O heavy metal na cultura da mídia brasileira: o caso Black Sabbath e o programa Fantástico

Autores

  • Fábio Cruz Universidade Federal de Pelotas
  • Roberto Ramos Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.13037/ci.vol16n32.3359

Palavras-chave:

Cultura da mídia. Heavy metal. Fait divers.

Resumo

Neste trabalho apresentamos um estudo do discurso produzido em uma reportagem exibida no programa Fantástico, da Rede Globo, em 7 de julho de 2013, sobre o grupo de heavy metal inglês Black Sabbath. Adotando uma postura crítica, histórica e dialética, a pesquisa tem como marcos teórico-metodológicos os pressupostos de Douglas Kellner (2001) e Roland Barthes (1971). Entre os principais resultados, constatamos que o Fantástico atua em sintonia com a ideologia globalizantede mercado lançando mão de desvioscomo o fait divers.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Cruz, Universidade Federal de Pelotas

Pós-doutor em Direitos Humanos, Mídia e Movimentos Sociais (Universidade Pablo de Olavide – Sevilha/Espanha). Doutor em Cultura Midiática e Tecnologias do Imaginário (PUCRS). Professor adjunto do curso de graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Roberto Ramos, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1997) e Pós-Doutorado em Ciências da Comunicação pela Unisinos (2010); Atualmente é professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul nos cursosw de graduação e pós-graduação.

Downloads

Publicado

20-08-2015