647.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual de estrutura física das unidades básicas de saúde: saúde da família. 2 ed Brasília. DF: MS, 2008. [acesso em 2022 Jul 20]; Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_estrutura_fisica_ubs.pdf.

Villela MS, Ely VHMB. Humanização na ambiência de Práticas Integrativas e Complementares: significado de bem-estar na perspectiva dos usuários. Ciência & Saúde Coletiva [periódico na Internet] 2022 [acesso em 2022 Jun 15]; 27(5):2011–2022. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/637gPDN54mZMLh8xTYhttBz/?format=pdf&lang=pt.

Bestetti, ML. Ambiência: Espaço Físico e Comportamento. Revista Bras. Geriatria e Gerontologia. [periódico na Internet] 2014. [acesso em 2022 Jun 16]; 17(3):601-610. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v17n3/1809-9823-rbgg-17-03-00601.pdf.

Quintino, SM. Processo de Humanização no Hospital Municipal de Rolim de Moura - RO: Limites e Possibilidades. [Dissertação]. Universidade de Brasília. Brasília, 2008.

Sousa, RA. Avaliação do Serviço de Referência na Atenção às Crianças Expostas e Portadoras de HIV/AIDS no Estado do Ceará. [Dissertação] Universidade de Fortaleza. Fortaleza, 2010.

Siegel, S; Castellan, NJ. Estatística Não Paramétrica Para as Ciências do Comportamento. Porto Alegre: Ed. Artmed; 2006.

De Araújo LM, De Araújo Aragão AE, De Azevedo Ponte KM, Aguiar Vasconcelos LC. Pessoas com deficiências e tipos de barreiras de acessibilidade aos serviços de saúde - revisão integrativa. Rev Fund Care [periódico na Internet] 2018. [acesso em 17 jun 2022];10(2):549-557. Disponível em: http:// dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i2.549-557

Depianti JRB, Melo LL, Ribeiro CAR. Brincando para continuar a ser criança e libertar-se do confinamento da hospitalização em precaução. Escola Anna Nery [periódico na Internet] 2018. [acesso em 2022 abr 18];22(2):1-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v22n2/pt_1414-8145-ean-22-02-e20170313.pdf.

Tolocka RE, Corrêa RE, Lima MM de, Colombo CEM, Poletto JE. Brincar e Crianças com Câncer: Que Relação é Esta? LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer [periódico na Internet]. 2019 [acesso em 2022 abr 18];22(1):421–44. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/12327/9883.

Santos PG. Ribeiro VM, Teixeira MA, Luz TR, Climaco LCC, Santos MG. et al., Práticas e Cuidado: Revista de Saúde Coletiva [periódico na Internet] 2020. [acesso em 2022 abr 14]1(e9750)1-16. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/9750/7242.

Negrão M de LB, Silva PC dos S da S, Paraizo CMS, Gomes RG, Dázio EMR, Rezende EG, et al. The waiting room: potential for people with arterial hypertension to learn. Revista Brasileira de Enfermagem. [periódico na Internet] 2018. [acesso 2022 fev 17];71(6):2930–7. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/MFr3yNrHkNy3MK5xsX5SYhh/?lang=en.

Habermehl N, Diekroger E, Lazebnik R, Kim G. Injury Prevention Education in the Waiting Room of an Underserved Pediatric Primary Care Clinic. Clinical Pediatrics. [periódico na Intenet] 2018. [acesso em 2022 mar 23];58(1):73–78. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0009922818806315 .

REIS IN de C, SILVA LR da S, WONG JA, Espaço Público na Atenção Básica de Saúde: Educação Popular e Promoção da Saúde nos Centros de Saúde. Revista Interface. [periódico na Internet] 2014. [acesso em 2022 jan 12];18(2)1661-1174. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/wR4khqt7xRSZdrTXMvrwM3L/?format=pdf&lang=pt.

Andrade JMM, Farinha MG, Esperidião E. Mental Health Nursing: waiting room intervention in integral health care. Revista Brasileira de Enfermagem. [periódico na Internet] 2020. [acesso 2022 jan 14];73(suppl1):e20180886. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/B3sK4bGs6txrjYjFm5yrKSf/?format=pdf&lang=pt.

Mcintyre D, Thiagalingam A, Chow C. While you’re waiting, a waiting room-based, cardiovascular disease-focused educational program: protocol for a randomised controlled trial. BMJ Open [periódico na Internet]. 2020. [acesso em 2022 Jun 20];10(10):e036780. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7577035/.

Teixeira E, Veloso RC, O Grupo em Sala de Espera: Território de Práticas e Representações em Saúde. Revista Contexto Enfermagem. [periódico na Internet] 2006. [acesso em 2022 jun 12]15(2):320-5. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n2/a16v15n2.

Andrade YDS, Azevêdo LMG, dos Santos LE, de Jesus AS, Ribeiro CCS, Mergulhão MAF, et al. Educação em saúde na sala de espera: espaço de produção de cuidado e trabalho interprofissional. Saúde em Redes. [periódico na Internet] 2021. [acesso em 2022 jun 15];7(2):73–82. Disponível em: http://revista.redeunida.org.br/ojs/index.php/rede-unida/article/view/3166.

Rodrigues LP. Nicodemos FT, Escoura C, Lopes PFG, Ferreira MA, Santos, A da S. Sala de espera: espaço para educação em saúde Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social. [periódico na Internet] 2018. [acesso em 2022 jun 15];6(3)500-507. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=497956691013.

Collins PB, Coren JS, Dinzeo TJ, Lehrman S. Improving the Waiting Room Experience. Family Practice Management [periódico na Internet]. 2020.[acesso em 2022 Jun 20];27(1):14–8. Disponível em: https://www.aafp.org/pubs/fpm/issues/2020/0100/p14.html.

Fryburg DA. What’s Playing in Your Waiting Room? Patient and Provider Stress and the Impact of Waiting Room Media. Journal of Patient Experience. [periódico na Internet] 2021. [acesso 2022 jan 13]8:237437352110498. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8641118/.

Villela MS, Ely VHMB. Stimuli towards well-being in an environment with Complementary and Integrative Practices (CIPs). Ambiente Construído [periódico na Internet] 2020. [acesso em 2022 Jun 20];20:441–56. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ac/a/kFB5kqvdW3gtKG3znBXYf3v/?lang.

Publicado

2024-01-16

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.