Política de remuneração de executivos: um estudo em empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas

Débora Gomes Machado, Ilse Maria Beuren

Resumo


O estudo objetiva verificar como a política de remuneração de executivos, nas perspectivas de nível e estrutura, conforme a proposição de Murphy (1999), tem sido praticada por empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas, no período de 2007 a 2010. A coleta de dados foi documental e a amostra constituiu-se de 400 empresas industriais, sendo 30 brasileiras, 47 inglesas e 323 estadunidenses. Os resultados mostram que a remuneração dos executivos estadunidenses, quanto ao nível é quase três vezes maior do que a dos executivos brasileiros e ingleses. Quanto à estrutura da remuneração, também não se constatou semelhança na política de remuneração dos executivos brasileiros, estadunidenses e ingleses, sendo que grande parte da remuneração dos executivos estadunidenses é baseada em ações. Conclui-se que a política de remuneração de executivos praticada por empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas, no período de 2007 a 2010, não apresenta semelhanças nas perspectivas de nível e estrutura evidenciadas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/gr.vol31n92.2088

 

Indexadores de que a G&R faz parte:


   DOAJ OAIster OCLC Ulrich LiVre Redalyc  SUMARIOS.org LatindexProquest

 

A G&R utiliza o                software  iThenticate para detecção e  prevenção de plágio 
 

    
 
 
 
A G&R é signatária da Declaração        de São Francisco sobre Avaliação        de Pesquisa- Dora