A MEDIAÇAO FORMATIVA NA CRECHE: BEBÊS, PROFESSORAS, GESTORAS E PAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/rea-e.vol5n9.6485

Resumo

No trabalho docente na creche surge a necessidade de romper com as marcas deixadas pelo assistencialismo decorrente da ideia de que para a educação de bebês e crianças pequenas bastam os cuidados básicos com higiene, repouso e alimentação. Portanto, o objetivo desta pesquisa é observar, descrever e analisar a rotina de uma creche onde uma das autoras deste estudo desenvolve o estágio, de forma a destacar a triangulação formativa entre os bebês, as educadoras-gestoras e os pais. A pesquisa é de abordagem qualitativa, sendo os procedimentos metodológicos a observação participante e análise de documentos, principalmente de relatórios sobre o desenvolvimento global de oito bebês. Os resultados apontaram para a importância do diálogo formativo entre a estagiária, a professora titular e o corpo gestor, bem como revelaram a opinião dos pais dos bebês sobre seu desenvolvimento nos ambientes além da escola, onde não se tem alcance, apenas através de seus depoimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edilene Nere Ribeiro, Rede de Ensino Pública Municipal

Graduada em pedagogia pela Universidade Estadual Vale do acaráu- UVA. Professora da Rede Pública de Ensino- Sobral, Ceará

Andrea Abreu Astigarraga, Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA

Mestre e Doutora pela Universidade Federal do Ceará - UFC

Pós-Doutora pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Professora Adjunta na Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA

Eunice Andrade de Oliveira Menezes, Universidade Federal do Cariri - UFCA

Mestre e Doutora em educação pela Universidade Estadual do Ceará- UECE.

Professora Adjunta da Universidade Federal do Cariri- UFCA

Downloads

Publicado

13-07-2020

Edição

Seção

DOSSIÊ EDUCAÇÃO INFANTIL