TEORIA DA COMPLEXIDADE ECONÔMICA E DESIGUALDADE DE RENDA: evidências para a Região do Grande ABC (2000-2010)

Eloiza Regina Ferreira de Almeida, Veneziano de Castro Araujo

Resumo


Alguns estudos sugerem que o nível de complexidade econômica de um local está associado à desigualdade de sua renda. O objetivo deste artigo é avaliar a alteração na complexidade econômica na RGABC e se esta dinâmica tem relação com as variações na desigualdade de renda no período de 2000 a 2010. Para isso, são avaliados conjuntamente índices de desigualdade (o coeficiente de Gini e índice de Palma) e de complexidade (ECI) dos municípios. Não é possível apontar uma redução da desigualdade de renda na região uma vez que os municípios mostram efeitos heterogêneos. Já quanto à complexidade, houve aumento de categorias de produtos exportados com vantagem comparativa revelada (RCA) em quatro dos sete municípios com aumento da complexidade econômica em três deles. Analisando conjuntamente, apenas Diadema, mostra comportamento diretamente alinhado ao esperado pela teoria: aumento na complexidade produtiva (aumento no ECI) e redução na desigualdade (redução do coeficiente de Gini).

Palavras-chave


Complexidade econômica; Desigualdade de renda, Região do Grande ABC

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/gr.vol36n108.5717



 

Indexadores de que a G&R faz parte:


   DOAJ OAIster OCLC Ulrich LiVre Redalyc  SUMARIOS.org LatindexProquest

 

A G&R utiliza o                software  iThenticate para detecção e  prevenção de plágio 
 

    
 
 
 
A G&R é signatária da Declaração        de São Francisco sobre Avaliação        de Pesquisa- Dora