"COLCHA DE RETALHOS" e NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS: UM OLHAR DA PSICANÁLISE

Autores

  • Margaréte May Berkenbrock-Rosito
  • Maria Lucinalva da Silva Mestre em Educação/Universidade Cidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.13037/rea-e.vol2n4.4736

Resumo

Este trabalho tem como objetivo refletir a formação do professor no curso de Pedagogia à luz dos conceitos da psicanálise sobre Inconsciente e Desejo, em Freud e Lacan, tendo como objeto de estudo a “Colcha de Retalhos”, uma metodologia e uma epistemologia desenvolvida por Berkenbrock-Rosito (2014) dentro da abordagem (Auto)Biográfica, que traz como proposta a formação do professor e do pesquisador por meio de narrativas nas dimensões: escrita, pictórica e oral, de alunos de graduação em Pedagogia, visando o desenvolvimento da autonomia e emancipação dos sujeitos, fundamentados, respectivamente, em Freire (2011) e Adorno (1995), em Schiller (2002). Neste estudo, privilegiou-se como material a ser analisado as narrativas escritas pelos alunos. A reflexão das narrativas dos sujeitos à luz dos conceitos da psicanálise em Freud e Lacan revelam uma dimensão estética do inconsciente que estabelece um limite para o desenvolvimento da autonomia e emancipação dos sujeitos.

Palavras Chave: Colcha de Retalhos; Narrativas autobiográficas; Formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Margaréte May Berkenbrock-Rosito

Doutorado em Educação/UNICAMP. Pós-Doutorado em História da Educação/Universidade de Lisboa. Pesquisadora e Professora no Mestrado em Educação e Mestrado Profissional Formação de Gestores Educacionais/UNICID.

Downloads

Publicado

25-01-2018

Edição

Seção

ARTIGOS FLUXO CONTÍNUO