Governança Corporativa, Responsabilidades dos Órgãos de Controle e Ouvidorias: Estudo em Bancos no Brasil

Autores

  • Carlos André de Melo Alves Doutor pela Universidade de São Paulo.
  • Claudio Antonio Pinheiro Machado Filho Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.13037/gr.vol30n90.2340

Resumo

O objetivo principal deste artigo é identificar as responsabilidades dos órgãos de controle relativas às ouvidorias de 26 bancos no Brasil. Subsidiariamente, verificam-se diferenças entre as responsabilidades identificadas de janeiro de 2008 a junho de 2011. Realiza-se estudo descritivo e qualitativo, contendo pesquisa documental. A amostra baseia-se no Relatório ‘50 Maiores Bancos’ do Banco Central. Para tratar os dados emprega-se análise de conteúdo, segmentando-se as responsabilidades em três categorias relativas aos seguintes órgãos de controle: 1. conselho de administração, 2. auditoria interna e comitê de auditoria, 3. auditoria independente. Empregam-se testes não paramétricos nas análises. Verificou-se 30,77% das categorias presentes, apurando-se diferenças entre percentuais de duas categorias. Para 50% dos bancos não houve categorias presentes e para 11,54% deles todas as categorias estiveram presentes. Evidências sugerem aprimorar a transparência das responsabilidades dos órgãos de controle, buscando reduzir assimetrias informacionais referentes aos processos decisórios de controle de bancos no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos André de Melo Alves, Doutor pela Universidade de São Paulo.

Doutor em Administração pela FEA/USP e Mestre em Administração pela UFPR.

Principais áreas de interesse: governança corporativa, gestão de riscos (especialmente o risco operacional), sistema financeiro nacional, regulação.

 

Claudio Antonio Pinheiro Machado Filho, Universidade de São Paulo

Doutor em Administração - FEA/USP.

Professor do Departamento de Administração - FEA/USP.

Downloads

Publicado

15-12-2014

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)