Os bebês e a brincadeira livre na creche: concepções e práticas - apontamento para as Políticas Públicas da Infância

Autores

  • Maria Ephigênia de A. C. Nogueira
  • Andréa Costa Garcia

DOI:

https://doi.org/10.13037/rea-e.vol1n1.4253

Resumo

O artigo relata uma pesquisa de observação com bebês de 1 a 2 anos de idade ea brincadeira livre na creche. O trabalho de observação foi desenvolvido em um Centro de Educação Infantil da rede pública da cidade de São Paulo, de fevereiro de 2013 a dezembro de 2014. Por meio do questionamento da liderança formal da creche sobre o brincar livre, buscou-se compreender os espaços, brinquedos e materiais à disposição dos bebês, concebidos como sujeitos criativos e em interação. Com metodologia de abordagem qualitativa, envolvendo estudo de caso único e investigação-ação, as concepções dos educadores em relação ao espaço, brinquedos, brincadeiras, papel do adulto na mediação foram se transformando a partir do apoio à liderança formal da escola. A formação continuada, o desenvolvimento profissional, a cultura docente e a cultura institucional se reorganizaram a partir de concepções e práticas favoráveis à autonomia dos bebês.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Ephigênia de A. C. Nogueira

Doutora em Educação, Pesquisadora do Contexto Integrado de Educação Infantil – (Ciei) Feusp e Docente noEnsino Superior – Universidade Paulista, Pesquisadora Grupo de Políticas Públicas, Gestão e Formação de Professores–Universidade Paulista

Andréa Costa Garcia

Mestranda em Educação, Pesquisadora do Contexto Integrado de Educação Infantil – (Ciei) Feusp eSupervisor Escolar na rede municipal de São Paulo

Downloads

Publicado

17-09-2016

Edição

Seção

ARTIGOS FLUXO CONTÍNUO