FINANCIAMENTO INDIRETO, ADESÃO A PARCELAMENTOS PREVIDENCIÁRIOS E AS CONSEQUÊNCIAS À PREVIDÊNCIA SOCIAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/gr.vol39n116.7674

Palavras-chave:

Financiamento indireto. Parcelamento previdenciário. Programas de parcelamento

Resumo

A prática de financiamento indireto por meio das contribuições previdenciárias conjuntamente à expectativa quanto ao lançamento dos planos de recuperação fiscal, são motivadores deste artigo. A pesquisa objetivou verificar se os aderentes ao Plano Especial de Regularização Tributária-PERT/2017 apresentavam dificuldades financeiras ao recolhimento tempestivo. O programa abrange 184.547 concessões e montante devedor de R$ 9.550.498.343,03. A investigação contemplou as cem empresas com os maiores débitos previdenciários e ocorreu mediante as receitas auferidas e os resultados apurados pelas empresas em momento próximo ao PERT/2017 entre 2014 e 2018. Como ferramentas metodológicas estão a Curva ABC e a Análise de Conglomerados. A prática de financiamento indireto foi constatada, pois 71% das empresas auferiram receitas significativas, e 51% resultaram em lucro. Como contribuição, a pesquisa traz uma reflexão quanto ao tratamento igualitário aos inadimplentes, cujos perfis são muito discrepantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Cristina Silva, Unip

Mestre em Ciências Contábeis e Atuariais - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP

Professora da Graduação da Universidade Paulista- UNIP/SP

Fernando de Almeida Santos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP

Doutor em Ciências Sociais - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP

Professor do Mestrado em Ciências Contábeis, Controladoria e Finanças da PUC-SP

Francisco César Pinto da Fonseca, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP

Doutor em História Social – USP/SP

Professor do Doutorado em Ciências Sociais da PUC/SP

Professor na Fundação Getúlio Vargas – FGV/EAF-SP

Fabrício José Piacente , Centro Paula Souza/SP

Doutor em Economia – Unicamp/SP

Professor do Mestrado Profissional em Gestão e Tecnologia em Sistemas Produtivos do Centro Paula Souza/SP

Referências

ABRÃO, Carlos Henrique. Crime Tributário-um estudo da norma penal tributária. 4 ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2015.

AMARO, Luciano. Direito Tributário Brasileiro. 21 ed. São Paulo: Saraiva, 2016.

ASSAF NETO, Alexandre; SILVA, César Augusto TIBÚRCIO. Administração do Capital de Giro. 4. ed, São Paulo: Atlas, 2012.

BALERA, Wagner. Sistema de Seguridade Social. 7 ed. São Paulo: LTR, 2014.

BANKER, Gilvânia. Os prós e contras do parcelamento tributário. 2011. Disponível em . Acesso em 18 abr. 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. 5 ed. São Paulo: Almedina Brasil, 2010.

BARELA, Wagner; MUSSI, Cristiane Miziara. Direito previdenciário para provas e concursos. São Paulo: Método, 2004.

BARBOSA. Carolina Cintra, Análise dos crimes contra a Seguridade Social. 2011. Disponível em https://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/6481/Analise-dos-crimes-contra-a-Seguridade-Social. Acesso em 12 out. 2019.

BRASIL. Constituição Federal (1988). Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao46.htm. Acesso em 10 abr. 2018.

_______. Lei nº 8.137/90. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8137.htm. Acesso em 09 mai. 2018.

_______. Lei nº 8.212/91. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8212cons.htm. Acesso em 08 abr. 2019.

______. Lei nº 9.964/00. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9964.htm. Acesso em 18 agos.2018.

_______. Lei nº 9.983/00. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9983.htm. Acesso em 22 jun.2019.

_______. Lei nº 10.522/02. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10522.htm. Acesso em 22 out. 2018.

_______. Lei nº 10.864/03. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.684.htm. Acesso em 18 dez. 2018.

_______. Lei nº 11.941/09. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11941.htm. Acesso em 12 set. 2018.

_______. Lei nº 12.996/14. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L12996.htm. Acesso em 25 fev. 2019.

_______. Lei nº 13.496/17. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13496.htm. Acesso em 29 mai. 2019.

_______. Medida Provisória nº 303/06. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Mpv/303.htm. Acesso em 24 abr. 2019.

CARAM, Bernardo. Rombo da Previdência e bate recorde e atinge R$ 318 bilhões em 2019. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/01/rombo-da-previdencia-bate-recorde-e-atinge-r-318-bilhoes-em-2019.shtml. Acesso em 18 mai. 2020.

CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO – CGU. O que é e como funciona. Disponível em http://www.portaltransparencia.gov.br/sobre/o-que-e-e-como-funciona. Acesso em 04 set. 2019.

FABRETTI, Láudio Camargo. Contabilidade Tributária. 14 ed, revista e atualizada por Denise Fabretti, Dilene Ramos Fabretti e José Luíz Munhós. São Paulo: Atlas, 2014.

FABRINI, Fábio; WIZIACK, Julio. Reforma cobre menos de 20% do rombo na Previdência, diz TCU. Disponível em https:/www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/10/reforma-cobre-menos-de-20-do-rombo-na-previdencia-diz-tcu.shtml. Acesso em 18 mai. 2020.

FELINE, Renato. Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais para Concursos- abordagem completa. 3 ed. São Paulo: Método, 2014.

FERNANDES, Adriana; VERÍSSIMO, Renata. Fisco cria viciados em parcelar dívidas. O Estado de S. Paulo: São Paulo, 2011. Disponível em . Acesso em 21 abr. 2018.

FLEURY, Sônia. A Seguridade Social e os dilemas da inclusão social. Revista de Administração Pública, v. 39, n. 3, 2005. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6776. Acesso em 26 out. 2019.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar Projetos de Pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas,2010.

LIMA, Bruno Rodrigues Teixeira de. O Parcelamento de Tributos Federais Como Forma de Financiamento Indireto das Empresas, 2015. 42 f. Monografia (Bacharelado em Ciências Contábeis). Universidade de Brasília /DF, 2015.

MAGALHÃES, Ana. Sonegação e inadimplência equivalem a um terço do déficit da previdência. Disponível em . Acesso em 26 mar. 2018.

MARTINS, Sergio Pinto. Manual de Direito Tributário. 17 ed. São Paulo: Saraiva, 2018.

MEDEIROS, Marcio Lima. As falhas de mercado e os mecanismos de regulação da saúde suplementar no Brasil: uma abordagem das novas responsabilidades para os agentes desse mercado, 2010. 95 f. Dissertação (Mestrado em Economia). Universidade de Brasília/DF, 2010.

PAES, Nelson Leitão; O parcelamento tributário e seus efeitos sobre o comportamento dos contribuintes. 2012. Disponível em Acesso em 19 abr. 2018

_______. Os efeitos dos parcelamentos sobre a arrecadação tributária. Estudos Econômicos. São Paulo. vol.44 no.2 Abr.-Jun. 2014. Disponível em < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-41612014000200004> Acesso em 19 abr. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-41612014000200004

PAOLIELLO, Patrícia Brandão. O princípio da capacidade contributiva. Revista Jus Navigandi, Teresina, ano 8, n.66, jun/2003. Disponível em https://jus.com.br/artigos/4138. Acesso em 20 out. 2019.

PASCOALOTO, Fabiana Ferreira. As práticas de transparência na execução orçamentária em municípios da região metropolitana de São Paulo, 2017. 98 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis e Atuariais). Pontifícia Universidade Católica PUC/SP, 2017.

PEREIRA, Júlio Cesar Rodrigues. Análise de dados qualitativos. 3 ed. São Paulo: Edusp, 2004.

POZO, Hamilton. Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais – uma abordagem logística. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2017.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL-RFB. Lista de parcelamentos previdenciários concedidos em 2016 e 2017. Disponível em http://receita.economia.gov.br/orientacao/tributaria/pagamentos-e-parcelamentos/parcelamentos/consulta-parcelamentos-deferidos-no-ambito-da-rfb-1/relacao-de-parcelamentos-previdenciarios-concedidos/relacao-de-parcelamentos-previdenciarios. Acesso em 12 jun. 2018.

______. Parcelamento previdenciário 2017. Disponível em http://www.previdencia.gov.br/regimes-proprios/parcelamento/. Acesso em 14 abr. 2019.

REIS, Tiago. Risco moral: o que você precisa saber sobre o termo. 2018. Disponível em https://www.sunoresearch.com.br/artigos/risco-moral/. Acesso em 12 out. 2019.

RODRIGUES, Adriano; COELHO, Antonio Carlos; PAULO, Edilson; ALMEIDA, Fernando Carvalho de; BEZERRA, Francisco Antonio; CUNHA, Jacqueline Veneroso Alves da; ANTUNES, Jerônimo; DIAS FILHO, José Maria; DINIZ, Josedilton Alves; CORRAR, Luiz; POHLMANN, Marcelo Coletto; MÁRIO, Poueri do Carmo; HERDEIRO, Roberto Francisco Casagrande; NAKAO, Silvio Hiroshi. Análise Multivariada para os custos de Administração, Ciências Contábeis e Economia. São Paulo: Atlas, 2017.

SANTORO, José Jayme de Souza; SANTORO, Maria de Fátima Gomes. Manual de Direito Previdenciário. 4 ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 2015.

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA DO MINISTÉRIO DA ECONOMIA. RGPS 2019. Disponível em http://www.previdencia.gov.br/perguntas-frequentes/regime-geral-rgps/. Acesso em 10 abr. 2019.

VERDÉLIO, Andreia. Presidente da República assina MP para solucionar conflitos entre União e devedores. Disponível em https://agenciabrasil.ebc.bom.br. Acesso em 17 out. 2019.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisas em Administração. 16 ed. São Paulo: Atlas, 2016.

Publicado

2023-01-09

Como Citar

Silva, R. C., de Almeida Santos , F., Pinto da Fonseca, F. C., & Piacente , F. J. (2023). FINANCIAMENTO INDIRETO, ADESÃO A PARCELAMENTOS PREVIDENCIÁRIOS E AS CONSEQUÊNCIAS À PREVIDÊNCIA SOCIAL. Gestão & Regionalidade, 39(116). https://doi.org/10.13037/gr.vol39n116.7674