Fotojornalismo e Futebol: imagens de violência envolvendo torcedores organizados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/ci.vol22n49.7721

Palavras-chave:

Mídia; Imagem; Violência; Futebol; Torcida Organizada.

Resumo

A fim de contribuir para a compreensão da construção midiática da violência no futebol, este artigo descreve e interpreta os modos pelos quais os atores envolvidos num grave confronto entre torcedores organizados do Corinthians e do Palmeiras foram imageticamente construídos numa reportagem veiculada no portal G1/Globo Esporte de notícias da Rede Globo. Para realizar essa análise, embasa-se na obra de Roland Barthes. Entre outras coisas, conclui que o portal adota uma narrativa maniqueísta, que estigmatiza as torcidas organizadas e legitima o endurecimento penal, como se graves conflitos sociais pudessem ser transformados, fundamentalmente, pela força da lei. Também conclui que ele dissimula a dimensão social e política dessas torcidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tarcyanie Cajueiro Santos, Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura

Professora do Programa de Pós-Graduação e Cultura da Universidade de Sorocaba.  Mestre e Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo, com Pós-Doutorado pela mesma instituição. Bolsista Jovem Pesquisadora da Fapesp no período de 2008 a 2012. Docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (UNISO), Sorocaba/SP. 

Felipe Tavares Paes Lopes, Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Cultura da Uniso

 

 

Doutor em Psicologia Social pela USP e fez pós-doutorado no CPDOC-FGV e na FEF-Unicamp. Atualmente, é docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura e desenvolve pesquisa sobre ativismo no futebol com apoio da Fapesp.

Rodrigo Fontanari, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

 

Doutor em Comunicação e semiótica.

Referências

Lopes, F. T. P (2013). Dimensões públicas do debate acerca da violência no futebol brasileiro. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. v. 27, n. 4, p. 597-612.

Santos, T. C. Dos (2005). Dos espetáculos de massa às torcidas organizadas: paixão, rito e magia no futebol. 01. ed. São Paulo: Annablume.

Barthes, R (1990). O óbvio e o obtuso: ensaios sobre fotografia, cinema, teatro e música. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

_____ (2005). Imagem e Moda. Inéditos volume 3. São Paulo: Martins Fontes.

Dunning, E. (2014). Sociologia do esporte e os processos civilizatórios. São Paulo: Annablume.

FLORES, M. (2016). 8 problemas extremamente graves do Brasil, na opinião dos brasileiros. Agência de Notícias CNI, 11 fev. s/p. Disponível em: http://www.portaldaindustria.com.br/agenciacni/noticias/2016/02/8-problemas-extremamente-graves-do-brasil-na-opiniao-dos-brasileiros/ . Acesso em: 12 abr. 2018.

Hollanda, B. B. B (2009). O clube como vontade e representação: o jornalismo esportivo e a formação das torcidas organizadas de futebol no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 7 Letras.

Loseke, D. R (2008). Thinking about social problems. 2 ed. New Brunswick: Transaction.

Murad, M (2017). A violência no futebol: novas pesquisas, novas ideias, novas propostas. 2 ed. São Paulo: Benvirá.

Pinheiro, P. S.; Almeida, G. A (2003). Violência urbana. São Paulo: Publifolha.

RESENDE, Y (2016). Clássicos no Estado de São Paulo terão torcida única até o fim deste ano”. G1/Globo Esporte. 04 abr. 2016. s/p. Disponível em:http://globoesporte.globo.com/sp/futebol/noticia/2016/04/classicos-em-sao-paulo-terao-torcida-unica-ate-o-fim-deste-ano.html. Acesso em: 18 jan. 2018.

Spink, M. J. (2006). O poder das imagens na naturalização das desigualdades: os crimes no cotidiano da mídia jornalística. In: SPINK, M. J.; SPINK, P. Práticas cotidianas e a naturalização da desigualdade: uma semana de notícias nos jornais. São Paulo: Cortez, p. 17-41.

THOMPSON, J. B (2008). A nova visibilidade. Revista Matrizes, n.2, p.15-38, abr. Disponível em:

www.revistas.univerciencia.org/index.php/MATRIZes/article/download/5230/5253. Acesso em: 28 mai. 2016.

Teixeira, R.; Lopes, F. T. P. (2018). Reflexões sobre o 'Projeto Torcedor' alemão: produzindo subsídios para o debate acerca da prevenção da violência no futebol brasileiro a partir de uma perspectiva sociopedagógica. Revista de Antropologia - USP. v. 61, n. 3, p. 130-161. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/152037. Acesso em: 11 mar. 2019.

ZUCAL, J. G (2010). Nosotros nos peleamos: violencia e identidad de una hinchada de fútbol. Buenos Aires: Prometeu Libros.

Downloads

Publicado

15-06-2021