INOVAÇÃO E O MERCADO DE CERVEJA ARTESANAL FLUMINENSE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/gr.vol37n112.6330

Palavras-chave:

Coworking, Cerveja Artesanal Cigana, Inovação

Resumo

Os sistemas de coworking são espaços que oferecem flexibilidadeparaseususuárioscomrelaçãoaoscustos,e,porisso,seusprincipais atores são freelancers ou/e startups. As cervejarias ciganas, cervejarias sem fábricas que produzem no espaço da outra cervejaria, podem ser consideradas um modelo coworking. Os coworking cervejeiros fluminenses criam relações de parceria para produzir sua cerveja artesanal. Este trabalho procurou identificar a contribuição das cervejarias artesanais para a teoria da inovação cooperativa e do mercado cervejeiro. Para isso, utilizaram-se pesquisas bibliográfica, documental e entrevistas em profundidade com análises qualitativas. Foram pesquisadas 154 microcervejarias fluminenses. Observou-se que a inovação cooperativa nos coworking cervejeiros possibilita que pequenas empresas desenvolvam seu produto e ingressem no mercado, assim como a introdução de novas parcerias promove o fortalecimento da disseminação das cervejas artesanais entre os consumidores do estado do Rio de Janeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisa Priori, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Administração na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Mestre em Administração na Universidade Federal Fluminense (UFF), com financiamento da CAPES - Bolsista
Especialista em Negócios Digitais pela UNIRITTER. Graduada em Comunicação Social - Relações
Públicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Tem como interesse de pesquisa os temas: economia compartilhada, sistemas de coworking, cerveja artesanal, cerveja artesanal cigana, inovação, redes de inovação, comportamento do consumidor, cultura e consumo, mídias e consumo, marketing de experiência.

Prof. Dr. Carlyle Tadeu Falcão de Oliveira, UERJ / PPGAd - UFF

Doutor em Administração pela Escola de Administração Pública e de Empresas da Fundação
Getúlio Vargas - EBAPE/FGV. Professor adjunto da Faculdade de Administração e Finanças da Universidade
do Estado do Rio de Janeiro - UERJ e professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da
Universidade Federal Fluminense – UFF.

Referências

ABRACERVA. Com 91 novos registros no 1º semestre, o mercado das artesanais avança no Brasil e já tem 610 cervejarias. 2017. Disponível em: http://abracerva.com.br/com-91-novos-registros-no-1o-semestre-mercado-das-artesanais- avanca-no-brasil-e-ja-tem-610-cervejarias. Acesso em: 12 jan. 2018.

ALVARENGA, Darlan. Número de Cervejas no Brasil quase dobra em 3 anos e o setor volta a criar empregos. 2018. Publicada Por Portal G1. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/pme/noticia/numero-de-cervejarias-no-brasil-quase-dobra-em-3-anos-e-setor-volta-criar-empregos.ghtml. Acesso em: 30 mar. 2018.

BAGGIO, Daniela; WEGNER, Douglas; DALMARCO, Gustavo. Coordination mechanisms of collaborative R&D projects in small and medium enterprises. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 19, n. 2, 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. (1977). Lisboa (Portugal): Edições, v. 70, p. 225, 2010.

BENGTSSON, Maria; KOCK, Sören. Cooperation and competition in relationships between competitors in business networks. Journal of business & industrial marketing, 1999.

BOTSMAN, R. ROGERS, R. O que é meu é seu: como o consumo colaborativo vai mudar o nosso mundo. Porto Alegre: Bookman, 2011.

BRASIL, Marcus Vinicius de Oliveira; NOGUEIRA, Cláudio André Gondim; FORTE, Sérgio Henrique Arruda Cavalcante. Schumpeter e o desenvolvimento tecnológico: uma visão aplicada às pequenas e médias empresas. Revista de Ciências da Administração. v. 13, n. 29, p.38-62, 20 abr. 2011. DOI http://dx.doi.org/10.5007/2175-8077.2011v13n29p38

BURREL, Gibson & MORGAN, Gareth. Sociological paradigms and organizational analysis. Heinemann: London, 1982.

