INATIVIDADE FÍSICA EM UNIVERSITÁRIOS BRASILEIROS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Thiago Ferreira de Sousa

Resumo


Introdução: A inatividade física tem crescido ao longo dos anos em diferentes populações. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo descrever o nível de inatividade física em estudantes universitários, por meio de revisão sistemática da literatura. Métodos: As buscas foram realizadas na base de dados SciELO e nas listas de referências dos artigos. Os artigos foram selecionados em três fases, sendo a 1ª etapa referente à leitura dos títulos; 2ª etapa relativa à leitura dos resumos selecionados na etapa anterior; e, por fim, a 3ª etapa, referente à leitura na íntegra dos artigos selecionados na 2ª etapa. A busca inicial resultou em 384 manuscritos e ao final foram selecionados para compor esta revisão 14 artigos, sendo quatro obtidos nas listas das referências. Resultados: As prevalências de inatividade física observadas nos estudos variaram de zero a 78,9%. Observou-se um crescimento de publicações a partir do ano de 2006, com predomínio de pesquisas realizadas com estudantes universitários das regiões Nordeste e Sudeste. Conclusão: Estudantes universitários demonstram baixos níveis de atividades físicas, tanto quando mensurando os níveis de prática no lazer como em todos os domínios (lazer, deslocamento, atividades domésticas e ocupacionais).


Palavras-chave


Atividade física, Estudantes, Revisão

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol9n29.1293

Indexadores: