Smart City: Caraguatatuba uma cidade a caminho da inteligência tecnológica a serviço do cidadão

Cesar Augusto Ilódio Alves

Resumo


Os conceitos de Smart City, vem sendo incorporados por diversos municípios ao longo dos tempos, por em muito possibilitarem a estes, uma gestão mais eficiente e econômica em termos de emprego de recursos, contudo mais recentemente de fato com o suporte tecnológico. A relevância de tais estudos, permitem que os gestores por meio da tecnologia, sejam mais eficientes em suas tomadas de decisões e consigam atender aos municípes em suas necessidades. Caraguatatuba, cidade do Litoral Norte de São Paulo, não é diferente e vem por meio da gestão 2016-2020, implementar tais conceitos, com foco em ter uma administração mais eficiente e voltada a inclusão da tecnologia a favor do cidadão. Para expressar tais práticas o artigo foi construído por meio de levantamentos de referências teóricos, pesquisa exploratória com delineamento qualitativo, que permitiu a apuração das ações efetivas do município.


Texto completo:

PDF

Referências


BOLLIER, D. How smart growth can stop sprawl: a fledgling citizen movement expands. Washington: Essential Books, 1998.

BOUSKELA, M.; et. al. Caminho para as Smart Cities: da gestão tradicional para a cidade inteligente. (Catalogação da Biblioteca Felipe Herrera do Banco Interamericano de Desenvolvimento. BID, 2016).

CASTELLS, M. A sociedade em rede (6a ed.) São Paulo: Paz e Terra, 2012.

COELHO, F. D. Desenvolvimento local e sociedade da informação. In L. Dowbor, & M. Pochmann (Orgs.), Políticas para o desenvolvimento local (p. 337-365). São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2010.

CARAGLIU, A; DEL BO, C. & NIJKAMP, P. "Smart Cities in Europe". Serie Research Memoranda, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico - 2010. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/caraguatatuba/panorama. Acesso Abr. 2019, 2010.

KANTER, R. M., & LITOW, S. S. Informed and interconnected a manifesto for smarter cities. Harvard Business School General Management Unit Working Paper, 9 (141), 1-27, 2009.

LEMOS, A. A comunicação das coisas: teoria ator-rede e cibercultura. São Paulo: Annablume, 2013.

WEISS, M. C.; BERNARDES, R. C.; CONSONI, F. L. Cidades inteligentes como nova práticas para o gerenciamento dos serviços de infraestruturas urbanos: a experiências de Porto Alegre. URBE. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), pág 310-324, set./dez, 2015.

PMC, Prefeitura Municipal de Caraguatatuba, “Caraguatatuba é premiada no fórum de cidades digitais do Vale do Paraíba”. Disponível: http://www.caraguatatuba.sp.gov.br/pmc/2018/10/caraguatatuba-e-premiada-no-forum-de-cidades-digitais-do-vale-do-paraiba/ Acesso em Mar. 2019, 2019.

______. “Secretária de Tecnologia da Informação”. Disponível: https://www.caraguatatuba.sp.gov.br/pmc/secretaria-de-tecnologia-da-informacao/ Acesso em Mar. 2019, 2019.

ROCCO, D.; ALVARES, D. Inovação, Governança e Desenvolvimento Sustentável em Destinos Turísticos Inteligentes: o caso de Belo Horizonte/MG, Brasil. In: Actas del Seminario Internacional Destinos Turísticos Inteligentes: nuevos horizontes en la investigación y gestión del turismo. Universidad de Alicante, México. Acesso em Mar. 2019; 2017.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodología de la investigación. México: McGraw-Hill, 1991.

SU, K.; LI, J.; FU, H. Smarty City and the Applications. In: Proceedings of 2011 International Conference on Electronics, Communications and Control (ICECC), pp.1028-1031, 2011.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 2011.

URBAN SYSTEM, “Ranking Connected Smart Cities 2018”. Disponível: https://d335luupugsy2.cloudfront.net/cms/files/48668/1540214167CSC_2018_Urban.pdf Acesso em Abr. 2019, 2018.




DOI: https://doi.org/10.13037/ria.vol15n1.6983

Revista de Informática Aplicada - USCS/UFABC

 

Indexadores que a RIA faz parte: