Jornalismo guiado por dados como ferramenta de fact-checking: uma experiência laboratorial

Autores

  • Virgínia Pradelina da Silveira Fonseca Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Fabiana Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Marília Gehrke Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Taís Seibt Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.13037/ci.vol19n41.5491

Palavras-chave:

Fact-checking, Jornalismo guiado por dados, Ensino

Resumo

Neste artigo, discute-se o jornalismo guiado por dados como método central no processo de fact-checking (checagem de fatos). A análise é feita a partir de experiência em um curso de extensão realizado na Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) no primeiro semestre de 2018. Com base nas percepções e nas críticas dos estudantes, identificam-se algumas das dificuldades encontradas em sala de aula para analisar as potencialidades e as limitações desta prática no jornalismo contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virgínia Pradelina da Silveira Fonseca, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Jornalista, doutora em Comunicação e Informação, professora e pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCOM/UFRGS).

Fabiana Freitas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Jornalista, mestra e doutoranda em Comunicação no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCOM/UFRGS). Co-criadora da Troco Dados.

Marília Gehrke, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Jornalista, mestra e doutoranda em Comunicação no PPGCOM/UFRGS. Co-criadora da Troco Dados.

Taís Seibt, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Jornalista, mestra em Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e doutoranda no PPGCOM/UFRGS. Co-fundadora do Filtro Fact-checking.

Downloads

Publicado

18-12-2018

Edição

Seção

Dossiê Pesquisa Aplicada em Comunicação 2018