A cobertura jornalística do caso Mayara Amaral: reflexões sobre um feminicídio anunciado

Autores

  • Katarini Giroldo Miguel Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Tainá Mendes Jara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Lynara Ojeda de Souza Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.13037/ci.vol19n40.5156

Palavras-chave:

cobertura jornalística, feminicídio, violência contra a mulher

Resumo

Trazemos para este trabalho uma discussão jurídica e conceitual da violência contra a mulher, atrelada à análise exploratória e comparativa da cobertura jornalística de um caso específico de feminicídio: da musicista campo-grandense Mayara Amaral, que colocou em debate o uso da tipificação, além da própria abordagem midiática. Selecionamos as notícias sobre o caso em veículos on-line de diferentes perfis editoriais: Campo Grande News, Folha de S.Paulo, El País Brasil e revista Veja, e constatamos pautas diretamente influenciadas pelas mobilizações sociais em rede, preocupadas em noticiar o crime, mas não em contextualizar suas motivações.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katarini Giroldo Miguel, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Jornalista, mestre em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista, Campus Bauru, doutora em Comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo, docente no curso de Jornalismo e no mestrado em Comunicação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Tainá Mendes Jara, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Jornalista, mestranda em Comunicação (linha de pesquisa: Linguagens, Processos e Produtos Midiáticos) do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Lynara Ojeda de Souza, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Jornalista, mestranda em Comunicação (linha de pesquisa: Linguagens, Processos e Produtos Midiáticos) do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Downloads

Publicado

20-07-2018