DISTÂNCIA CULTURAL E EXPATRIAÇÃO JAPONESA NA AMÉRICA LATINA

Autores

  • Márcia Zabdiele Moreira Universidade Federal do Ceará
  • Mário Henrique Ogasavara Escola Superior de Propaganda e Marketing

DOI:

https://doi.org/10.13037/gr.vol34n101.3843

Resumo

A designação de pessoas para atuarem nas subsidiárias estrangeiras das empresas multinacionais é influenciada por fato­res intrínsecos e extrínsecos às organizações. O estudo teve como objetivo analisar a relação entre a distância cultural e a estratégia de expatriação das empresas multinacionais japonesas na América Latina. Realizou-se estudo quantitativo por meio de dados secundários obtidos a partir de análises da base de dados Japanese overseas investments by country. Foram analisados os anos de 2006 a 2012, tratando-se, portanto, de estudo longitudinal. O tratamento dos dados foi feito por meio de regressão múltipla. Constatou-se que há relação inversa e significante entre expatriação e distância cultural e rela­ção direta e significante entre expatriação e indústria da subsidiária e tamanho da subsidiária. Concluiu-se que as empresas multinacionais consideram a distância cultural na decisão de expatriação, expatriando mais quanto menor a distância cultural entre os países.

Palavras-chave: Estratégia de expatriação; distância cultural; subsidiárias estrangeiras; Japão; América Latina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Zabdiele Moreira, Universidade Federal do Ceará

Professora adjunta do Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração, Atuariais e Contabilidade da Universidade Federal do Ceará, Fortaleza (CE), Brasil.

Mário Henrique Ogasavara, Escola Superior de Propaganda e Marketing

Professor titular do Programa de Mestrado e Doutorado em Gestão Internacional da Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo (SP), Brasil.

Downloads

Publicado

30-05-2018