CARVALHO, Naiara Barbosa. Cerveja Artesanal: pesquisa mercadológica e aceitabilidade sensorial. 136 f. 2015. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2015.

CARVALHO, Eduardo; SUGANO, Joel. Tipologias de inovação aberta em novas empresas de base tecnológica brasileiras. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, v. 15, n. 2, p. 65-83, 2016.

CHESBROUGH, Henry William. Open innovation: The new imperative for creating and profiting from technology. Harvard Business Press, 2003.

CHESBROUGH, Henry; VANHAVERBEKE, Wim; WEST, Joel (Ed.). New frontiers in open innovation. Oup Oxford, 2014.

FARIA, Pedro de; LIMA, Francisco; SANTOS, Rui. Cooperation in innovation activities: The importance of partners. Research Policy, [s.l.], v. 39, n. 8, p.1082-1092, out. 2010. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.respol.2010.05.003. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0048733310001277>. Acesso em: 03 ago. 2018.

FREITAS, Henrique et al. O método de pesquisa survey. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 35, n. 3, 2000.

GIL, Antônio Carlos. Métodos E Técnicas De Pesquisa Social - 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008.

GRANDO, João Weber. Dinamarquês cria cervejas de forma 'cigana' e com fábricas emprestadas. 2014. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/comida/2014/06/1468189-dinamarques-cria-cervejas-de-forma-cigana-e-com-fabricas-emprestadas.shtml>. Acesso em: 12 jan. 2018.

HABIBI, Mohammad Reza; DAVIDSON, Alexander; LAROCHE, Michel. What managers should know about the sharing economy. Business Horizons, v. 60, n. 1, p. 113-121, 2017.

JORDE, Thomas M.; TEECE, David J.. Innovation and Cooperation: Implications for Competition and Antitrust. The Journal of Economic Perspectives, Berkeley, v. 4, n. 3, p.75-96, Jun. 1990. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/1942930>. Acesso em: 03 ago. 2018.

LAMBERTON, Cait. Collaborative consumption: a goal-based framework. Current Opinion In Psychology, [s.l.], v. 10, p.55-59, ago. 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.copsyc.2015.12.004. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352250X15003115?via=ihub>. Acesso em: 11 Set. 2017.

São Caetano do Sul, SP | v.37 | n. 112 | p. 141-160 | set./dez. | 2021 |ISSN 2176-5308-(MAPA). Anuário da cerveja. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/a-cada-dois-dias-uma-nova-cervejaria-abre-as-portas-no-brasil. Acesso em: 12 jan. 2018.

OECD. Manual de Oslo: DIRETRIZES PARA COLETA E INTERPRETAÇÃO DE DADOS SOBRE INOVAÇÃO. 3. ed. Oslo: Finep, 1997. 184 p. Traduzido sob a responsabilidade da FINEP.

OSTERWALDER, A.; PIGNEUR, Y. Business Model Generation. Hoboken: John Wiley &

Sons, 2010.

PALACIOS, Miguel et al. Crowdsourcing and organizational forms: Emerging trends and research implications. Journal of Business Research, v. 69, n. 5, p. 1834-1839, 2016.

PRAHALAD, C.k.; KRISHMAN, M.s. A nova era da Inovação: Impulsionando a co-criação de valor ao longo das redes sociais. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 242 p. Tradução Afonso Celso da Cunha Serra.

RESE, Alexandra; KOPPLIN, Cristopher Siegfried; NIELEBOCK, Caren. Factors influencing members’ knowledge sharing and creative performance in coworking spaces. Journal of Knowledge Management, 2020.

RISEN, C. The Innovative 'Gypsy Brewers' Shaking Up the Beer World. The Atlantic, 20 Oct 2010. Disponível em: <http://www.theatlantic.com/health/archive/2010/10/theinnovative-gypsy-brewers-shaking-up-the-beer-world/64828/>. Acesso em: 07 Jan 2019.

RONCOLATO, Murilo. Cerveja artesanal avança no Brasil com pequenos e ‘ciganos’. 2016. Elaborado pelo jornal digital NEXO. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/reportagem/2016/12/16/Cerveja-artesanal-avança-no-Brasil- com-pequenos-e-‘ciganos’. Acesso em: 15 jan. 2018.

SEBRAE. Boletim- Potencial de consumo de cervejas no Brasil. 2015. Disponível em: <http://www.sebraemercados.com.br/boletim-potencial-de-consumo-de-cervejas-no-brasil/>. Acesso em: 12 jan. 2018.

SEBRAE. Microcervejarias. 2016. Disponível em: <http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/8818d2954be64fcda8628defef1f70f8/$File/7503.pdf>. Acesso em: 12 jan. 2018

SCHUMPETER, Joseph. A teoria do desenvolvimento econômico (1912). São Paulo: Ed, 1997.

SERGIO, Marina Carradore; GONÇALVES, Alexandre Leopoldo. Inovação aberta: o potencial das redes sociais colaborativas na gestão de ideias. Informação & Sociedade, v. 27, n. 3, 2017.

SILVA, Eduardo. Mercado de Cerveja Artesanal acompanha a evolução do shopper para inovar e crescer. 2017. Clube do Trade. Disponível em: <https://clubedotrade.com.br/blog/mercado-de-cerveja-artesanal/>. Acesso em: 12 jan. 2017.

SILVEIRA, Lisilene Mello da; PETRINI, Maira; SANTOS, Ana Clarissa Matte Zanardo dos. Economia compartilhada e consumo colaborativo: o que estamos pesquisando? Rege - Revista de Gestão, [s.l.], v. 23, n. 4, p.298-305, out. 2016. Emerald. http://dx.doi.org/10.1016/j.rege.2016.09.005. Disponível em: <https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1809227616306063>. Acesso em: 21 nov. 2017.

SOARES, Juliana Maria Moreira; SALTORATO, Patricia. Coworking, uma forma de organização de trabalho: conceitos e práticas na cidade de São Paulo. Atoz: novas práticas em informação e conhecimento, v. 4, n. 2, p.61-73, 2015. http://dx.doi.org/10.5380/atoz.v4i2.42337. Acesso em: 10 nov. 2017

SPINUZZI, C. (2012). Working alone together: coworking as emergent collaborative activity. Journal of Business and Technical Communication, 26(4), 399-441. Doi: 10.1177/1050651912444070

STANKO, Michael A.; HENARD, David H. Toward a better understanding of crowdfunding, openness and the consequences for innovation. Research Policy, v. 46, n. 4, p. 784-798, 2017.

TEECE, David J.. Competition, cooperation, and innovation. Journal of Economic Behavior & Organization, [s.l.], v. 18, n. 1, p.1-25, Jun. 1992. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/0167-2681(92)90050-l. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/016726819290050L>. Acesso em: 03 ago. 2018.

TIDD, Joe; BESSANT, John; PAVIT, Keith. Gestão da Inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. 600 p. Tradução: Elizamari Rodrigues Becker, Gabriela Perizzolo, Patricia Lessa Flores Da Cunha, Sara Viola Rodrigues, Semframis Teixeira Bastos.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, 1998. 87 p.

VERGARA, Sylvia Constant. Métodos de Pesquisa em Administração. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2005. 269p.VIEIRA, Filipe C.; VALE, HAMILCAR V.; MAY, Marcia R. Open Innovation And Business Model: Embrapa Forestry Case Study. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 19, n. 4, 2018.

WILHELMS, Mark-Philipp; MERFELD, Katrin; HENKEL, Sven. Yours, mine, and ours: A user-centric analysis of opportunities and challenges in peer-to-peer asset sharing. Business Horizons, v. 60, n. 6, p. 771-781, 2017.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2021-09-30